Vacinas contra a COVID-19, AVC e Trombose: Tudo o que você precisa saber!

Por Maramélia Miranda **. Atualizado em 04 de maio de 2021, às 13.50h

tags: vacina COVID; coronavac; Astrazeneca e AVC; trombose Astrazeneca; trombose Oxford; vacina Covid e trombose; vacina Johnson & Johnson. 

 

Atenção para atualizações sobre este tema quentíssimo, com referências! (o que é extremamente importante…) – e que vem dando muito o que falar!

A vacina da COVID-19 pode dar reações adversas?

Pode, e é comum qualquer vacina, seja ela da COVID ou não, causar reações leves, como dor no local da aplicação, sintomas leves de febre, dor de cabeça ou dor muscular, sobretudo as vacinas contra vírus. Entre as vacinas disponíveis no Brasil, a Coronavac, da Sinovac/Butantan, e a ChAdOx1, da parceria Oxford/Fiocruz, esta última, a da Astrazeneca, em estudos de fase 4 (mundo real), comparando-se com outras vacinas contra o coronavírus, provocou mais eventos adversos, leves a moderados (sintomas gripais comuns). Ambas as vacinas que temos aqui do Brasil tem efetividade parecida, entre 50-70%, e devem ser aplicadas em massa, importantíssimas para reduzir o impacto da pandemia no nosso país.

A vacina da COVID-19 pode dar trombose?

Depende da trombose. Existe a trombose causada por doenças, como trombofilias, doenças infecciosas, inflamatórias, câncer, e quadros virais. Entre estas, a COVID-19 é uma doença que causa muita trombose. Mas existe um tipo raro de trombose, que é decorrente de reação imunológica mediada ou induzida por vacinas. Ou por medicamentos. Por exemplo, a trombocitopenia induzida pelo anticoagulante heparina, um tipo raro de complicação da heparina, é uma doença, uma trombose mediada imunologicamente. A trombose que pode ocorrer em doenças hematológicas raras, do sangue, mediadas por tendência autoimune das pessoas que têm estas doenças, é um outro exemplo disso…

Dentro deste segundo tipo de trombose, foram descritas reações adversas na vacina da Astrazeneca, de trombose mediada imunologicamente, chamada trombocitopenia trombótica induzida por vacina, ou VITT *(sigla em inglês) – Vaccine-Induced Thrombotic Thrombocitopenia.

Em uma população de mais de 17 milhões de vacinados na Europa, a agência europeia de regulação de medicamentos (EMA – European Medicines Agency) chegou a suspender temporariamente a vacinação com a vacina da Astrazeneca naquele continente, avaliou os números de casos, e concluiu que foi, sim, uma possível reação à vacina da Oxford, mas com ocorrência muito rara, de 0.00018%. Dados atualizados da EudraVigilance (portal de farmacovigilância da EMA) até 31 de março de 2021 reportaram 79 casos confirmados deste tipo raro de reação, em uma população de pouco mais de 37 milhões de vacinados na Europa, aumentando um pouco este número para 0.00021%. Quatro artigos com a descrição destes casos após as vacinas Astrazeneca e Johnson & Johnson foram publicados este mês na NEJM. 

Para os neurologistas, veja como reconhecer e tratar esta raríssima complicação – AQUI.

E a suspensão da vacina da Johnson, pelo FDA e CDC?

No dia 13 de abril deste ano, foi suspensa a aplicação da vacina da Johnson pelas agências americanas FDA e pelo CDC, pela notificação de 6 casos da mesma reação, em um grupo de 6.8 milhões de vacinados. Neste caso, uma ocorrência de 0.000088%. Por extrema precaução, os órgãos americanos pararam o uso desta vacina para analisar os casos, e retomaram posteriormente o uso deste imunizante, concluindo possível correlação, mas também de ocorrência muito rara.

Vejam que, em ambos os casos (vacina Astrazeneca e Johnson), foram reações extremamente raras, mas comprovadamente (pelos exames laboratoriais positivos e quadro clínico muito parecidos) – reações imunológicas das duas vacinas.

Então eu não devo tomar as vacinas da Astrazeneca ou da Johnson?

Negativo!!!!!!! Pelo contrário. Você DEVE TOMAR A VACINA!!!! Orgãos sanitários de todo o mundo recomendam fortemente a vacinação contra a COVID-19.

E mais!!!!! Após 13 de abril, várias sociedades médicas de Hematologia e Neurologia Vascular, que lidam com trombose e AVC, também analisaram os dados descritos das reações vacinais, e mesmo com estas reações, não contraindicam a vacinação, mesmo com estas vacinas disponíveis. Vejam a seguir, statements (diretrizes) de algumas destas sociedades:

Se você tem a oportunidade e está na data de tomada de sua vacina, dentro do calendário do seu estado, vc deve tomar qualquer das vacinas disponíveis no Brasil. As reações descritas acima são muito raras, e a chance de hoje, você pegar COVID-19 e ter uma trombose ou ter a doença em forma grave e morrer, é maior do que a chance de uma vacina destas causar uma reação rara como esta. Pelo menos neste momento, colocando na balança, os benefícios da vacinação superam em muito os riscos destas reações de trombose.

Veja os números sobre risco de trombose em várias situações:

  • Vacina Johnson COVID-19 = 6 casos em 6.8 milhões = 0.000088% de risco de trombose
  • Vacina Astrazeneca COVID-19 = 79 casos em 37 milhões (atualizado em 31/03/2021) = 0.0002% de risco de trombose
  • Pessoas internadas/hospitalizadas com COVID-19 = 16.5% de risco de trombose
  • Mulheres que usam anticoncepcional oral = 0.05 a 0.1% de risco de trombose

A vacina da COVID-19 pode dar um AVC?

Não há nenhum relato, em nenhuma agência de farmacovigilância no mundo, até a data da atualização deste artigo, de vacinas contra o Coronavírus serem causa de AVC, entre qualquer das vacinas hoje, disponíveis no mundo. Tendo em vista o contexto da pandemia e de que temos em curso uma vacinação em massa na população mundial, o que pode ocorrer é o surgimento de eventos médicos considerados frequentes e coincidentes com a vacinação de milhões de pessoas ao mesmo tempo (por exemplo, infarto, AVCs, morte súbita, embolia pulmonar, sepse, doenças frequentes em todos os lugares).

Apenas com o tempo, com o passar dos meses, notificando-se corretamente os casos de eventos adversos, analisando-se estes dados e correlacionando-se tempo de eventos e quantidade de eventos entre vacinados e não vacinados, e sobretudo o tipo específico de eventos, se AVCs, infartos, etc, é que poderá ser estabelecida alguma causalidade, ou comprovação de correlação entre um possível AVC, ou trombose, ou infarto, com vacina ou vacinas. No momento, não existe esta correlação.

Quem teve um AVC, uma trombose ou tem alguma trombofilia pode tomar a vacina da Astrazeneca?

Não há descrição na literatura ou qualquer recomendação oficial de que pessoas que tiveram AVC não possam tomar vacina X ou Y ou Z. Pelo contrário, a maioria das sociedades médicas e organizações de Cardiologia, Hematologia e Neurologia afirmam que os benefícios das vacinas suplantam estes riscos raros.

Alguns países da Europa, aqueles que tem disponíveis vários tipos de vacina, recomendam dar preferência da vacina Astrazeneca para mais idosos (acima de 60 anos), e vacina da Pfizer, Janssen e Moderna para cidadãos mais jovens, justamente pelos relatos da reação de trombose induzida imunologicamente terem acontecido, ou sido relatados em mais jovens.

Mas vejam, os raros casos de trombose do tipo VITT não tiveram correlação com risco ou hereditariedade relacionada a trombose, trombofilias ou a pessoa ter tido um AVC… Foi uma reação mediada pela vacina, autoimune… Portanto, é impossível predizer se a pessoa vai haver reações com estas vacinas. É apenas possível dizer que o risco é de cerca de 0.0004 a 0.0008%, aroximadamente 1 caso em 800.000-1 milhão de vacinados.

Na prática, se a pessoa tivesse condições de escolher qual vacina tomar? Pelas recomendações de alguns países europeus, se for mais jovem (menor de 60 anos), daria-se preferência às vacinas da Moderna, Pfizer e Coronavac; se for mais idoso, tanto faz.

Na realidade brasileira, onde não temos vacinas para todos ainda, e faltam vacinas, infelizmente, a recomendação é: tome a que tiver para você. Tem alguma outra dúvida? FALE COM SEU MÉDICO.

 

LINKS e Referências

Statement do governo britânico sobre a Vacina Oxford/Astrazeneca. 

Statement da American Heart e American Stroke Association sobre trombose e vacinas da COVID-19

Statement da World Stroke Organisation sobre a vacina Astrazeneca

Nota Oficial daSociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares (AVC) sobre a vacina Astrazeneca

Statement da World Health Organisation sobre a Vacina Oxford/Astrazeneca. 

Nota oficial da EMA – agência de medicamentos europeia: “COVID-19 Vaccine AstraZeneca: benefits still outweigh the risks despite possible link to rare blood clots with low blood platelets”. 

Joint CDC and FDA Statement on Johnson & Johnson COVID-19 Vaccine.  

MHRA issues new advice, concluding a possible link between COVID-19 Vaccine AstraZeneca and extremely rare, unlikely to occur blood clots. Press release da agência regulatória inglesa.

Schultz et al. Thrombosis and Thrombocytopenia after ChAdOx1 nCoV-19 Vaccination. NEJM apr 2021. 

Greinacher et al. Thrombotic Thrombocytopenia after ChAdOx1 nCov-19 Vaccination. NEJM apr 2021.

Muir et al. Thrombotic Thrombocytopenia after Ad26.COV2.S Vaccination. NEJM 2021.

Scully et al. Pathologic Antibodies to Platelet Factor 4 after ChAdOx1 nCoV-19 Vaccination. NEJM 2021.

Tobaiqy M, Elkout H, MacLure K. Analysis of Thrombotic Adverse Reactions of COVID-19 AstraZeneca Vaccine reported to EudraVigilance database [Internet]. Infectious Diseases (except HIV/AIDS); 2021 Mar [cited 2021 Apr 9].

Hard choices emerge as link between AstraZeneca vaccine and rare clotting disorder becomes clearer. 

Branswell H. U.S. urges pause on use of Johnson & Johnson Covid-19 vaccine after rare blood clotting cases. 

Oldenburg et al. Diagnosis and Management of Vaccine-Related Thrombosis following AstraZeneca COVID-19 Vaccination: Guidance Statement from the GTH. Hämostasiologie 2021. 

 

** Dra. Maramélia Miranda é neurologista clínica e especializada em Neurologia Vascular (AVC) pela UNIFESP/Escola Paulista de Medicina. 

 

 

 

 


19 thoughts on “Vacinas contra a COVID-19, AVC e Trombose: Tudo o que você precisa saber!”

  1. Eu tive trombose medicamentosa em 2016( mirtazapina) e convulsão, edema numa perna e trombo na outra. Sou eclética, cardiopata, e depressiva. Estou com medo de tomar astrazenica mesmo tomando os remédios sustrate, verapamil, Ecasil 81.

  2. Renata, vc tem que conversar com seu médico, quem está acompanhando seu caso de trombose. Atualizei o texto com informações perguntadas frequentemente. Veja acima.

  3. Shazam, da próxima vez, use seu nome correto, não se esconda em pseudônimos ou perfis anônimos.

  4. Sandra, não há contraindicação de vacina Astrazeneca para quem teve tromboswe. Se vc está usando Xarelto, inclusive, está protegida contra trombose. Sugiro vc conversar com seu médico e discutir seus riscos.

  5. Nelson, se sua esposa está com trombose, deve estar anticoagulada. Não há nenhuma contraindicada. E pelo contrário, ela estándo anticoagulada, em tese, se não está com enoxaparina mas com anticoagulante oral, está totalmente protegida para trombose…

  6. Irina, creio que não tenha nenhum problema, pois seu quadro foi certamente associado ao risco maior de trombose no período de gestação e puerpério. A reação de trombose da vacina AZ é imunomediada, e muito rara, 1 caso em um milhão. Aqui no Brasil, infelizmente não podemos “escolher” qual vacina tomar, temos que tomar a que tem. Eu, por exemplo, tomei a AZ.

  7. Tive Covid em dezembro/2020, no final de janeiro fui diagnosticada com trombose e embolia pulmonar subagudas. Estou em tratamento com Xarelto 20mg e Daflon. Posso tomar vacina da astrazeneca?

  8. Dra tive trombose e embolia pulmonar pós parto a quinze anos eu posso tomar a vacina da astrazeneca

  9. Dra tive trombose e embolia pulmonar pós parto a quinze anos eu posso tomar a vacina da astrazeneca

  10. Blogzinho fake news. Dinamarca acabou de desistir da AstraZeneca por risco de AVC.

  11. Tive embolia pulmonar e trombose a 6 meses ,posso tomar a vacina tenho 47 anos

  12. Bom dia Dra.
    Poderia me esclarecer essa duvida, minha esposa que hoje tem 65 anos teve um AVC isquêmico em 2012 e toma AS infantil e está bem de saúde, queria saber se não tem problema em tomar essa vacina da Astrazenica porque é a que estão dando no momento?

  13. Roberto, não creio que haja alguma correlação… Busque seu médico de confiança, neurologista, para ajustar o tratamento da neuralgia.

  14. Olá Maria, não há nenhuma contraindicação a vacinas contra o coronavírus e aneurismas incidentais ou rotos.

  15. Dra. Miranda,
    Fui diagnosticado com neuralgia do trigêmeo do lado esquerdo há mais de 10 anos e tomo diariamente 1200 de tegretol cr e 20 mg de pamelor. A medicação funcionava otimamente até cerca de um ano atrás qdo o dentista me fez uma série de canais do lado esquerdo superior e tenho desde então dores diárias mas suportáveis. Também me fez usar um aparelho para arrumar a posição da mordida que e’ torta. Antes qdo tive crise (3 vezes) fui internado e tomei Tramal na veia o que resolveu e fiquei sem dores. O Tramal em comprimidos não mostrava resultados.
    Ontem tomei a segunda dose da Coronavac e como resultado estou tendo dores muito fortes na região próxima ao olho/sombrancelha esquerda. Ao tomar a primeira dose não lembro de ter uma piora das dores.
    Com a pandemia nem me arrisquei a ir ao pronto socorro.
    A Sra. acredita que a vacina pode ter causado essa nova crise?

  16. Boa noite, Eu tenho 3 aneurismas cerebral posso tomar qual quer vacina da covid? Tenho 62 anos.

    Aguardo respostas .

    Em Meu e-mail é
    xxxxxxxxxxx .
    Obrigada.

  17. Dra. Só numa dúvida, quem já teve AVC a 5 anos, toma anticoagulante (Effient 10mg) até hoje, está bem de saúde, também pode e deve tomar a Oxford Astrazeneca?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

@ Copyright 2009-2020 .. iNeuro .. Neurologia Inteligente