Eculizumab foi eficaz para NMO: Resultados do PREVENT Trial

Publicado na NEJM em 3 de maio e com apresentação programada para dia 7 de maio na Filadélfia, no Congresso Americano de Neurologia, o estudo PREVENT – Prevention of Relapses in Neuromyelitis Optica, estudo randomizado e controlado fase 3, que avaliou prospectivamente 143 pacientes com NMO com anticorpos AQP4 positivos, tratados de abril de 2014 a outubro de 2017, em 70 centros de 18 países.

Foi financiado pela Alexion, companhia que produz o Eculizumab (Soliris), um anticorpo monoclonal que inibe a proteína do complemento C5, prevenindo sua quebra em C5a, molécula que é proinflamatória e coordena a formação de complexos que atacam a membrana celular em doenças autoimunes.

O nome comercial da droga é Soliris. Já ouviram falar? Sim, é aquela droga caríssima, conhecida como “a droga mais cara do mundo”, a mesma usada na Hemoglobinúria Paroxística Noturna, e também aprovada pelo FDA para casos atípicos de Síndrome hemolitico-urêmica (SHU) e miastenia gravis generalizada,

O grupo tratado (n=96) recebeu 900mg da droga por via endovenosa, semanalmente nas primeiras 4 semanas, seguindo-se doses de 1200mg quinzenais. O grupo placebo teve 43% (20 em 47  casos) de crises de recorrência da doença (relapses), versus 3% (3 casos) no grupo ativo do estudo (HR 0,06, 95% CI, 0,02-0,20; p< .001). O desfecho secundário de crises de recorrência anuais foi de 0,02 no grupo do eculizumab e 0,35 no grupo placebo (rate ratio, 0.04; 95% CI, 0.01 to 0.15; P<0.001).

A mudança de escore EDSS foi similar nos dois grupos (-0,18 vs 0,12, para grupo ativo e placebo, respectivamente).

LINKS

Pittock et al. Eculizumab in Aquaporin-4–Positive Neuromyelitis Optica Spectrum Disorder – PREVENT Trial. NEJM 2019.

Pittock et al. Eculizumab in AQP4-IgG-positive relapsing neuromyelitis optica spectrum disorders: an open-label pilot study. Lancet Neurology 2013.

Significância estatística: Artigo da Nature questiona o valor do P…

Mais de 800 signatários assinam o artigo, um comentário de 3 estatísticos, publicado na edição deste mês da Nature…

LINKS

Amrhein et al. Scientists rise up against statistical significance. Nature 2019.

Lista dos signatários do artigo.

Editorial. It’s time to talk about ditching statistical significance. Nature 2019.

Wasserstein et al. Moving to a World Beyond “p < 0.05”. Am Statistician 2019.

Novo Guideline de prevenção primária em doenças cardiovasculares

Publicado simultaneamente na JACC e Circulation, por ocasião do ACC’2019 ocorrido em New Orleans. Seguindo recomendações de recentes estudos da Cardiologia, que não mostraram efeito da aspirina na prevenção primária, a nova diretriz destaca a importância maior de controlar os fatores de risco modificáveis e seu impacto na prevenção das DCV. A recomendação de dose baixa de aspirina agora é classificada como IIb, com indicação mais restrita, em pacientes com alto risco de DCV aterosclerótica entre 40 a 70 anos, que não tenham maior risco de sangramento. Outro aspecto bem importante ressaltado pela diretriz: discutir as estratégias e escolher os tratamentos em conjunto com os próprios pacientes: “Patient-centered care” recomendado na linha de cuidado!!!!!!!

LINK

Arnett et al. New AHA/ACC CVD Primary Prevention Guideline. Circulation 2019. 

Supplemental Data. 

MIR Trial: Não adianta adicionar mirtazapina a IRSS ou IRNS em depressão resistente

Alô, Alô, moçadinha!!!!

Leiturinha interessante. Publicação da BMJ do final de 2018.

Adicionar mirtazapina ao esquema de monoterapia com IRSS ou IRNS (dual) em depressão clinicamente resistente, neste estudo clínico fase III, não se mostrou estratégia benéfica. Essa ideia veio de estudos menores anteriores com resultados positivos da associação ser benéfica em pacientes resistentes à monoterapia.

Agora, este grande trial multicêntrico joga um baldinho de água fria nisso…

Artigo na íntegra, free online à disposição de todos!!!!!

Divirtam-se!

LINKS

Kesller et al. Mirtazapine added to SSRIs or SNRIs for treatment resistant depression in primary care: phase III randomised placebo controlled trial (MIR). BMJ 2018. 

Atualização em AVC e Aterosclerose – em São Paulo

Como acontece todo ano, o grupo de Neurorradiologista Intervencionista paulistano coordenado pelo Prof. José Guilherme Caldas promoverá, em 15 e 16 de março de 2019, um módulo de Atualização em AVC e Aterosclerose, aberto para inscrições com preços promocionais até amanhã – última virada de tabela.

    

O convidado internacional palestrante será o Dr. Raul Nogueira, da Emory University (Atlanta, EUA). Outros profissionais da FMUSP, Santa Casa e UNIFESP também estão confirmados.

A programação, ao contrário do que se poderia esperar, abordará muitos temas clínicos, como, por exemplo, imagem da placa e as etiologias mais frequentes de AVC. Haverá discussão de casos e um Hands-on de trombectomia ao final do segundo dia.

VEJA AQUI a programação completa.

AGENDA

Local: Hotel Maksoud Plaza – São Paulo, SP

Datas: 15 e 16 de março

Programação, inscrição e palestrantes – AQUI.

ESO e ESMINT publicam recomendações sobre trombectomia em AVCi agudo

 

Saiu hoje.

LINK

Turc et al. European Stroke Organisation (ESO) – European Society for Minimally Invasive Neurological Therapy (ESMINT) Guidelines on Mechanical Thrombectomy in Acute Ischaemic Stroke Endored by Stroke Alliance for Europe (SAFE). Eur Stroke J 2019. Versão resumida – apenas tabela das questões PICO e recomendações. 

Supplemental Material 1

CFM revoga a resolução sobre Telemedicina

Em menos de 24 horas, meu último post (abaixo) precisou ser “atualizado”.

Nesta sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019, o CFM emitiu a seguinte nota:

Sex, 22 de Fevereiro de 2019 12:08
Sensíveis às manifestações dos médicos brasileiros e entidades representativas da classe, os conselheiros efetivos do CFM decidiram revogar a Resolução CFM nº 2.227/2018. Em nota divulgada nesta sexta-feira (22), o CFM esclarece os motivos da decisão. Confira abaixo a íntegra do documento:
INFORME AOS MÉDICOS E À POPULAÇÃO
Considerando sua missão legal de supervisionar a ética profissional médica em toda a República, além de zelar e trabalhar por todos os meios ao seu alcance, pelo perfeito desempenho da medicina e pelo prestígio e bom conceito da profissão e dos que a exerçam legalmente, o Conselho Federal de Medicina (CFM) vem à público informar que:
 
1.      Em virtude do alto número de propostas encaminhadas pelos médicos brasileiros para alteração dos termos da Resolução CFM nº 2.227/2018, que define critérios para prática da telemedicina no País, o qual já chega a 1.444 contribuições, até o momento;
 
2.      Em atenção ao clamor de inúmeras entidades médicas, que pedem mais tempo para analisar o documento e enviar também suas sugestões de alteração;
 
3.      Pela necessidade de tempo para concluir as etapas de recebimento, compilação, estudo, organização, apresentação e deliberação sobre todo o material já recebido e que ainda será recebido, possibilitando uma análise criteriosa de cada uma dessas contribuições, com o objetivo de entregar aos médicos e à sociedade em geral um instrumento que seja eficaz em sua função de normatizar a atuação do médico e a oferta de serviços médicos à distância mediados pela tecnologia; 
 
Após colher a posição de seus conselheiros efetivos, o CFM anuncia a revogação da Resolução CFM nº 2.227/2018, a qual será oficializada e referendada em sessão plenária extraordinária, convocada para o dia 26 de fevereiro de 2019 (terça-feira), em Brasília (DF).
 
Finalmente, o CFM salienta que até a elaboração e aprovação de um novo texto sobre o tema pelo Plenário do CFM a prática da telemedicina no Brasil ficará subordinada aos termos da Resolução CFM nº 1.643/2002, atualmente em vigor.
 
  
Brasília (DF), 22 de fevereiro de 2019.
 
CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

Acreditam!?

Ou seja, revogaram a norma anterior, publicaram a 2227, e agora revogam a 2227 e re-referendam a 1643 de 2002.

Difícil.

Deus nos ajude. Espero que não voltemos ainda mais pra trás, aos anos 80…

Resolução sobre Telemedicina no Brasil: Como opinar ao CFM?

Adaptada do site Portal CFM. acesso em 21 fev 2019.

Primeira coisa para o nosso conhecimento: A Resolução nova de Telemedicina do Conselho Federal de Medicina foi publicada, e valerá a partir de 9 de maio de 2019! Não foi suspensa, nem revogada, nem adiada sua publicação…

Foi publicada no comecinho deste mês, no Diário Oficial da União, data exata em 6 de fevereiro de 2019. Conselhos Regionais podem espernear, xingar, gritar, berrar, dar entrevista… Mas, pelo menos por enquanto, a nova Resolução – AQUI – tem prazo para entrar em vigor, e inclusive já regovou a anterior, de 2002.

A questão agora é que os conselhos regionais, associações médicas e academias de especialidades querem opinar, uma vez que se manifestaram contrariamente às atuais normas, informando à sociedade que não participaram das discussões a respeito. Abaixo, instruções a todos que quiserem contribuir para esta polêmica discussão.

Como diz um amigo nosso: “Isso ainda vai dar pano pra manga….”

PARA MÉDICOS

Para acessar a plataforma e enviar contribuições para a Resolução CFM nº 2.227/2018, que disciplina no Brasil a telemedicina como forma de prestação de serviços médicos mediados por tecnologias, acesso a página DIRETAMENTE NO SITE DO CFM – AQUI, e informe os seguintes dados:

– número do seu CRM, estado de sua inscrição e número de CPF.Após essa etapa, será direcionado a uma página de confirmação, em que será exibido um código único necessário para preenchimento do formulário. Com o acesso autorizado, poderá inserir suas observações, ao ler cada um dos 23 artigos da Resolução CFM nº 2.227/2018.PARA ENTIDADES MÉDICAS
As contribuições das entidades sobre a Resolução CFM nº 2.227/2018 deverão ser encaminhadas por meio de ofício para o Conselho Federal de Medicina através do endereço eletrônico cfm@portalmedico.org.br .

PRAZO

Todas as contribuições poderão ser enviadas ao Conselho Federal de Medicina até o dia 7 de abril de 2019 (domingo).

STAR Live 2019 em Fortaleza

Adaptado da Homepage do STAR Live 2019.

Baseado em casos clínicos reais e dinâmica interativa, o curso STAR Live – Stroke Tutorial from Assessment to post Reperfusion, realizado em 2018, foi um sucesso de público e qualidade de apresentações, e será repetido este ano na belíssima e acolhedora cidade de Fortaleza, no Ceará. Abordará os mais recentes avanços na assistência a pacientes com AVCI agudo, desde a avaliação inicial até a fase pós-reperfusão. Haverá também um endolab prático, especialmente pensado para neuro-intervencionistas, onde serão discutidos os princípios biomecânicos e o uso de cada device. 

Liderado por um time com extensa experiência na assistência de AVCI agudo e conectado com as mais recentes inovações tecnológicas e terapêuticas, o STAR Live  tem como foco as percepções e análises indispensáveis para a correta tomada de decisão em cada etapa da assistência ao AVCI agudo.

AGENDA

Datas: 12 e 13 de abril de 2019

Local: Hotel Gran Marquize – Fortaleza, Brasil

Informações sobre o programa (que está incrível!), palestrantes e inscrições: https://starlivecourse.com/