Cefaleia crônica – Enxaqueca – Dor de Cabeça

Tags: cefaleia, dor de cabeça, dores de cabeça, enxaqueca, cefaleia crônica diária, cefaleia em salvas.

Por Maramélia Miranda **

O problema

A queixa de dor de cabeça é um dos sintomas mais frequentemente referidos nos atendimentos em um consultório ou ambulatório de Neurologia Geral. É uma condição muito frequente na população geral.

Tipos principais de cefaleia

Tecnicamente denominada de cefaleia pelos neurologistas, estas dores classificam-se em diferentes subtipos:

Cefaleia Primária – quando não há nenhum problema estrutural, como tumores, aneurismas, anomalias ósseas ou anatômicas, provocando a dor de cabeça, e várias pesquisas demonstram alterações químicas no organismos das pessoas com este tipo de cefaleia. Exemplos clássicos das cefaleias primárias são a cefaleia tensional e a enxaqueca.

Cefaleia Secundária – são as dores relacionadas a outras causas, como sinusites, distúrbios de articulação temporo-mandibular (ATM), tumores no cérebro, aneurismas cerebrais, meningites, hidrocefalias, sinusites, miopia, AVCs, etc.

Existem outros tipos menos frequentes, como neuralgia do trigêmio, cefaleia em salvas, cefaleia pós-orgásmica, que são dores mais raras e diferentes, bem diferentes das dores que costumamos chamar de “normais”. Aqui, falaremos das cefaleias ditas primárias, que são a enxaqueca e a do tipo tensional, e sua complicação mais temida, que é a transformação em cefaleia crônica diária!!!!

Cefaleia Crônica Diária

As cefaleias primárias (o tipo mais comum de cefaleia) podem evoluir com piora da frequência e intensidade das crises, chegando a se transformar em cefaleia crônica diária. Esta condição é caracterizada por sintomas de dor de cabeça quase todo dia, ou, em muitos casos, dores diárias, por longos períodos. Os critérios médicos para caracterizá-la são a ocorrência de cefaleia pelo menos por 15 dias, por um período mínimo de 3 meses.

A cefaleia crônica diária está comumente relacionada também ao uso excessivo de analgésicos orais, em virtude da desinformação dos pacientes, da facilidade com que se tem acesso aos analgésicos em farmácias, e devido à frequente auto-medicação das pessoas.

Abaixo, alguns pontos importantes sobre a cefaleia crônica diária e como lidar com esta condição tão incapacitante.

Frequência da cefaleia crônica diária na população

Cerca de 3 a 5% da população adulta mundial sofre de cefaleia crônica diária importante o suficiente para causar algum tipo de incapacidade. A cefaleia crônica é a segunda causa mais comum de consulta neurológica ambulatorial, perdendo apenas para os transtornos psiquiátricos, como a depressão e o transtorno de ansiedade.

Os subtipos mais comuns de cefaleia crônica diária são: a enxaqueca transformada, a cefaleia tensional crônica e a hemicrânia contínua. Destes tipos todos, a enxaqueca transformada e cefaleia tensional crônica são as mais prevalentes na população.

Fatores que predispõem os indivíduos a ter cefaleia crônica diária

A concomitância de outros problemas de saúde, como distúrbios reumatológicos ou ortopédicos associados, fibromialgia, síndrome miofascial, artrose ou hérnias de disco, além de fatores como o gênero (sexo feminino),  uso excessivo e indiscriminado de analgésicos, sintomas psiquiátricos, como a depressão e a ansiedade, presença de obesidade ou consumo exagerado de cafeína e derivados, estão entre os fatores predisponentes para o desenvolvimento de cefaleia crônica.

Enxaqueca transformada

É a ocorrência de dores de cabeça em caráter diário ou quase diário (mais de 5 vezes por semana), quando estas começaram de um quadro típico de enxaqueca esporádica. A enxaqueca que se apresentava em crises intensas, mas com intervalos longos sem dor, pode, ao longo do tempo, evoluir com crises mais frequentes, e chegar ao ponto de crises de dor todos os dias.

Muitos pacientes apresentam a dor diária, sem as características típicas associadas ao quadro de enxaqueca (enjôos, vômitos, intolerância à claridade, ruídos e odores). A enxaqueca comum é frequentemente esporádica, ocorre apenas algumas vezes por mês ou algumas vezes por ano, com crises intensas acompanhadas de náuseas ou vômitos, fotofobia e intolerância ao barulho. A enxaqueca transformada é uma cefaleia crônica, ocorrendo quase todos os dias, menos intensa e que não responde aos analgésicos, podendo inclusive ser induzida ou piorar com o uso frequente e crônico de analgésicos.

Sintomas relacionados à cefaleia crônica

É comum ocorrerem queixas associadas de sono de má qualidade, insônia, dores no corpo, irritabilidade, ansiedade, depressão, alterações do apetite e do humor ou queixas gastrointestinais.

Exames Complementares para investigar as cefaleias crônicas

Somente 1% dos pacientes que tem cefaleia crônica com exame neurológico normal vão apresentar algum problema importante na cabeça, e somente 1 em cada 1000 pacientes terá alguma doença tratável cirurgicamente. Portanto, exames de imagem não são necessários na maioria dos pacientes atendidos. Casos em que estes exames podem ser necessários:
• Cefaleia iniciando após os 50 anos de idade (causas: tumores, arterite temporal).
• Cefaleia intensa e de início súbito (causas: hemorragia subaracnóide, encefalopatia hipertensiva).
• Aumento rápido da frequência e da severidade das cefaleias (tumores, outras lesões intracranianas).
• Cefaleia em pacientes com outras doenças infecciosas ou imunidade baixa (linfoma primário do sistema nervoso, neurotoxoplasmose, meningite criptocócica e outras doenças oportunistas).
• Cefaleia em pacientes com câncer (metástases meníngeas ou parenquimatosas).
• Cefaleia de início recente (dias) acompanhada de febre, rigidez do pescoço e confusão mental (causas: meningites, encefalites, abscessos).
• Presença de secreção nasal purulenta ou sinais de gripe (sinusite)
• Presença de hipertensão arterial (encefalopatia hipertensiva, AVC isquêmico ou hemorrágico, feocromocitoma).
• Cefaleia com alterações visuais – embaçamento ou turvação da visão – papiledema no fundo de olho (tumores, neurite óptica, hipertensão intracraniana benigna).
• Cefaleia com alterações no exame clínico-neurológico
• Cefaleia após um traumatismo craniano (hematomas, infecções).

Tratamento da cefaleia crônica diária

A medida mais importante: parar de tomar todos os analgésicos. Quando o indivíduo chega ao ponto da cefaleia crônica diária, uma boa parte deles geralmente já andam o tempo todo, no bolso, na sua bolsa, com vários tipos de remédios para a dor, o que indica o fato do uso abusivo destes medicamentos. Este uso indevido leva à perpetuação do ciclo da dor, ou seja, o próprio analgésivo gera cada vez mais e mais dor.

Nesta fase, o doente/paciente deverá procurar o auxílio de um neurologista clínico, iniciar o uso da medicação preventiva – diária prescrita, e neste início do tratamento as dores vão piorar, e o paciente terá que aguentar alguns dias, até o medicamento preventivo fazer algum efeito. Detalhe: deverá aguentar a dor SEM TOMAR NENHUM ANALGÉSICO. Concomitantemente, os pacientes devem usar a medicação preventiva de dor, além de procurar fazer atividades físicas, que melhoram os sintomas de dor crônica na maioria dos casos.

Importante: saber que o tratamento desta condição é a médio e longo prazo, no mínimo por 3 a 4 meses, podendo se extender até 12-24 meses, dependendo da gravidade e do tempo de sintomas referidos.

Complicações dos pacientes não tratados ou diagnosticados tardiamente

Piora da qualidade de vida, depressão, ansiedade por achar que tem uma doença grave na cabeça e perda de produtividade no trabalho ou escola. Ou simplesmente passar anos e anos tendo dores de cabeça todos os dias. OU SEJA, viver continuamente com dores de cabeça.

Conselhos principais para os pacientes que sofrem de cefaleia crônica diária:

Parar imediatamente o uso abusivo de analgésicos para a dor.
Procurar URGENTEMENTE um neurologista clínico — para iniciar um tratamento preventivo e eficaz.
Mudar o estilo de vida – prática regular de atividade física, dieta saudável, perda de peso, sono adequado, etc.

** Dra. Maramélia Miranda é neurologista com formação pela UNIFESP-EPM, especializada em AVC e Doppler Transcraniano, editora do blog iNeuro.com.br.

 

VOCÊ VAI QUERER VER TAMBÉM…

Cefaleia em Salvas

Cisto de Aracnoide

 

310 thoughts on “Cefaleia crônica – Enxaqueca – Dor de Cabeça”

  1. Olá, meu nome Dayana tenho 32 anos e estou com Muita dor de cabeça, depois que tomei a vacina contra a febre amarela não sou mais a mesma, não sei se estão relacionados com a mesma. Mas a minha dor já dura uns 17 dias as vezes intensa ou fraca mas ela está ali.dia após dia já fui ao médico Upa primeiro me falaram que era obesidade e depois que só era uma gripe muito forte me deram antibióticos e analgésicos mas infelizmente não passa. E hoje fui ao posto de saúde e estou com suspeita de tuberculose além do exame para fazer ainda me deram mais analgésico , minha dor não passa, meus sintomas dor não muito intensa na cabeça o dia todo e quando aumenta a densidade e maior no lado direito. A dor em si pega a base toda do crânio, ouvido não doi mas dentro e uma dor só e sinto que está descendo para garganta as vezes minha boca doi como se todos os dente estivessem moles é horrível. Enfim se vc é médico e está lendo isso é tem outro parecer ou alguma pergunta a fazer por favor me ajuda. Pois não estudei mas dentro de mim diz que não é tuberculose. Fico no aguardo.desde já obrigado

  2. A mais ou menos 15 dias , tenho sentido uma dor de cabeça que não passa nem com mais de um analgésico . A dor é na cabeça, testa, no osso do nariz e nos olhos as vezes. Não é intensa (forte demais ) porém contínua. Estou com muito medo de estar com algum problema muito grave tipo aquela doença que prefiro não falar o nome. Só sei que estou sofrendo com isso. Já tomei nimesilida entre outros e nada. E o medo é maior do que a dor.

  3. Eu estava sofrendo muito com dores que começaram na face,achava que fosse sinusite de tão forte, tomei 20 dias de antibiótico que só pioraram minha situação pois não era sinusite e sim enxaqueca, procurei em vários sites pelos meus sintomas a maioria dos sites diziam que era sinusite,até que passei com um neuro e ele me disse que era enxaqueca e precisava tratar com um rémedio preventivo de enxaqueca, estou deixando meu relato aqui pois sei o quanto eu sofri e sofro com essas crises diárias que são tão fortes que as vezes até penso que algo mais sério ,graças a Deus não é.
    Meus sintomas são: Dor no rosto muito forte como se estivesse repuxando próximo ao osso do nariz ,sinto secreção escorrendo pela garganta ,as vezes tenho calafrios ,sinto uma pressão muito forte próximo a testa rosto e cabeça ,parece que algo apertando minha cabeça ,as vezes fico um pouco enjoada e me falta concentração bom esses são alguns sintomas.
    Boa sorte a todos que passam por essa situação ,lembre-se somos mais forte que isso.

  4. Zilma. Fiz cirurgia. De chiari. Mal formacao fiz cirurgia. Mas ainda sinto muitas dores de.cabeca

  5. Boa tarde doutor fiz cirurgia de mal formacao dechiari a.2. A nos. Ainda sinto muitas dores de cabeça

  6. Tenho dores de cabeça todos os dias foi minha testa meus olhos e meu rosto inteiro amanhece inchado mais não é sinusite pois já fiz exame e dói mais de um lado da cabeça

  7. Bom dia eu tive uma crise de estresse no trabalho e me deu crises de ansiedade mas já passou infelizmente não passou minha dor de cabeça tenho todos os dias principalmente no lado direito do rosto e no meio da cabeça dói minha testa e meu olho e minha fase inteira amanhece inchada não tenho consiste já fiz exame o que eu faço por favor me ajude

  8. Hoje me consultei com um neuro e ele me diagnosticou com cefaléia crônica diária e evolução migrânea crônica sem tratamento ..
    Ele me receitou um remédio de tratamento ..
    Irei começar hoje o tratamento …
    Tem mais dicas de como combater essas dores?

  9. Dr tenho dores horriveis ha 25 anos,quase nao saiu de casa por medo da dor.estou com 56 anos .tomo naramig todos os dias antes de dormir ,se esquecer acordo de madrugada louca de tanta dor .ja passei com varios neuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *