Alzheimer: Reconhecendo seus sintomas

tags: Alzheimer sintomas, Alzheimer tratamento, estágios, mal de Alzheimer.

** Por Maramélia Miranda

A descrição dos estágios descritos abaixo é uma forma didática de enumerar e classificar as diferentes fases da demência por  Doença de Alzheimer, método desenvolvido pelo New York University School of Medicine’s – Silberstein Aging and Dementia Research Center. 

DA-alterações

Imagem: Adaptado da JAMA Neurology.

Estágio 1 – Sem sintomas.
A pessoa já tem as alterações químicas e patológicas da doença (acúmulo de amilóide nas células do cérebro), mas não apresenta nenhum problema de memória. Esta fase dura geralmente de 10 a 20 anos antes do surgimento dos primeiros sintomas. 

Estágio 2 – Sintomas muito leves de alteração de memória (podem ser confundidos com declínio cognitivo da própria idade).
O indivíduo percebe alguns lapsos de memória, alguns esquecimentos pontuais (telefones, nomes de pessoas, onde guardou objetos), que ficam mais frequentes do que anteriormente, mas não são percebidos em exames clínicos de rotina (testes neuropsicológicos) nem pelos amigos e familiares.

Estágio 3 – Declínio cognitivo leve (o diagnóstico de Doença de Alzheimer em estágio precoce pode ser feito em alguns pacientes nesta fase). 

Nesta fase os familiares, colegas do trabalho e amigos começam a perceber as falhas da memória e maiores dificuldades, sintomas que geralmente são detectados em testes de memória e concentração, feitos pelo neurologista no consultório. Outros sintomas comuns desta fase:

  • Problemas em relembrar nomes de pessoas conhecidas recentemente
  • Problemas na realização de tarefas mais complexas, em casa ou no trabalho
  • Esquecimento de leituras, ou notícias, recentemente lidas
  • Repetição de perguntas, ou de histórias contadas recentemente
  • Perda de objetos de maior valor, esquecendo-se completamente os lugares onde guardou
  • Maiores problemas no planejamento financeiro e organização em casa

Estágio 4 – Declínio cognitivo moderado (Doença de Alzheimer leve-moderada). 

Os sintomas tornam-se mais claros em uma avaliação neurológica:

  • Esquecimento de eventos recentemente vividos
  • Capacidade alterada em resolver questões aritméticas básicas (contas de somar ou subtrair)  – um exemplo é subtração de 7 de 100 em série de cinco vezes.
  • Maior dificuldade de realizar atividades mais complexas, como planejar um jantar ou recepção para convidados em casa, pagamento de contas e lembrar-se de vencimentos de pagamentos, manejo das finanças pessoais
  • Esquecimento sobre histórias pessoais de outras pessoas próximas, conhecidas pelo próprio paciente
  • Comportamento quieto ou apático, especialmente em situações sociais apropriadas, onde deveria estar mais entrosado.

Estágio 5 – Declínio cognitivo moderado-severo (Doença de Alzheimer moderada).

Lapsos de memória e pensamento são nítidos. A necessidade de ajuda com atividades diárias começa a ser primordial:

  • Os pacientes não conseguem lembrar seu próprio endereço; ou número de telefone;
  • Tormam-se desorientados em relação ao tempo, sem saber qual a data de hoje ou dia da semana, ou até mesmo o ano;
  • Tem problemas com contas aritméticas das mais básicas;
  • Dificuldade para escolher roupas adequadas para o clima ou situação social a seguir;
  • Conseguem lembrar de fatos muito antigos, de sua infância e juventude; Ainda não precisam de auxílio em atividades básicas diárias, como higiene pessoal ou comer.

Estágio 6 – Declínio cognitivo severo (Doença de Alzheimer severa). 
Memória continua piorando, começam as mudanças de comportamento e personalidade, e a necessidade da atenção mais constante aparece.

  • Perda da capacidade de perceber situações ao seu redor;
  • Lembram-se do próprio nome, mas começam a esquecer sobre sua própria história pessoal de vida;
  • Começam a ter dificuldade em lembrança dos nomes dos parentes, filhos, esposo ou esposa, cuidadores;
  • Precisam de ajuda para coisas mais básicas, como vestir-se, escolher e colocar os sapatos certos nos pés;
  • Problemas de sono, comportamento, troca do sono e vigília, e períodos com maior confusão mental durante o dia, começam a aparecer;
  • Problemas com higiene pessoal começam a aparecer, necessitando-se de mais e mais supervisão para estas tarefas;
  • Acidentes com escapes de urina e/ou fezes podem ocorrer;
  • Problemas de comportamento maiores, como delirium, ou até mesmo agitação, agressividade, impulsividade, pensamentos compulsivos, obsessivos, persecutórios, começam a surgir;
  • Se não são vigiados, podem se perder fora de casa com maior frequência.
  • Lentificação motora, e problemas com mobilidade, começam a surgir em virtude da rigidez dos movimentos nesta fase.

Estágio 7 – Demência por Doença de Alzheimer – fase avançada-tardia).

Nesta fase, o comprometimento motor e cognitivo é bem exuberante, e já pode estar bastante avançado, se medidas de fisioterapia não forem muito constantes. Geralmente os pacientes neste estágio perdem a capacidade de conversar orientadamente sobre um assunto, ou até mesmo formular frases. Ainda podem emitir palavras soltas ou frases mais curtas.

  • Precisam de ajuda para todas as suas atividades de vida diárias, como comer, banho, higiene pessoal, vestir-se;
  • Perdem a capacidade do sorriso, de sentar-se sem apoio, ou até mesmo de segurar a cabeça sozinhos;
  • Devido ao comprometimento motor, de liberação piramidal (alteração neurológica decorrente da doença), os indivíduos tornam-se muito rígidos, com as articulações e músculos dos braços e pernas tendendo a flexão, os reflexos tendinosos exaltados, o tônus muscular bem aumentado. Nesta fase geralmente estão acamados ou altamente comprometidos em relação à mobilidade;
  • Deglutição torna-se um problema sério, muitos dos pacientes necessitando de tubos no estômago para se alimentarem e não terem aspiração de comida para os pulmões.

 

Links relacionados…

+++ Demências

+++ Alzheimer: O que fazer e o que não fazer!

 

** Dra. Maramélia Miranda é neurologista com formação pela UNIFESP-EPM, editora do blog iNeuro.com.br.

24 thoughts on “Alzheimer: Reconhecendo seus sintomas”

  1. OLÁ MINHA IRMÃ TEM 50 ANOS , ELA FEZ EXAMES TEM DEMÊNCIA DE ALZHEIMER , GOSTARIA DE SABER C POSSÍVEL COM ESSA IDADE TER ESSA DOENÇA, PORQUE TODOS FALAM QUE MUITO NOVA E PARECE MESMO TOMANDO OS REMÉDIOS ESTÁ PIORANDO A ESTADO SAÚDE DELA , SERÁ QUE MEDICO ESTÁ CERTO DISSO.

  2. Tenho 58 anos e fui diagnosticada estar DA ,ressonância constatou hipocampo atrofia e fiz vários testes com neuropsicóloga e tenho dificuldade na fala e vejo que repito muito as palavras mais isso começou tem mais de 8 anos ,mas fico na dúvida por não ser tão velha e na mesma hora vejo que tenho muitas dificuldades,todas que estão descritos acima,tomo medicamentos pra depressão e pra demência estou usando Lábrea cloridrato de dinepezila 10 mg ,tenho me esforçado para ler e memorizar ,só que gostaria de saber se no meu caso os médicos podem ter se enganado ?já passei por 3 neuro e 2 neuropsicóloga mais continuo com dúvidas . peço orientação a mais por favor.

  3. parabéns pelas informações acima sobre a doença do Alzheimer: Reconhecendo seus sintomas

  4. Adorei o texto, muito explicativo e com uma grande riqueza de detalhes.! Minha sogra tem 88 anos e tem diagnostico de demência somente. Foi alcoólatra e fez tratamento, hoje em dia esquece de beber.! Tenho notado uma piora muuto grande e rapida em seu comportamento. Nao sabe aonde mora, fica insegura quando sai de casa. Nao lembra mais das pessoas, parentes proximos, ate os sobrinhos e irmãos.! Quando recebe visitas nao se lembra das pessoas e nem mesmo que aconteceu a visita . Sua filha nao entende a doença e finge que nada esta acontecendo. Ela quer levar minha dogra para Orlando pois ela mora la, mas minha sogra não quer ir…! Como devo proceder com isso??? Como posso ajudar a resolver este impasse??? Ha um ano ela esteve la por 2 meses e teve alucinações a noite e queria voltar a qualquer custo.Acordava todas as noites para arrumar as malas para voltar para casa. Quebrou todos os dentes e não conseguia mais comer.Por favor me oriente, estou muito
    Preocupada com essa situação.!Este ano ela esta muito pior que ano passado, ja nao sabe aonde esta e nao sabe mais seu endereço. Moramos em um prédio, eu no primeiro andar, ela no devimo e o outro filho no décimo primeiro. Em almoços na casa do filho ela pede carona para nos pois nao sabe chegar em casa, nao reconhece o local.! Adora passear mas quer voltar para casa sempre a noite.! Ela ja nao lembra dos netos, as vezes nao sabe que sou a nora, nao sabe o nome das cuidadoras.! Ela nao tem um tratamento com um Neurologista,dó com um Geriatra. Acha importante um acompanhamento Neurologico?? Obrigada e aguardo suas orientações.!

  5. Boa tarde. Que texto excelente e muito bom saber pelos comentários que não somos só nós que convivemos com essa triste doença.
    Minha avó foi diagnosticada com a doença em janeiro desse ano depois de um AVC isquêmico, mas já vinha apresentando sintomas de perda de memória e confusão.
    Hoje, depois de 8 meses do diagnóstico, já se encontra no estágio 6, passando para o 7.
    Ela tem 86 anos e a doença progrediu muito rápido.
    Toma 10mg Donepezila, 100mg quetiapina e Memantina.
    Há um mês atras, estava muito agitada, agressiva, raivosa, queria bater na gente e expulsar de casa. Foi constatado que estava com infecção urinária.
    Essas duas semanas ela só fala de ir embora pra casa de infância, pede o pai e a mãe frequentemente, seus objetos de infância. Não lembra muitos nomes e já teve duas quedas em menos de duas semanas.
    Está com o olho roxo. Queixando de dor e já com dificuldades para caminhar. Também se alimenta pouco.
    Lembra dos familiares antigos, ontem levei para visitar.
    Vê-la morrendo aos poucos é muito triste, pois ela me criou e tenho muito amor por ela. Mas que seja feita a vontade de Deus, pois esta doença me privou de praticamente tudo.

  6. Boa tarde. Que texto excelente e muito bom saber pelos comentários que não somos só nós que convivemos com essa triste doença.
    Minha avó foi diagnosticada com a doença em janeiro desse ano depois de um AVC isquêmico, mas já vinha apresentando sintomas de perda de memória e confusão.
    Hoje, depois de 8 meses do diagnóstico, já se encontra no estágio 6, passando para o 7.
    Ela tem 86 anos e a doença progrediu muito rápido.
    Toma 10mg Donepezila, 100mg quetiapina e Memantina.
    Há um mês atras, estava muito agitada, agressiva, raivosa, queria bater na gente e expulsar de casa. Foi constatado que estava com infecção urinária.
    Essas duas semanas ela só fala de ir embora pra casa de infância, pede o pai e a mãe frequentemente, seus objetos de infância. Não lembra muitos nomes e já teve duas quedas em menos de duas semanas.
    Está com o olho roxo. Queixando de dor e já com dificuldades para caminhar. Também se alimenta pouco.
    Lembra dos familiares antigos, ontem levei para visitar.
    Vê-la morrendo aos poucos é muito triste, pois ela me criou e tenho muito amor por ela. Mas que seja feita a vontade de Deus, pois esta doença me privou de praticamente tudo.

  7. oi meu marido foi diagnosticado com alzheimer , a sete anos ele ja esta no estagio final e muito triste agente nao poder fzr nada ver a pessoa que a gente ama ali deitado ,sofro muito ele tem quatro filhos um so procura ele .cuido dele como se foce um bebe foi uma pessoa muito boa nunca deixou faltar nada para os filho . sei que um dia ele nao vai mais estar aqui so em pensar nisso eu sofro. sei que foi deus quem me botou no caminho dele.

  8. oi meu marido foi diagnosticado com alzheimer , a sete anos ele ja esta no estagio final e muito triste agente nao poder fzr nada ver a pessoa que a gente ama ali deitado ,sofro muito ele tem quatro filhos um so procura ele .cuido dele como se foce um bebe foi uma pessoa muito boa nunca deixou faltar nada para os filho . sei que um dia ele nao vai mais estar aqui so em pensar nisso eu sofro. sei que foi deus quem me botou no caminho dele.

  9. Boa tarde
    Meu pai tem 77 anos esta no estagio 7 avancado , esta na fase de nao abrir os olhos e tem momentos que ele grita SERA QUE É DE DOR ? , ja que ele não fala nao tem mais nenhum de seus sentidos funcionando ele depende de minha mãe para tudo a mais de 5 anos. e começou esses sintomas algumas semanas , e cada dia fica com os pés inchado , alguem ja passou por esse estagio ?

  10. Dr. Minha mãe já tem alguns sintomas do estágio final. Anda pouco e cair bastante os cuidados redobrou. Tem um mês que só quer dormir. Fala palavras quando quer,
    Eu cuido dela e tem uma moça que fica a observar ela. Tenho 51 anos há dois anos fiz o exame do sono, resuntado normal. Gostaria de saber se essa doença é ereditaria.

  11. Excelente informações … estarei mais atenta ao habitos … estas dicas são preciosas para nós que sofremos com a azia e queimação. Obrigado por compartilhar!!!

  12. Dra Maramelia, minha mãe tem Alzheimer, tem 80 anos e não conhece mais ninguém, anda com ajuda de 2 pessoas, temos que dar banho, trocar fraldas, não se alimenta sozinha, a sra com seu conhecimento, pode me informar se é aconselhável fazer passeios para visitar familiares ou outros tipos de passeios? Algumas vezes que tentamos ela volta muito agitada, agradeço antecipadamente.

  13. Dra minha mae vai fazer 80 anos em setembro.Estava caminhado bem repentinamente não consegue firmar_se para caminhar ou ATE mesmo para se virar na cama.Seu peso aumentou mesmo na dieata. O que devo fazer?O brigada

  14. Boa tarde Dr ª Minha mãe parece estar no estágio 6. Ela tem 85 anos. Não lembra de quase nada. Aprendeu cuidar de uma boneca como se fosse criança. Ela dá comida , água, café,tc. para boneca . Dorme com ela no canto da cama. Arruma bolsas constante para ir embora. Não gosta do banho. Às vezes me sinto impotente diante de tudo.
    Ela toma Donepezila 10mg, quetiapina 25mg.citalopran 20mg e os de pressão e coração. Ainda caminha, mas está com muita dificuldade.

  15. Cuido da minha sogra e está com o alzeimer a dois anos elactem 86 anos e agora usa sonda enteral pra se alimentar e tem horas q fica balançando cabeça será q é alguma dor .

  16. Meu pai está com 73 anos e no nível 5. É triste ver a pessoa que amamos ser tirada de nós cada dia um pouco, ver a doença progredir e não poder fazer muito coisa, pois não tem cura… Ele é muito bem cuidado, acompanhado por geriatra, toma dois modernos medicamentos e recebe muito amor e carinho, tenho medo do que enfrentaremos pela frente, mas com a família unida e a fé em Deus passaremos com serenidade.

  17. Boa tarde Dra.
    Minha mãe, 79 anos tb foi diagosticada com DA há 02 anos. Porém, passou a tomar Memantina e como por um milagre a suposta doença parece ter estacionado se não fosse a enorme dificuldade em se locomover e o grande ganho de peso, transtorno do sono 200 mg Quetiapina, Clonazepan 20 gotas, etc… Seria necessário uma nova avaliação ou pode ocorrer esta resposta tão positiva ao tratamento mesmo? Desde já agradeço a atenção.

  18. marcia, primeiro, tem que ver porque seu pai fez uma ressonancia, o motivo principal de ter ido a um medico e algum medico ter pedido isso. segundo, detalhes do caso. terceiro, grau da microangiopatia não descrita no laudo. ou seja, impossível te falar o que significa sem ter estes dados todos. sugiro passar com o medeico ou melhor, neuro que avaliou o seu pai.

  19. oi dra bom dia! Estou assustada pois recebi a RM do meu pai e está escrito: focos hipersinal na sustância branca periventricular observadas nas sequencias ponderadas T2 e Flair,o que significa isto?
    Desde já agradeço..
    Bjs

  20. celia, geralmente DA progride.
    se um paciente estaciona no quadro da demência, certamente, não deve ser DA, mas outro tipo de demência.
    das que podem estacionar, a mais comum é a vascular, desde que se trate fatores de risco cardiovasculares, e não haja recorrencia dos AVCs.

  21. Dra Maramelia, bom dia.
    Minha mãe foi diagnosticada com DA há 9 anos. Hoje ela está com 92 anos. Ela mora comigo, sou sua única cuidadora. Desde o início ela toma Rivastigmina oral e também Topiramato, pois foi diagnosticado Epilepsia do Idoso.
    Ela tem acompanhamento com neurologista e geriatra.
    Aí pergunto a senhora: Será que “estacionou” ou a piora do DA está bem lenta?
    Nem sei dizer em que estágio ela se encontra, pois come e toma banho sozinha (leva 3 blusas, 2 calças para o banheiro).
    Não está acamada. É agressiva as vezes. Guarda roupas sujas.
    Repete, repete, repete… ela quer ir para a casa dela. Faz a mala dela todos os dias. Desde o início comecei a frequentar a ABRAz, leio e participo de encontros, palestras, etc. O bom humor faz parte do nosso dia a dia. Não a deixo estressar. Cuido de mim também, faço terapia, tomo florais e as vezes vou ao cinema a tarde. Aqui em casa é somente eu e meu marido… as vezes ele fica com ela para que eu possa sair. Não tenho irmãos para dividir comigo. Abri uma comunidade no face para contar os dias dela: “Diva Limão, minha mãe”.
    Grata pela atenção.

  22. cuido do meu irmão ele ainda esta bem, mas deu para fumar que não sei o que fazer!

  23. Quando os pacientes com D. Alzheimer estão nas fases finais da doença, é importante ter um aconselhamento de equipes de cuidados paliativos, para conversar e discutir com os familiares quais eram as perspectivas e vontades do paciente, enquanto estava ainda lúcido. Isso é muito importante para direcionar o tratamento, mais ou menos agressivo e invasivo, conforme as dfiretivas antecipadas (se estas tinham sido explicitadas para a família e responsáveis…).

  24. Infelizmente meu pai que completou 90 anos está do estágio 6 para o 7.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *