Amnésia Global Transitória

Tags: Amnésia lacunar; Amnésia global transitória; amnésia transitória; perda de memória repentina; amnésia repentina.

Por Maramélia Miranda ** (Atualizado Setembro de 2018)

O que é Amnésia Global Transitória??? É um quadro neurológico onde ocorre uma súbita perda da memória e da orientação temporal e/ou espacial, e cuja causa não está associada às condições neurológicas mais comuns, como epilepsia ou AVC. O sintoma principal é a pessoa ficar, de repente, desorientada, sem saber onde está ou o que está fazendo. Os maiores fatores de risco conhecidos para a amnésia global transitória são a idade, geralmente ocorrendo em maiores de 50 anos, a ocorrência de episódios de estresse ou esforço físico antes do evento, e é comum ocorrer em pessoas com antecedentes de enxaqueca.

Sintomas. Durante o episódio de amnésia global transitória (AGT), o sintoma principal é a pessoa geralmente não saber onde está, ou onde estava, o que estava fazendo ou qual atividade iria fazer; os sintomas começam de forma súbita, e muitas vezes a pessoa afetada fica fazendo perguntas de forma repetitiva, esquecendo no minuto seguinte o que acabou de falar, mas permanecendo com a linguagem, coordenação, fala e a força muscular totalmente normais. Ocorre uma falha na habilidade de guardar novas memórias, e de recordar fatos da memória recente. Não há alteração na autopercepção, de quem são ou das pessoas que conhece, apenas uma alteração da memória em relação aos fatos ou lugares, ou até algumas pessoas conhecidas, na maioria das vezes levando a questionamentos e intensa preocupação de como é que pode estar acontecendo aquela falha da memória de forma tão estranha e repentina.

O quadro dura geralmente algumas horas, e há uma recuperação gradual e lenta, quase nunca ultrapassando 24 horas.

Durante o episódio, o ideal é que haja alguém da família ou amigos que testemunhem os fatos ocorridos, para que depois possa ser caracterizado o quadro como sendo AGT, uma vez que os pacientes não saberão explicar ao neurologista o que aconteceu durante e ao final dos sintomas, em virtude da falha lacunar da memória naquele período de horas.

Quando o episódio de AGT termina, o paciente geralmente não se lembra de nada do que aconteceu, e não consegue recuperar algumas memórias de horas antes do início do quadro. Muitos pacientes podem começar a relembrar em forma de “flashes”, algumas coisas do evento, sendo extremamente raro a pessoa acometida voltar a se lembrar de tudo do ocorrido.

Fatores de risco.Um dos fatores de risco mais recentemente relacionados à AGT é a insuficiência venosa jugular, condição onde há um retorno do sangue pelas veias jugulares, em direção contrária do seu fluxo habitual, ocasionando ingurgitamento da circulação venosa no cérebro, e sendo esta fisiopatologia a causadora de edema e da falha dos mecanismos de memória nas regiões temporais, mais especificamente dos hipocampos. Nesta linha de fisiopatologia, a ocorrência de crises de AGT relacionadas a grande estresse, brigas, discussões, esforços físicos, durante ou após realização de academia, atividade física ou relação sexual, atividades físicas em geral, pegar muito peso, crises de diarréia, ou de constipação, crises de vômitos recorrentes, ou seja, todas estas condições onde o nosso organismo responde com um aumento da pressão intra-abdominal, a chamada manobra de Valsalva, tem sido fatores bastante correlacionados à AGT nos últimos anos.

Como é feito o diagnóstico? Para o correto diagnóstico da AGT, é necessário, portanto, haver:

  • perda temporária da memória, presenciada por uma testemunha, durando algumas horas; 
  • cognição normal (habilidade de reconhecer objetos pessoais, dirigir carro, ou seguir comandos simples, por exemplo);
  • identidade pessoal e reconhecimento de pessoas conhecidas e familiares intacta, apesar da perda aguda da memória;
  • ausência de sinais indicando uma lesão particular no cérebro, como, por exemplo, fraqueza em algum membro do corpo, boca torta, fala enrolada, dormências, movimentos involuntários ou déficit de linguagem;
  • duração do evento não mais do que 24 horas, sempre com retorno gradual da memória;
  • sem evidência de epilepsia ou crise convulsiva durante o episódio, mesmo que do tipo parcial ou parcial complexa, e sem antecedentes de epilepsia ou trauma craniano recente.

A AGT é uma condição que não costuma deixar nenhuma sequela ou alteração na memória dos pacientes, após o término dos sintomas. Estes dados são fundamentais para tranquilizar os pacientes e suas famílias.

Exames complementares. Os testes diagnósticos a serem realizados incluem exames para investigar um possível AVC ou episódio epiléptico: tomografia e/ou ressonância magnética da cabeça, angiorressonância da cabeça, triagem para fatores de risco cardio e cerebrovasculares, e um eletroencefalograma (EEG) para descartar doença ou episódio de origem epileptogênica. É importante a investigação de fatores psicossomáticos e transtornos psiquiátricos associados, que costumam se relacionar à ocorrência de AGT.

Um exame que recentemente tem sido descrito com alterações em pacientes com AGT é a pesquisa de insuficiência venosa crônica, através do ultrassom venoso cervical para investigar esta condição. O problema é que são poucos os lugares que realizam este exame.

Tratamento. Na fase aguda, na hora dos sintomas de alteração da memória e orientação, não há tratamento específico, apenas resguardar e tranquilizar o paciente para que não faça nada “errado”, sem perceber. Geralmente a recuperação ocorre ao longo das horas subsequentes ao início do quadro. Após a análise dos exames complementares, a terapia é direcionada conforme a possível causa, se esta foi de alguma forma identificada: na possível etiologia vascular, costuma-se prescrever antiagregantes plaquetários; caso seja um episódio com suspeita de evento epiléptico, indica-se o uso de anticonvulsivantes. Casos relacionados a transtornos psicológicos / psiquiátricos costumam responder bem ao tratamento das comorbidades psiquiátricas associadas. Em situações onde é feito o diagnóstico de insuficiência venosa crônica, medidas para evitar a ocorrência deste refluxo jugular podem ser realizadas (tratamento de constipação, evitar treinos com mudanças súbitas de intensidade física, treinamentos em crescendo, etc…).

 

** Dra. Maramélia Miranda é neurologista da UNIFESP-EPM, especializada em AVC e Doppler Transcraniano, editora do blog iNeuro.com.br.

169 thoughts on “Amnésia Global Transitória”

  1. Sempre tive lapso de memória, tipo estava conversando e alguém pergunta algo, começo a pensar para responder mas a resposta parece cada vez mas distante parece que fico em transe e sempre me dizem que eu fico dizendo, aí, aí, aí, aí[…]
    Certa vez uma amiga me perguntou se eu queria fazer uma diária na loja do esposo dela, concordei e fui trabalhar na loja, onde vendem produtos naturais, pouco tempo depois, entra uma cliente na loja e pergunta se tem hibisco, é a última coisa que me lembro, o esposo da minha amiga disse que a moça perguntou diretamente pra mim se tinha hibisco ” não lembro de vê la, somente da voz” e ele disse que eu não parava de perguntar hibisco? hibisco? hibisco?
    Dizendo ele em tom de deboche que a mulher respondia sim hibisco, e mesmo assim eu continuava perguntando, deixando a mulher constrangida e confunsa.
    Passado alguns minutos eu recobrei a consciência e olhei para responder a moça, mas ela não estava mais lá, e foi quando ele me disse o que havia acontecido e ficou me zuando.
    Fico constrangida quando isso acontece pois sempre fico com cara de bocó, perguntando de olhos arregalados e boca semi aberta, eu sei por que aos poucos minha mente vai voltando e eu sei que tive em transe olhar vago e boca aberta e seca.
    Não sei quanto tempo dura essa especie de transe mas creio que minutos pois o tempo que enrolei a moça, dele atender ela, pegar o produto pagar e ir embora. Kkkk

  2. Minha mãe veio na minha casa passear sozinha, iria fazer pão pra mim. Chegou, tomou café e logo depois começou a sentir-se mau, sem entender e com muita náusea pensou ser no fígado o problema.. então tomou cha de boldo deitou e dormiu.. quando acordou vomitou muito.. é não conseguiu comer o pão que daí eu fiz.. foi embora ruim, esqueceu suas coisas que nunca deixa.. e direto pra cama dormir.. no outro dia eu liguei para ver como ela estava e ela não lembrava de nada do que fez.. nada mesmo.. nem que levantou cinco vezes para vomitar mais.. liguei várias vezes depois e ela não lembrava da ligação anterior minutos antes e explicava novamente que estava mau.. fiquei desesperada, pensei em AVC.. agora que li esta matéria lembrei que ela já teve isso uns anos atrás após os 50 anos.. hoje ela tem 59.. aos poucos foi voltando as lembranças nas não tudo.. ela acha que está bem.. mas estamos preocupados.. ela tem histórico de Alzaimer na família (pai dela) que exames devemos fazer? Obg pela materia

  3. Ontem fui caminhar com minha namorada e filha num parque, um percurso de 1.5km cada volta.
    A 1a volta fizemos juntos e a partir da 2a decidi ir na frente correndo. Ao completar a 2a volta correndo e bastante cansado, ligo pra minha namorada e elas dizem que já estavam na frente dando a 3a volta.
    Não lembro delas terem me passado andando e eu correndo (ou na vdd posso ter parado em algum lugar e não lembro?). Pode ocorrer memória por alguns minutos?

  4. No dia 15 de Novembro, feriado, era nove horas da manhã quando acordei com dor forte no abdômen como se fosse uma cólica na região do estômago, só que a dor andava para os lados. Gritei meu marido que já havia levantado, pedi socorro e ele já me levou pro médico. Ainda em casa tive perda da memória, ficando 16 horas conversando, obedecendo comandos mas não me lembrando de nada. Só perguntava várias vezes a mesma coisa.
    Aquele 15 de Novembro apagou da minha memória. Depois disso percebi alguns esquecimentos de coisas importantes como a senha do cartão, forno ligado e falar palavras com sílabas de trás pra frente. Faz uns 7 dias que por mais uma vez perdi a memória fazendo almoço. Num piscar de olhos é como se eu tivesse chegado ali aquela hora. Perguntei: – Quem fez o almoço? Tá tudo pronto, vou arrumar a mesa, daí ja voltei ao normal. E as duas vezes eu estava calma, não tem brigas em casa, tudo normal.
    Ainda não fui ao neurilogista.
    Se for AGT, é passageiro?

  5. Boa tarde… ocorreu um episódio em que estava jogando futebol em um campeonato, quando fiquei tonto, voltando a consciência apenas 5 horas depois, testemunhas dizem que perguntava diversas vezes a mesma coisa e até hoje não lembro desse dia

  6. Guilherme, os sintomas relatados não parecem em nada com AGT. Na verdade, são atípicos para doenças neurológicas em geral. Sugiro que procure o neuro assistente, ou psiquiatra, para avaliação formal (exame clínico, anamnese, avaliação de neuroimagens disponíveis, etc).

  7. Vera, O sintoma que vc descreveu não parece AGT, mas algum tipo de ausência, pois AGT não dura alguns segundos.
    Procure um neuroclinico na sua cidade. Convém fazer o exame clinico, ressonancia e EEG, pelo menos.

  8. Hj me aconteceu uma coisa muito estranha, nunca antes acontecido. Estava dirigindo por uma estrada que passo sempre e de repente eu nao sabia onde estava, estranhado aquela estrada, nao sabendo se estava indo ou voltando, mas nao estava me sentindo mal, só me sentia estranha. Demorou uns segundos para eu saber onde estava, como se eu estivesse no automático.

  9. Minha namorada perdeu a memória de 2017 pra trás. Agora só se lembra de 2017 em diante. Mas quando ela sonha acordado de madrugada ela só lembra do passado até 2017, fala e conversa, ate anda pela casa. Mas quando acorda de verdade durante o dia não lembra de nada que ocorreu de madrugada. É como se houvesse duas pessoas nela, com personalidades e lembranças diferentes.

    O que fazer pra que ela recuperar as duas memorias? Passado, passado recente e presente?

  10. Uma pessoa que eu amo muito ela teve perda de memória nesse sábado que passou ela apenas tem 18 anos. Os médicos disseram que foi uma Síndrome Vasovagal Perda Súbita da Consciência.
    Ela passou muito estresse na última semana que ela estava na clínica então para acalma aplicaram sedativos pra que ela não fica passando nervoso isso começou na quinta ferira, eu não sei qual calmante que deram a ela mais geralmente é o que usam em clínicas.
    Então quando foi sábado ela acordou mais infelizmente ela não se lembra de absolutamente nada como se tivesse apagado os 18 anos da vida dela, os médicos falaram que ela vai volta a se lembra só não tem dia e nem hora pra isso acontecer, ela ta inteira ta com todo corpo saudável mais infelizmente essa perda de memória deixou todos sem chão, e como sou só amigo eles não vão me fala muita coisa sobre. Então por favor se alguém poder me falar algo a respeito eu agradeço.

  11. Percorri uma certa distância dirigindo e não lembro de ter percorrido esse percurso. O que pode ter acontecido?

  12. Às vezes tenho perda de memória de minutos quando mudo o local de dormir, ou seja, quando não durmo na minha casa, nesse caso me acordo meio desorientada estranhando o ambiente e me perguntando onde estou, após pequenos minutos relembro que não estou no meu quarto. Qual significado disso?

  13. Gostaria da opinião de profissionais: minha mãe teve uma crise nervosa, após a crise ela não lembra mais de nada: nem dos filhos, nem netos, nem o que tem, nem idade ou mesmo nome. Ela já teve outras crises e após minutos voltava ao normal. Por algumas vezes teve apagões quando ia ao médico, ou ia fazer alguma atividade regular. Gostaria de saber o que pode ser o problema e como tratar. Apenas um orientação. Meu email é dario.mcz@live.com

  14. Hoje eu estava no trabalho, em uma reunião semanal de rotina com meu chefe. No meio da reunião comecei a esquecer dos assuntos que estavam sendo tratados. Eu lia os tópicos mas não me lembrava do que se tratava. Interrompi a reunião e voltei para a minha sala. No caminho via os colegas de trabalho, mas não me lembrava dos nomes de pelo menos a metade deles. Pessoas que convivo todos os dias. De volta ao meu escritório, não consegui resolver problemas simples, que sempre resolvo bem. Procurei o serviço médico e fui encaminhado ao hospital onde fiz uma ressonância magnética que não identificou nada de errado. Antes de chegar ao hospital eu já estava praticamente normal, só um pouco assustado com o que ocorrei. Meu diagnóstico foi uma AGT

  15. a minha esposa tem essa doenca e as vezes demora p voltar ela nao lembra nada ja fez tds os exames e nao deu nada hj faz tratamento psiquiatra mas tem recaidas direto eu procuro ter bastante paciencia e proteger ela e cuidar dela.

  16. Excelente material , me ajudou bastante a leitura.
    Hoje acordei achando que era sábado, por uma hora fiquei planejando minhas tarefas de sábado….
    Quando de repente me dei por conta que era sexta feira.
    Fiquei surpresa em ficar tanto tempo achando que era um dia depois.
    Seria normal?

  17. Se ele estava dormindo e aparentemente “acordou”, pode ser distúrbio do Sono REM, na verdade ele está dormindo e faz coisas inconscientes (e não se lembra!), mas não e sonambulismo. Procure um neurologista mais antenado.

  18. Meu marido no periodo de 15 dias acordou sem memória duas vezes, a primeira vez ficou sem saber de nada umas 3 hs, a segunada vez durou quase oito hs, as duas vezes foi voltando lembrando aos pouco, mas as horas sem memória não lembra de nada, fica normal depois do evento e noto que fica envergonhado quando pergunto de tudo que se passou essas horas, sinto muita tristeza, quase insuportável para mim. Fez tomografia de crânio não deu nenhuma alteração, o médico foi cluel deu o diagnóstico de Alzheimer, disse isso sem um pingo de dó, fiquei chocada com a frieza do profissional, Será que pode ser demência mesmo?? As duas vezes que ocorreu esse evento foi identico com o relato da Dra. ( Amnésia Global Transitória ) Queira Deus que não seja “O Alzheimer” Será que um dia isso vai desaparecer? ´´e um homem ativo esperto, 65 anos, mas muito conservado, sempre cuidou de tudo sem esquecer de nada, homem ativo, servo de Deus, homem valoroso, Deus à de cuidar dele, espero um milagre de Deus.

  19. Meu marido no periodo de 15 dias acordou sem memória, a primeira vez ficou se saber de nada umas 3 hs, a segunada vez durou quase um dia inteiro, as duas vezes vou voltando lembrando aos pouco, mas as horas sem memória não lembra de nada, fica normal depois disso. Fez tomografia de crânio não deu nenhuma alteração, o médico foi cluel deu o diagnóstico de DEMENCIA, disse isso sem um pingo de dó, fiquei chocada com a frieza do profissional, Será que pode ser denmencia mesmo??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *