Síndrome das Pernas Inquietas

Por Maramélia Miranda**. Atualização em Junho de 2018.

Tags: pernas inquietas, distúrbio do sono, dormência nas pernas, síndrome das pernas inquietas, pernas irriquietas, restless leg syndrome,

 

A Síndrome das Pernas Inquietas ou irriquietas (SPI) é uma doença neurológica que se caracteriza pela sensação desconfortável sentida nos membros inferiores, quando se está em posição sentada ou deitada, com a necessidade urgente de levantar-se, caminhar ou movimentar as pernas.  A SPI pode começar em qualquer idade, mas costuma acometer adultos na maturidade, e piora com o envelhecimento. Pode causar distúrbios do sono, levando à sonolência durante o dia, e ser um fator de estresse durante as atividades de vida diária dos indivíduos acometidos, sobretudo em relação às atividades sociais, de trabalho e lazer.

Sintomas

Os sintomas mais comuns variam conforme o tipo de acometimento e queixas referidas pelos pacientes, e podem incluir:

  • Sintomas diurnos: Começam durante uma parada de atividade das pernas durante alguma atividade do indivíduo, quando se está deitado e parado, ou sentado por algum tempo, como, por exemplo, numa missa, apresentação, aula, palestra ou evento afim, em um teatro ou cinema. Esta sensação pode ser descrita de várias formas, como “coceira”,  “alfinetadas”, “comichão”, “formigamento”, “agonia”, “friagem”, “pernas querendo movimentar-se sozinhas”, etc. Os sintomas são aliviados pelo movimento, desde o simples esticar das pernas, até, mais frequentemente, o levantar e andar um pouco. Entretanto, algumas pessoas podem combater as sensações apenas balançando as pernas ou batendo os pés no chão. Estas formas de aliviar os sintomas principais é que deram o nome à síndrome (pernas irriquietas).
  • Piora dos sintomas à noite. Uma boa parcela dos pacientes apresentam os sintomas mais neste período do dia, com queixas de dificuldade em pegar no sono, por causa da sensação ruim assim que deitam-se na cama para dormir. Outros casos, entretanto, podem ter uma associação desta dificuldade ou insônia inicial, com a presença de movimentos ritmados nas pernas durante o sono mais profundo, situação que pode caracterizar o transtorno de movimentos periódicos do sono. Nestes casos, é comum a queixa de sonolência durante o dia.

Como ter esse diagnóstico?

É baseado nos sintomas referidos pelos pacientes, geralmente bem característicos, e na forma de alívio encontrada na história apresentada. Algumas condições são consideradas fatores de risco para o desenvolvimento da SPI, como história de algum familiar com a doença, a gravidez, que pode desencadear a abertura dos sintomas, deficiência de ferro, neuropatias periféricas e distúrbios metabólicos, como a insuficiência renal crônica.

Para o correto diagnóstico da SPI, o Grupo de Estudo Internacional em SPI – ” International Restless Legs Syndrome Study Group” – considera a presença de SPI quando há os quatro ítens descritos abaixo:

  • – Presença de forte, urgente e irresistível vontade de mover as pernas, acompanhada de sensação de desconforto destas. As sensações podem ser descritas como: formigamento, espetadas, ferroadas, repuxões, coceira ou agonia.
  • – Os sintomas se iniciam ou pioram quando do repouso, em posição sentada ou deitada.
  • – Os sintomas melhoram parcial e temporariamente com a atividade, como andar ou esticar as pernas.
  • – Os sintomas são mais intensos à noite.

Exames de sangue ou testes de condução nervosa e/ou muscular (eletroneuromiografia) podem ser realizados para excluir outras causas de SPI. A polissonografia, embora não necessária para a confirmação clínica, costuma ser pedida por causa da associação frequente da SPI com movimentos periódicos do sono. Na maioria dos casos não se identifica uma causa básica para a ocorrência da SPI.

Como tratar a Síndrome das pernas Irriquietas?

O tratamento baseia-se no uso de medicações para o alívio dos sintomas e melhora da qualidade de vida, sobretudo no aspecto do sono, para aqueles com as formas mais noturnas, e no aspecto social, para aqueles com sintomas mais diurnos, de inquietação das pernas quando do repouso, em eventos no trabalho ou atividades de lazer, como em viagens de avião, por exemplo.

Geralmente são usados medicamentos como o pramipexole, a levodopa / benzerazida, a gabapentina e diazepínicos. Estudos controlados publicados em 2012 observaram boa resposta ao tratamento com pregabalina. A reposição de ferro ou o tratamento da neuropatia periférica é realizada nos casos específicos com estas alterações.

O prognóstico e a evolução dos pacientes com SPI é bom, e a doença não costuma ter complicações a longo prazo. A informação sobre a doença aos pacientes e familiares é muito importante, para se evitar a peregrinação em diversos médicos e especialistas, e a realização desnecessária de muitos exames diagnósticos, à procura inadvertida de alterações reumatológicas ou da circulação nas pernas, exemplos não tão incomuns de acontecer.

 

 

** Dra. Maramélia Miranda é neurologista com com residência e pós-graduação realizados na UNIFESP-EPM, especializada em AVC e Doppler Transcraniano, e editora do blog iNeuro.com.br.

81 thoughts on “Síndrome das Pernas Inquietas”

  1. Gente, se a vitamina B12 estiver baixa pode causar esse problema. Vão ao médico e peçam o exame!
    A deficiência de B12 causa estragos na qualidade de vida das pessoas, inclusive insônia, depressão, ansiedade. Pesquisem no Youtube sobre B12. Abraços!!

  2. Tenho 77 anos e estou com este problema que atrapalha o sono logo que deito.Uso CPAPS mas não sinto alívio e nem durmo.Durante o dia tenho muito sono e cansaço o que me dificulta fazer as atividades domésticas na pandemia.Sou operada prótese nos dois joelhos o que dificulta exercícios indicados.Qual medicamento me indicaria pois estou desesperada.Só me indicar pois x consigo a receita com parentes ou meu médico. São 3 horas. e não xxg consigo dormir.Grata.

  3. Que coisa horrível esse sentimento de desconforto, gastura nas pernas ao deitar….
    Comecei com. Esses sintomas há 3 anos, mas agora muito intenso e tem prejudicado de maneira enorme o meu sono……com o deito e essa perna das o finiquito, não durmo…. Aí tenho que ficar com a insonia…estou a praticamente 3 meses sem dormir a.noite toda, minha noite fica toda picotada, mesmo tomando Zolpidem para dormir….

  4. hoje acordei com uma dor enorme na perna esquerda, como se estivessem sendo rasgadas ou como uma faca estivesse me machucando, porém não conseguia fala ou me movimentar muito só voltava a dormir.

  5. Eu tenho essa doença a 48 anos. Sempre me incomodou! No geral consigo conviver assim. O ruim é qdo estou em público e não consigo ficar com a perna parada. As pessoas ficam olhando e isso causa constrangimento. Mas ao contrário de muitas pessoas eu não tenho insônia. sinto muito sono. As vezes o dia todo.

  6. Bom dia, sofro muito com essa inquietação nas pernas, tomo o estabil 0,125 que ajuda muito mais é uma loteria as vezes durmo às vezes não, mais a uns 10 dias além do stabil estou tomando um suco de beterraba com cenoura e acreditem estou dormindo como se não tivesse nada, fica a dica não custa tentar

  7. Minha filha tem 9 anos , percebi isso desde dos 4 anos de idade dela . Mas antes ela só se movimentava e eu ia acalmando e pressionado a perna dela e massageando para dormir. Hj com nove anos ela fica chutando e esfregando as pernas na cama e não consegue dormir . Ontem ela teve que pegar o gibis até conseguir dormir. Mas cedinho acordou e foi pra sala.
    Espero que isso passe tadinha . E só na hora de dormir que percebo. De manhã como ela não para então nem percebo e ela também nunca reclamou

  8. Eu não sinto dor, só uma necessidade de balançar a perna o tempo todo, antes eu nem percebia, agora esse balançar me incomoda, eu faço isso o dia todo as vzs até em pé , no início até me ajudava a pegar no sono a noite, agora me estressa. Quando consigo parar me dá sensação de paz, mas é muito difícil parar

  9. Há uns 3 meses minhas pernas vivem latejando o tempo todo. Se eu estou em movimento eu nao percebo, mas o simples fato de eu sentar ou deitar e ja começo à senti- las. O engraçado é que se eu ficar movimentando elas eu nao sinto mas se paro por uns segundos ja começo à sentir novamente. Posso sofrer disso?

  10. Sofro com isso a 20 anos, tenho 42.
    Nunca procurei um medico porque nem sei como explicar uma coisa dessas, eu sinto uma agonia nas pernas e principalmente nos pés, so acontece quando estou quase dormindo, nao tenho certeza se é a spi mas e muito parecido os sintomas, no aviao acontece bastante em viagens longas.
    A cerca de 1 ano comecei por conta propria a tomar calcio elementar 600 mg, ou carbonato de calcio 600mg, melhorou 80% essa coisa , mas tenho que tomar todo dia , se paro um dia sequer começa tudo de novo.

  11. Toda vez que vou me deitar tenho que ficar esfregando as pernas na cama assim me sinto relaxada e mais forte do que tenho que ficar esticado elas tbm, meu marido fica brava cmg.
    Qdo sento tenho que ficar balançando as pernas.

  12. Boa tarde companheiros. Tenho 54 anos, eu sinto formigamento frequente nos braços e pernas que atacam mais no inverno e a noite. A minha situação melhora quando estou em movimento e faço alongamentos e massagens frequentes. Acabei encontrando os materiais certos para diminuir esta sensação. Pressionar as partes doloridas com rolo de borracha que compresse o nervo tem dado certo, não tomo nenhuma medicação, e levanto no outro dia aliviada de dores e bem disposta. Encontrei o meu jeito espero que vocês também consigam encontrar o jeito de vocês

  13. Olá na segunda tive inflamação no nervo ciático desde então par de da panturrilha ficou dormente e com muita coceira e pesada não consigo dormir faz cinco dias que estou assim .o que posso fazer p aliviar a coceira .

  14. Boa noite! Sempre que deito pra relaxar, sinto minhas pernas pular, e não consigo controlar Isso é horrível.. Eu sempre pensei que fosse falta de circulação. Isso ainda pare e muito confusa em minha mente. Mas o problema maior é a noite pra dormir. O que tem me ajudado é o alongamento antes de dormir…

  15. Sinto essa agonia ,acordo a noite com essa angústia, não sabia o nome,mas é um martírio,vontade de esticar as pernas e a sensação não passa ,da um desespero tão grande.descobri que tenho pernas inquietas…Bendito Google…

  16. Tenho isso desde pequena. Puxei minha mãe. Há pouco tempo descobri uma solução simples que salvou minhas noites de agonia. Passo Vick Vaporub nas pernas e massageio. Melhora em menos de 5 minutos. Não fico mais sem o Vick em casa! Experimentem..

  17. Tenho esse problema também que gera muito incômodo, o único medicamento que resolve para mim é o DICLORIDRATO DE PRAMIPEXOL 0,125, porém só é possível adquirir com receita médica.

  18. Já fazia meses que eu não sentia, e ontem voltei a sentir novamente o formigamento nos pés do joelho pra baixo, é terrível, sempre minha irmã puxa e alivia mais, não sei mais o que faço pra dormir

  19. Nossa ja não durmo mais,q coisa horrivel,sinto muita agonia na parte detrás dos joelhos,durmo e acordo com esaa agonia e nao consigo maos dormir,fica muito irritada,isso so acontece depois q durmo…

  20. Bom-dia! Realmente, é uma agonia. Não dá para explicar bem o que se sente. Muito desconfortável, vontade de espreguiçar as pernas com toda a força, apertar os músculos das nádegas, bater nas nádegas e nas coxas, esticar bem o corpo. Não sinto dor, apenas uma sensação ruim que vem de dentro, que me faz querer mexer os membros inferiores.Faço tratamento há anos com neurologista e obtive melhoras sensíveis com os medicamentos. Entretanto , ultimamente passei a ter sensação de braços gelados, frio nos braços, ainda que eles continuem quentes ao toque, mesmo no calor, e dormência nas mãos. Uma leve sensação de insensibilidade na nuca e cabeça. O médico diz que faz parte do avanço da doença.

  21. Com o intuito de contribuir, gostaria de dizer que no meu caso, o uso do cloreto de magnésio P.A. interrompeu os sintomas da sindrome das pernas inquietas, minutos depois do uso. Desde então consumo diariamente e não tenho mais sofrido o incômodo há mais de um ano

  22. Sofro com isso á vinte anos. Sempre ia ao médico, e não sabia explicar o que sentia.
    Eles até riam, quando eu dizia a palavra , gastura e me passavam anti- depressivos fortes.
    De tanto pesquisar, descobri que tenho esse problema.
    Mas, sinto também nas mãos e pés. Me atrapalha muito, não consigo dormir e quando estou sentada, também sinto. É um desconforto tão grande e me deixa muito nervosa.
    Até hoje, convivo com esta síndrome.

  23. Bom dia.
    também tenho esse problema mas com uma peculiaridade: ocorre de tempos em tempos. Geralmente acontece por 5 ou 6 noites seguidas, ficando um mês sem se manifestar. Geralmente uma boa alongada resolve o problema, que raramente aparece no meio da noite pois quase sempre ocorre alguns minutos após deitar. Acontece também no avião, então voo noturno é um problema pois não dá para ficar se alongando no corredor. O mesmo acontece em viagens de ônibus.
    Não sei se este sintoma tem relação com Epilepsia Focal e Crise Jacksoniana, que eventualmente apresento sintomas. Boa sorte a todos.

  24. Boa noite! sinto uma agonia nas pernas como se fosse uma vontade de espreguiçar,mas mesmo fazendo não passa. Quando estou sentada tenho muita vontade de mexer e fazer exercícios que exige força e quando estou deitada também acontece isso,vontades de chutar ou algo parecido da a sensação de muculos atrofiados.

  25. sinto esse desconforto toda noite desde segunda não estou conseguindo dormir o qie faço!!!minha agonia e na junta atrás do joelho como se a veia estivesse se mechendo e muito ruim issocomo ppsso ter uma boa noite de sono??

  26. Quando fico muito tempo sentado ou estou nervoso minhas pernas começam a se balançar de um lado para o outro sem que eu perceba minha mulher fica muito brava e eu não consigo controlar o quê eu posso fazer?

  27. Oi estou com agonia nas pernas e no restante do corpo quase fico doido quando deito sinto muita dores também nas juntas do corpo e muito sono durante o dia principalmente na hora do expediente de trabalho

  28. Boa noite! A mais de um ano venho sentido cócegas na parte de trás de minha coxas, esse sintoma se intensifica á noite quando estou no sofá e na cama. Um médico já me passou remédio para circulação. Mas, ninguém tem certeza de nada. Será que poderia ser essa sindrome?

  29. Meu problema que quando estou dormindo minhas pernas levantam sozinha, meu marido diz que isso é estranho. Incrível quando estou dormindo não sinto nada.
    O que será ?

  30. Boa noite, Acordo todas as noites por volta das 2 da manha e tenho a sensacao horrivel de desconforto nas minhas pernas e pes. Sinto uma agonia tao grande, que se eu pudesse eu arrancaria as pernas fora e so as colocaria novamente pela manha ao acordar. Comeco a estralar as pernas e pes, e nao consigo parar de mexer um so minuto. Essa sensacao perdura ate 3 horas, quando entao meu corpo exausto acaba caindo no sono. Tenho o mesmo problema em ambientes fechados, como aviao, teatros, ou lugares apertados como carros lotados. Imaginava que fosse especie de claustrofobia associada a ansiedade. Tive esses sintomas na minha gravidez e faz mais de 1 mes que voltei a ter novamente. Minha mae tem o mesmo sintoma. Tento aliviar essa sensacao colocando as pernas para cima na parede ate sentir amortecer, quando entao me deito novamente e tento dormir. Apos ler esse texto maravilhoso e esclarecedor, vou procurar um neurologista urgentemente. Muito obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *