Pseudotumor Cerebral ou Hipertensão Intracraniana Idiopática

Por Maramelia Miranda ** (Atualização Fev 2015)

tags: pseudotumor cerebrii, hipertensão intracraniana idiopática, tratamento, pseudotumor, pseudotumor cerebral, hipertensão intracraniana benigna

Pseudotumor cerebrii, ou pseudotumor cerebral, ou hipertensão intracraniana idiopática (sigla – HII). Estes são os nomes da “criança”. Esta doença ocorre quando há uma maior pressão do sistema de líquidos de dentro do crânio, sem haver um tumor ou outro aumento das cavidades do cérebro, ou outra causa anatômica que possam explicar tal fato. Ou seja, ninguém sabe muito bem explicar o porque da ocorrência da HII. À primeira vista, os sintomas parecem de um tumor crescendo no cérebro, mas as imagens todas não mostram quase nada, sem tumor. Daí o termo PSEUDOtumor. Quando não se encontra nenhuma causa para a ocorrência do aumento da pressão, denomina-se HII; quando se encontra a causa, costuma-se dizer que trata-se de um pseudotumor cerebrii secundário à… Daí descreve-se a causa. 

Sintomas

Os sinais e sintomas mais frequentes de pseudotumor cerebral são a dor de cabeça progressiva e que não passa, geralmente com piora ao longo dos dias, náuseas, vômitos, piora da cefaleia quando deita, e o sintoma mais temido do pseudotumor é relacionado à visão.

A compressão das membranas que envolvem os nervo da visão (nervos ópticos), causada pelo regime de hipertensão do líquor cerebral, provoca um edema nestes nervos, ocasionando os sintomas de visão alterada, descrita muitas vezes como visão progressivamente embaçada, mas podendo causar também visão dupla, dores ao movimentar os olhos, escurecimento visual intermitente ou sinais de luzes e escotomas visuais. Estes sintomas da visão podem progredir até a cegueira, caso não sejam logo reconhecidos e prontamente revertidos. Portanto, o pior problema, mais sério e grave, motivo da importância de se reconhecer e tratar um caso de pseudotumor o quanto antes, e a complicação de perda visual até cegueira.

Fatores de risco e possíveis causas

O que se sabe é que há um excesso de líquido cerebral sendo produzido, ou uma falha da absorção deste líquido, denominado de liquor cefalorraquiano, ou as duas coisas juntas, e este desbalanço é o que causa os sintomas da doença. O porque de sua maior produção ou menor reabsorção, levando a uma maior pressão intracraniana, não se consegue descobrir na maioria dos afetados.

Uma das causas frequentes de pseudotumor cerebral é a trombose venosa cerebral, doença onde ocorre uma trombose focal em alguma veia do cérebro, o que causa falha na reabsorção do líquor cerebral, ocasionando o pseudotumor. Algumas medicações, como o excesso de vitamina A, tratamento com hormônio do crescimento (GH) e tetraciclina, são associadas a maior frequência de Pseudotumor, sobretudo em crianças. Uma das condições mais associadas é a obesidade, sobretudo quando ocorre em mulheres mais jovens. A incidência de pseudotumor nesta população duplica, ou quadruplica, dependendo da região que foi estudada.

Alguns estudos mais recentes estão associando os casos de HII (aquelas pessoas com pseudotumor sem causa aparente) à presença de estreitamentos ou estenoses das veias cerebrais. Estes achados, inclusive, levaram ao desenvolvimento de tratamentos baseados em colocação de stents nos locais onde há estenoses nas veias, e relatos de diversos grupos de pesquisadores demonstraram sucesso com essa terapia.

>>    Idiopathic intracranial hypertension: The prevalence and morphology of sinovenous stenosis

A HII é mais rara na população pediátrica, mas também pode ocorrer, e nas crianças, a maioria dos casos tem alguma causa conhecida, principalmente uso de algum medicamento ou causas infecciosas.

Exames necessários

Todo paciente com suspeita de pseudotumor cerebrii deverá fazer:

– um  bom exame clínico e exame de fundo de olho, para verificar se há edema (inchaço das papilas dos nervos ópticos, sinal de sofrimento, de comprometimento dos nervos ópticos);

– exames de tomografia ou ressonância magnética do crânio – Para verificar que não há outra possível causa para a hipertensão intracraniana, como trombose venosa cerebral, e procurar sinais de maior pressão ou compressão dos nervos ópticos;

– Angioressonância arterial e venosa do crânio, com foco em avaliar os seios venosos, na procura de falhas de enchimento destas veias, ou locais com estenoses;

PC-imaging

– exames laboratoriais para atestar se há outras doenças associadas;

– exame de líquor cefalorraquiano (LCR) – principal exame, que irá medir a pressão inicial de abertura do sistema liquórico, verificando o nível da pressão em que está o líquor;

– Arteriografia cerebral, para melhor avaliação dos seios venosos (veias) do cérebro. Este exame é feito em casos selecionados (não em todos os casos).

Tratamento

O foco do tratamento é baixar a pressão intracraniana. Inicialmente, logo na detecção do problema, na coleta do líquor, que é o exame que bate o martelo do aumento da pressão intracraniana, o médico que o coleta já pode fazer uma retirada de boa quantidade de líquor, aliviando temporariamente o regime de hipertensão liquórica.

Aos pacientes com obesidade associada, a primeira coisa que leva à melhora dos sintomas é também a perda de peso. Em relação aos casos com sintomas progressivos e refratários de visão e cefaleia, as medicações são prontamente indicadas, e dependendo de caso a caso, até cirurgia.

A medicação mais comumente prescrita para HII ou pseudotumor é sem dúvida a acetazolamida, capaz de reduzir a produção de líquido cerebral, levando, portanto, a um alívio da hipertensão desta forma. Quando ela sozinha não resolve, pode ser necessário adicionar outros diuréticos (furosemida, por ex.).

Tratamento com cirurgias deve ser indicado para os casos que não melhoram com estas drogas, e para aqueles onde a alteração visual está piorando…

Fenestração dos nervos ópticos – Procedimento indicado para aliviar a tensão do regime de hipertensão sobre os nervos ópticos, salvando os indivíduos afetados do risco de cegueira.

Derivação lombo-peritoneal – Um outro tipo de cirurgia onde se faz um desvio artificial do líquido cerebral, da coluna (região lombar) para o interior da barriga dp paciente, aliviando permanentemente a maior pressão no sistema cerebral (que se comunica com o medular), e assim diminuindo a possibilidade deste líquido ficar represado e se tornar hipertenso dentro da calota craniana. Esta cirurgia é feita apenas quando as outras medidas de medicamentos falharam.

lumboperito

 – Angioplastia e stent no seio venoso cerebral – Este é um tratamento novo, recentemente descrito em casos de HII; nos pacientes onde se detecta algum grau de estenose venosa cerebral, é realizado um cateterismo (similar ao feito por cardiologistas), pela virilha, com a colocação de stents no local da obstrução do seio venoso. Não é um tratamento rotineiro, mas indicado em casos selecionados e que deve ser feito por equipe com expertise, experiência nesta terapia.
** Dra. Maramélia Miranda é neurologista vascular, com formação e pós-graduação pela UNIFESP/EPM, editora do blog iNeuro.
Leia mais…
Endovascular treatment of idiopathic intracranial hypertension – Artigo da Neurology que fala sobre o tratamento com stents em casos de HII.
Idiopathic intracranial hypertension: The prevalence and morphology of sinovenous stenosis – Artigo que primeiramente descreveu a associação de estenoses dos seios venosos em HII.
Surgical and endovascular interventions in idiopathic intracranial hypertension – Artigo que revisa as opções de cirurgia em casos de HII.

266 thoughts on “Pseudotumor Cerebral ou Hipertensão Intracraniana Idiopática”

  1. Estou com hipertensão intercraniana e estenose do seio venoso já passei por alguns neurologista até agora não resolve me operar o que devo fazer

  2. Me chamo Angélica e fui diagnosticada a 3 meses com HII e desde lá comecei o tratamento com diamox e toperamato, mas sinto muitas dores de cabeça ainda, enjoo. tontura, zumbido no ouvido, cansaço fácil, não aguento barulho, esquecimento. Essa semana vou no oftalmologista pois está afetando minhas vistas e tambem tenho retorno na médica. Sinceramente essa doença é muito ruim demais. Não sei se existe esse grupo de WhatsApp mas se tiver e puder me add eu agradeceria meu número 11.96938.7263. Obrigada

  3. Gostaria de ser adicionado no grupo. (32) 9 8841 4958
    Danilo

  4. Olá pessoal. Como fazer para entrar no grupo? Tenho HII diagnosticada desde 2009 e ainda estou tentando alternativas pra resolver. Se puderem me adicionar, meu numero é +32 0493 15 6939. Se auiserem, eu posso fazer um grupo com os numeros aue tenho aqui de vcs.

  5. Tenho 20 anos e fui diagnosticada a 1 mês com HII, estou fazendo tratamento com diamox após a punção lombar. Me adicionem no grupo, se possível. Grata. 89 981189189

  6. Fui diagnosticada e tô tomando diamox e topiramato a 2 meses, mas até agora sem sucesso. Minha visão está sendo muito prejudicada, estou com medo e está caminhando para uma possível cirurgia. Se tiver algum grupo, queria entrar… ou alguém pra me tranquilizar. Fico muito aflita e assustada.
    44999296856

  7. Ola, sou a elle , 36 anos. Descobri meu pseudotumor no começo e estou tratando. Gostaria de participar do grupo. Pode me add? 11 973384928

  8. Tenho desde pequena após tive AVC como consequência, os médicos não entendem dessa doença, hj faço tratamento pra enxaqueca mas resolve no começo mas sempre volta
    Já tomei diamox tbm só q os efeitos são péssimos e não consegui continuar.
    Operei a vista pq tinha muito grau e já tá embaçando de novo, mas meu Neuro insiste em enxaqueca e depressão

  9. Boa noite pessoal, fui diagnosticada em 2010, creio que possa ajudar com minha experiência e o tratamento que faço. Não desanimem. Podem me add 43 999668557

  10. Fui diagnosticada a dois anos, se tiver algum grupo me põe por favor 081987542959

  11. Minha cunhada está perdendo a visao
    O medico disse que e pseudotumor.e ela ainda e renal cronica como ajudar.no tratamento?

  12. Minha prima está com esse diagnóstico de HII. Quero saber sobre a cirurgia se alguém já fez. Poderia me add no grupo 62 982816797

  13. Minha esposa foi diagnosticada com HII nesse mês de novembro, com perca total de visão do olho esquerdo e parcial do olho direito, sendo tratada como auto-imune por causa da dificuldade de diagnostico. Já se passaram 6 meses de várias internações e 7 dias na UTI. Tratamento com diamox 250mg de 6×6 horas, efeitos colaterais extremos e dores de cabeça sem melhora até então. Pode por gentileza me Add no grupo 41 98776-9376.

    Grata!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *