Padrão de onda da PIC por método não-invasivo em NeuroUTI: É possível, e confiável!

Usando o monitor de PIC não-invasivo de tecnologia desenvolvida inteiramente brasileira, o Brain4Care, nosso colega neurologista, Dr. Fabiano Moulin, liderado pela Profa. Gisele Sampaio, ambos da UNIFESP/EPM, avaliou e comparou a hipertensão intracraniana (HIC) usando diferentes métodos (Brain4Care, US da bainha de nervo óptico e Doppler Transcraniano) – com a PIC invasiva em pacientes com HIC portadores de HSA, AVC isquêmico e Hemorrágico. Trabalho duro, de 4 anos, concluído como sua tese de Doutorado, e agora publicados os resultados dos dados do Brain4Care, no Journal NeurocriticalCare.

brain4care para Android - APK Baixar

Curva da PICni (PIC não-invasiva) demonstrada em monitor com a tecnologia brasileira Brain4Care. A razão P2/P1 (morfologia de onda alterada visualizada na PICni) teve correlação forte com a PIC invasiva, no estudo da UNIFESP liderado pelo Dr. Fabiano Moulin. 

 

LINK

Moraes et al. Waveform Morphology as a Surrogate for ICP Monitoring: A Comparison Between an Invasive and a Noninvasive Method. Neurocritical Care 2022.

 

Minishunt para Hidrocefalia por via endovascular: Nova tecnologia pode mudar abordagem da doença

Vejam que incrível! Shunt para hidrocefalia colocado por via endovascular, pelo seio venoso, para tratar a doença. Agora, a questão é avaliar segurança, eficácia, pontos positivos, pontos negativos,onde pode, e onde não pode usar o device…

Onde iremos parar com as tecnologias de cateteres e neurointervencionistas?

Foto do dispositivo e desenho esquemático do procedimento, retirada do artigo original (clique na foto para ver em detalhes)***.

 

LINK

Lylyk et al. First-in-human endovascular treatment of hydrocephalus with a miniature biomimetic transdural shunt. J Neurointerv Surg 2021. 

 

*** Divulgação e publicação da foto em acordo com a Creative Commons Attribution; conteúdo pode ser divulgado livremente, desde que de forma não-comercial.

Diretriz Americana sobre retirada de Medicações Anti-Crise

A Academia Americana de Neurologia publicou esta semana no seu canal oficial Neurology, as novas e atualizadas orientações sobre a retirada de drogas anti-crise em pacientes com epilepsia e suas crises controladas.

Assunto recorrente, controverso, sempre questionado por familiares e pacientes portadores de epilepsia. Para vocês terem uma ideia, a última recomendação do assunto tinha sido publicada em… 1996… Muitos leitores aqui nem tinham nascido :)))))))))

Um artigo realmente… Necessário, primordial e must-read meeeeessssmo!!!!!!

LINK

Gloss et al. Antiseizure Medication Withdrawal in Seizure-Free Patients: Practice Advisory Update Summary. Report of the AAN Guideline Subcommittee. Neurology 7 dec 2021. 

Fellowship 2022 em Neurologia Vascular UNIFESP: Inscrições abertas!

Inscrições ainda abertas para o Programa de Fellowship em Neurologia Vascular da UNIFESP/EPM do ano de 2022.

Trata-se, com certeza, de um dos programas de sub-especialização em AVC para neurologistas mais completos do país, que abarca:

  • Aprendizado em diagnóstico e manejo do AVC
  • Aprendizado em Neurointensivismo
  • Aprendizado em Doppler e Duplex Transcraniano
  • Envolvimento com linhas de pesquisas em AVC, incluindo trials clínicos nacionais e internacionais em andamento na instituição

 

Inscrições e informações – AQUI OU LINK DIRETO A SEGUIR:

//sistemas.unifesp.br/acad/inscricao-lato-sensu/index.php?page=INS&tipo=E&codc=2137&anoc=2022

 

Metanálise AURORA fortalece efeito benéfico da Trombectomia além de 6h

Estes dados já haviam sido apresentados nos congressos de AVC do começo do ano, e agora são finalmente publicados na Lancet.

ESTUDO

Avaliação do benefício de trombectomia mecânica (TM) em pacientes admitidos entre 6 a 24h do icto, ou última hora visto bem até 24h. Revisão sistemática e metanálise entre jan 2010 e março de 2021 dos estudos clínicos randomizados de TM para AVC.
Nome: AURORA = Analysis Of Pooled Data From Randomized Studies Of Thrombectomy More Than 6 Hours After Last Known Well (AURORA) collaboration.
O desfecho primário avaliado foi escala modificada de Rankin em 90 dias. EM questão de segurançca, avaliados mortalidade em 90d e hemorragia intracraniana sintomática.

RESULTADOS E CONCLUSÃO

  • n=505 individuals (n=266 intervenção, n=239 controles)
  • 5 trials no tema
  • Desfecho primário = benefício da TM com odds ratio (OR)  2,42 (95% CI 1,76–3,33; p<0,0001) e OR ajustado (para idade, gênero, severidade do AVC na admissão, extensão do infarto pela TC admissão e tempo de sintomas) de 2,54 (1,83–3,54; p<0,0001).
  • TM foi associada a maiores taxas de independência para AVDs (mRS 0–2) do que o tratamento médico (122 [45,9%] de 266 vs 46 [19,3%] de 238; p<0,0001).
  • Mortalidade em 90d similar (44 [16,5%] de 266 vs 46 [19,3%] de 238), assim como HIC sintomática (14 [5,3%] of 266 vs 9 [3,3%] de 239).
  • Não houve diferenças / heterogeneidade de efeito de tratamento com os subgrupos definidos de idade, gênero, baseline NIHSS, local da oclusão arterial, APSECTS no naseline ou modo de apresentação.
  • Efeito de tratamento foi maior e mais forte nos casos tratados entre 12–24 h (OR 5,86 [95% CI 3,14–10,94]) do que nos casos entre 6-12h (1,76 [1,18–2,62]; pinteraction=0,0087).

Enfim, mais evidências de conjunto de RCT mostrando um benefício consistente da TM em pacientes com janelas tardias entre 6 a 24h.

LINK

Jovin et al. Thrombectomy for anterior circulation stroke beyond 6 h from time last known well (AURORA): a systematic review and individual patient data meta-analysis. Lancet 2021.

Não faça Trombectomia Mecânica em ASPECTS baixo: Resultados do registro GSR-ET

Raridade nos últimos anos: estudo com trombectomia mecânica (TM) em AVCi vir com resultados negativos… E foi isso que vimos nos resultados publicados por Meyer e col., no mês passado, na revista Stroke.

O estudo foi retrospectivo, resultado de análise de um grande banco de dados alemão, com 25 centros de AVC. Foram avaliados 248 pacientes com AVCi agudo com oclusão de grande vaso, e ASPECTS baixo (< ou = 5pts), divididos entre os tratamentos de TM e clínico, tendo sido observados bom desfecho funcional de forma similar nos tratamentos (27.4% no braço de TM vs 25% no braço médico; P=0.665). As taxas de mortalidade e sangramento sintomático intracraniano foram bem maiores no grupo de TM – 43.5% vs 28.9%, P=0.025 para mortalidade, e 16.1% vs 5.6%, P=0.008 para hemorragia. Idade avançada (aOR, 1.08 [95% CI, 1.05–1.10], P<0.001) e hemorragia intracraniana sintomática (aOR, 6.35 [95% CI, 2.08–19.35], P<0.001) foram os fatores independentemente associados a desfecho muito ruim.

LINK

Meyer et al. Thrombectomy in Extensive Stroke May Not Be Beneficial and Is Associated With Increased Risk for Hemorrhage. Stroke 2021.

Novo trombolíticio Estafiloquinase é testado na Rússia: Estudo FRIDA publicado

Opa! De onde esses russos tiraram isso agora?!

Estudo com uma “nova” muito antiga droga trombolítica é publicado na Lancet Neurology, demonstrando não-inferioridade da staphylokinase comparada à alteplase. Sim, caros amigos, stafilo, parente da streptokinase. Isso mesmo.

A droga, ativador do plasminogênio de origem bacteriana, é advinda do velho e conhecido stafilo aureus, e foi descrita em inicialmente 1948.

Posteriormente, na década de 90, quando muitos de vocês que aqui estão nem eram nascidos ainda, foi estudada na Cardiologia… Abandonaram depois, e agora, nos aparece isso: estudo randomizado, financiado por agência governamental russa, mostrando coisas boas com o agente, sem ter sido apresentado em congresso importante da área? De parente da estreptoquinase, morta e enterrada há muitos anos? Estranho… Muito estranho. Vou estudar. Enquanto isso, repassando em primeira mão a vocês o estudo e a publicação na Lancet Neurology.

Os dados do estudo, com número de pacientes limitado e desenhado para avaliação de não-inferioridade, mostram, entretanto, uma tendência de efetividade e seguranças melhores do que o trombólitico rTPA, o mais utilizado atualmente na prática neurrovascular…

A conferir os próximos capítulos.

LINKS

Gusev et al. Non-immunogenic recombinant staphylokinase versus alteplase for patients with acute ischaemic stroke 4·5 h after symptom onset in Russia (FRIDA): a randomised, open label, multicentre, parallel-group, non-inferiority trial. Lancet Neurol 2021.

Nedaeinia et al. Bacterial staphylokinase as a promising third-generation drug in the treatment for vascular occlusion. Mol Biol Rep 2020.

Estudo com IAM – Publicação na Circulation 1995 ….

Consenso sobre diagnóstico e tratamento de migranea

As cefaleias correspondem a aproximadamente 80-90% dos casos de consultas neurológicas em um ambulatório de Neurologia Geral. Obrigatório dominar o tema.

Excelente artigo de diretriz, com recomendações sobre o diagnóstico, tratamento agudo e preventivo da migranea, endorsadas pelas sociedades europeias de Cefaleia e de Neurologia.

Podcast 360- I am Headache Free…A Headache Story

Publicação aberta para download na Nature Reviews Neurology.

LINK

Eigenbrodt et al. Diagnosis and management of migraine in ten steps. Nature Rev Neurology. Publicado em 18 jun 2021.