Forame Oval Patente e AVC isquêmico

Por Maramelia Miranda ** (Atualização Março de 2018)

O que é Forame Oval? O forame oval é um pequeno orifício localizado no meio da parede de músculo que divide os dois átrios (cavidades presentes normalmente no coração) no nosso coração – Veja figura. Em condições normais, este orifício costuma se fechar ao nascimento ou nos primeiros meses / anos de vida. Em cerca de 25% das pessoas normais, entretanto, pode acontecer deste forame oval não fechar, deixando uma pequena comunicação entre os átrios cardíacos, e esta situação é o que se chama de Forame Oval Patente (FOP – sigla em português).

Figura mostrando o Forame Oval Patente (patent foramen ovale - em inglês).

Forame Oval Patente e AVC. Diversos estudos com pessoas jovens (< 55 anos) que tiveram um AVC isquêmico (AVCi) sem causa determinada mostraram que nesta situação, a incidência de FOP sobe dos 25% encontrados em pessoas normais, para 40%. Algumas características do FOP, como o tamanho da comunicação, a quantidade de shunt (desvio de sangue existente no ciclo cardíaco) entre os átrios e a presença ou não de um aneurisma ou membrana redundante no septo interatrial, são os principais fatores levados em consideração para estimar o risco maior ou menor de recorrência, associada aos casos de AVCi indeterminado, quando o FOP está presente.

Tratamento. Existem três possibilidades para o tratamento de pacientes com AVCi sem causa determinada que possuem o Forame Oval Patente:

1 – Tratamento clínico, com medicamentos orais antiagregantes ou anticoagulantes, que afinam o sangue e evitam a formação de trombos, responsáveis pela ocorrência do AVCi.

2 – Tratamento cirúrgico, realizado por cirurgiões cardíacos, onde há a abertura do esterno (osso do tórax), abertura do coração e correção cirúrgica do defeito da parede / do septo interatrial.

3 – Tratamento endovascular, realizado por cardiologistas especializados em Hemodinâmica, onde o FOP é corrigido por cateterismo, com a colocação de uma prótese endovascular que fecha o forame sem a necessidade de cirurgia aberta do coração.

Atualmente (Março de 2018), as evidências apontam que o tratamento clínico (uso de medicamentos orais) e o endovascular / cirúrgico são similares na maioria dos casos, ou seja, apresentam resultados de recorrência de eventos – ocorrência de novo AVCi – semelhantes. E que em casos selecionados (pessoas mais jovens, com shunts maiores e o FOP maior com a presença do aneurisma de septo interatrial) é melhor indicar o fechamento do FOP.

As primeiras evidências vieram com a publicação de dois estudos clínicos importantes, os estudos PCI e o RESPECT, ambos publicados na revista médica New England Journal of Medicine.

No estudo RESPECT, entretanto, além da tendência de melhor evolução dos doentes com AVC indeterminado quando tinham o seu FOP fechado por via endovascular com a prótese denominada AMPLATZER, os resultados de seguimento dos pacientes a longo prazo mostraram que em casos de pessoas mais jovens, FOPs maiores com anatomia mais complexa, o fechamento do FOP com a prótese (tratamento endovascular) foi melhor. Estes novos dados foram apresentados em Outubro de 2015 – VEJA AQUI. 

Por este motivo, a maioria dos pacientes que tiverem um AVCi de causa indeterminada com o diagnóstico de FOP devem ter uma investigação extensa para procurar outras causas de AVC.

Uma vez que seja identificado apenas o FOP, é importante determinar o risco deste, seu tamanho, anatomia, quantidade de shunt (comunicação arterio-venosa) presente, para avaliar se estamos diante de um caso com indicação de fechamento, ou apenas acompanhar e tratar com remédios orais.

Via de regra, todos os casos de FOP devem ser tratados com remédios, devem ser investigados com todo cuidado e detalhe, para descartar outras causas de AVCi em jovens, e no final, alguns pacientes podem ter indicação de fechamento com AMPLATZER (figura abaixo).

Indica-se o fechamento de FOP, portanto, quando:::

— Há FOPs grandes, anatomia mais complexa;

— Quando há shunt grande (grau 4 ou 5 pelo exame de Doppler Transcraniano com teste de microbolhas); quando há shunt grande e aneurisma de septo;

— Trata-se de caso de recorrência do evento (2 ou mais eventos de AVCi ou embolia);

— O tratamento clínico com medicamentos falhou em prevenir tais eventos.

Na mais recente diretriz da Associação Americana do Coração e Associação Americana de AVC, não há a recomendação do fechamento de FOP rotineiro em pacientes com apenas este fator de risco encontrada na investigação. 

Assim, a decisão final deve ser tomada analisando cada caso.

Se tiver dúvida, não custa ver uma segunda opinião, de preferência com o profissional neurologista vascular.

** Dra. Maramélia Miranda é neurologista com formação pela UNIFESP-EPM, especializada em AVC e Doppler Transcraniano, editora do blog iNeuro.com.br.

Você vai querer ler também!!!! …

Acidente Vascular Cerebral – AVC

Dissecção da artéria vertebral

Ataque Isquêmico transitório ou Isquemia transitória

Aneurisma Cerebral

110 thoughts on “Forame Oval Patente e AVC isquêmico”

  1. Oi Boa tarde.
    Tenho 44 anos e tenho fop de nascimento mas tive uma endocardite em 2011 tive uma ruptura na valva mitral e 2 aneurisma no septo ventricular e no septo atrial e ando sentindo muitas dores na região da calça e dos septos. Fui encaminhada para o cirurgião cardiovascular mas até agora não resolveram nenhum tratamento nem cirúrgico e nem com medicamentos.
    Além do mais sou portadora de lúpus e trombose.
    Eu gostaria de saber o q eu posso está fazendo e qual o melhor tratamento q vc me indicaria.
    Obrigada

  2. Tive um avc e foi detectado um FOP 88% grau 9. Sobre o um ultra transcranial doppler grau 4 eu nao sei essa colocacao grau 4 oq isso significa.. o doutor diz q è um pequeno septal ASD nao entendo sendo q sao coisas dferentes FOP e septal CIA e CIV o doutor solicitou fechamente

  3. Bom dia . Gostaria do telefone da dra e endereço do consultório.

  4. Olá, meu filho tem 19 anos e teve um avci, ele fez o exame de doopler transcraneano com teste de microbolhas e o resultado foi shunt direita esquerda de grau 2….para investigar melhor foi solicitado um eco transesofagico que foi feito tb com microbolhas e o resultado foi FOP com shunt esquerda direita….
    Qual a relação entre os dois exames já que os shunts foram inevertidos nos exames ?

  5. ola boa noite o fiz um ecocardiograma e detetou fop suntuoso de 3mm sendo que nos outros ecocardiograma nunca havia detetado o medico disse que é um defeito congênito tem como ele estar errado ‘? ja que os outros três eco não detectaram nada ou o fop surgiu agora na idade adulta ?

  6. ola boa noite o fiz um ecocardiograma e detetou fop suntuoso de 3mm sendo que nos outros ecocardiograma nunca havia detetado o medico disse que é um defeito congênito tem como ele estar errado ‘? ja que os outros três eco não detectaram nada ou o fop surgiu agora na idade adulta ?

  7. Oi tenho muitas crises de enxaqueca com aurea, só este mês tive 3 crises com confusão mental, escurecimento da visão, dormencia do rosto e dos braços e mãos, fui ao especialista em enxaqueca(neuro), que disse que o que eu tinha era depressão!!!!!!!!!!!!, vários exames acusarão fop, ecodoppler, transesofágico, com microbolhas tipo cortina e embolia paradoxal e o neuro disse que era normal?
    Fui ao cardiologista amigo da família a anos que imediatamente solicitou cirurgia para fechamento do fop, estou aguardando autorização do plano de saúde para fazer, mas as dores de cabeça e o embaralhamento da visão são muito fortes, mas creio em Deus que tudo vai dar certo, pois Ele cuidou de mim até agora não é agora que Ele vai deixar de cuidar.
    Obrigado pela oportunidade e fica a dica, nunca fique com uma opinião só de um profissional que se diz entendido!!!!!!

  8. Rose, não é possivel opinar apenas com estes dados. seria interessante vc passar com neurologista, de preferencia neurologista que tenha experiencia em neurovascular – AVC, para te avaliar ver tudo detalhadamente, ressonancia etc. Uma coisa é certa. Vc não deve NUNCA PARAR O AAS.

  9. Boa tarde Drª

    Meu nome é Rosemeire hoje tenho 51 anos de idade , tive um AIT(adormeceu lado direito, rosto, língua, braço, perna) em 2012, fiquei internada 06 dias, passei por diversos exames, Angiografia(via cateter), Carótida, EcoTransesofágico, e não encontraram de onde subiu o trombo para o Cérebro, como eu era fumante os médicos disseram que poderia ser esse o motivo, e passei a fazer uso contínuo do AAS, agora em Setembro/2017 fiquei sem fazer uso do AAS 05 dias por motivo de extração dentária, e voltei a ter a dormência bem mais rápida,(questão de segundos) e foi um dia só mas meu fui para o Pronto Socorro e fizeram a Tomografia de Crânio e sem sinais de fraturas detectáveis, mesmo assim fiquei em observação a noite toda.
    Esse ano de 2018, o chefe do meu marido passou pelo mesmo processo de AIT e descobriram através do EcoTransesofágico, o FOP(Forame Oval Patente), e orientou meu marido para que pedíssemos para o médico fazer o Eco-Transesofágico com MICRO BOLHAS e realmente foi constatado que tenho FOP, 1,5mm de diâmetro associado a mínimo “Shunt”, o cardiologista orientou fechar, mas estou com receio como proceder, se possível poderia orientar um caminho?
    Grata pela atenção.
    Guarulhos, 11/03/2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *