Convulsões e Epilepsia: Entenda qual é a diferença!

Por Maramélia Miranda ** (atualizado em Junho de 2018).

Links relacionados:

+++ Convulsão febril: Entenda tudo!

 

O que é epilepsia e convulsão? Existe cura? Qual a diferença entre ataque epiléptico e epilepsia?

Convulsões, ou crises convulsivas, acontecem frequentemente na prática clínica. Dados americanos estimam a ocorrência de crises convulsivas em cerca de 5% da população. É uma condição muito frequente, em todas as idades, especialmente em crianças nos primeiros anos de vida. A convulsão acontece por causa de uma falha na condução elétrica no cérebro, levando à maior atividade elétrica em algum ponto suscetível deste, o que provoca os sintomas da crise convulsiva (abalos musculares, perda da consciência, salivação, e em alguns casos perda esfincteriana – diurese e evacuação espontânea durante as crises).

Tipos de convulsões

O tipo mais comum e conhecido de convulsões é a crise convulsiva generalizada, onde o indivíduo desmaia, e começa a ter abalos generalizados, sem nenhuma consciência, geralmente revirando os olhos e com hipersalivação acompanhando o quadro. Este tipo de crise, tecnicamente chamado de crise convulsiva generalizada-tônico-clônica, é o caso mais urgente e grave que pode acontecer no manejo das convulsões, uma vez que deve ser prontamente atendido, para evitar lesões cerebrais futuras. Existem entretanto, outros tipos de crises convulsivas, como as crises de ausência – onde o indivíduo apenas perde a consciência e fica com o olhar parado por segundos, voltando ao normal em seguida; as crises parciais complexas, como explica o próprio nome, são mais heterogêneas, e podem dar sintomas mais diferentes, como movimentos da boca, virada da cabeça, mistura de vários movimentos estranhos, sempre com alguma perda da consciência, mas sem desmaio completo, como ocorre nas crises generalizadas. Por fim existem ainda as crises parciais simples, onde o indivíduo acometido apresenta apenas sintomas focais sem nenhuma perda da consciência, como estar num momento conversando e de repente ter um abalo involuntário no braço e perna, incontrolável, ritmado, sabendo descrever tudo o que aconteceu depois disso.

Diagnóstico clínico

Ao levar o parente ou familiar que teve convulsão para ser avaliado pelo médico / neurologista, é muito importante a presença de alguém que testemunhou a crise convulsiva, uma vez que a maioria destas convulsões são generalizadas ou parciais complexas, e o próprio paciente não saberá, portanto, descrever com detalhes tudo o que aconteceu durante o evento. Este detalhamento é importante para o neurologista tentar descobrir a origem ou localização provável da crise, além de tentar classificar esta crise para decidir corretamente a medicação mais apropriada. A classificação das convulsões, além de importante para determinar o melhor medicamento, serve também para tentar estabelecer alguma relação com possíveis causas do problema.

Causas de Epilepsia e Convulsões

A epilepsia ocorre principalmente em crianças, mas pode afetar todas as idades. As causas mais frequentes no adulto são: traumatismo craniano, acidentes vasculares cerebrais (AVC), tumores, malformações vasculares, doenças metabólicas, doenças infecciosas cerebrais ou doenças cardíacas. Na criança, as causas mais comuns são fatores ou doenças genéticas, problemas de oxigenação cerebral ocorridos durante a gestação ou parto, malformações cerebrais, infecções / meningites, e por último as tão conhecidas convulsões febris (decorrentes de febre alta em crianças menores).

Exames complementares

Geralmente o neurologista ou neuropediatra, além de uma boa e detalhada história do acontecimento, ouvindo atentamente o paciente, família e testemunhas da(s) crise(s), costumam solicitar outros exames, como laboratório (exames de sangue ou urina) e eletroencefalograma em todos os casos. Em alguns casos específicos, uma tomografia do crânio e/ou ressonância também são necessários. Este conhecimento de que nem sempre é preciso fazer uma tomografia ou ressonância é fundamental, sobretudo para as famílias de crianças com crises ou adultos com histórico de epilepsia. Nestas últimas situações, uma vez que se classifique a crise ocorrida como, por exemplo, uma convulsão febril numa criança menor, ou um jovem com epilepsia mioclônica co crise convulsiva, não é preciso fazer exames de imagem, sendo estes absolutamente desnecessários!

Convulsão ou Epilepsia? 

Nós neurologistas ouvimos muito este questionamento; e sua explicação é relativamente simples: uma pessoa pode ter uma ou duas convulsões pontuais durante sua vida toda; neste caso, dizemos que o paciente teve crises, convulsão, mas não tem epilepsia.

Por outro lado, o diagnóstico de epilepsia é dado geralmente quando um mesmo indivíduo apresenta duas ou mais convulsões. Nestes casos, caracterizando corretamente a repetição das crises, o seu tipo, e possível causa destas crises convulsivas, denomina-se que o indivíduo tem o diagnóstico de Epilepsia.

O que fazer para ajudar alguém durante uma convulsão?

Primeiro: não se desesperar. Depois, seguir o passo a passo:

  1. A testemunha, amigo ou familiar deve colocar a pessoa deitada, de preferência no chão, com algum apoio na cabeça (roupa ou almofada) e com a cabeça virada de lado (para evitar engasgos com saliva ou vômitos);
  2. Outra pessoa deve imediatamente chamar ajuda por telefone (SAMU, ambulância ou transporte);
  3. Nada de tentar puxar a língua do paciente ou enfiar dedos na boca: no momento da crise, a força e rigidez do paciente pode machucar os dedos de quem tenta fazer isso!
  4. Esperar e tentar arejar o ambiente, pois em geral as crises duram poucos minutos. Se a crise demorar mais do que o habitual, transportar o paciente em ambulância e levar imediatamente ao hospital.

contar tempo de crise

Tratamento

Atualmente há uma gama bastante variada de medicamentos que são muito efetivos para controlar as crises convulsivas e epilepsia. O mais importante é ter o conhecimento que a epilepsia pode e deve sempre ser adequadamente tratada, para proteger o indivíduo de ter futuros ataques, o que pode ser fatal se isso ocorrer enquanto dirigindo, atravessando uma rua movimentada, manejando máquinas ou subindo escadas.

Aqui vai um outro recado: convulsão não mata pelo simples fato da crise em si, mas quando esta crise ocorre num local e situação em que possa acontecer um acidente, por causa da perda da consciência ocorrida durante a crise.

Cirurgias

Este tratamento é reservado para casos onde se detecta alguma lesão ou problema anatômico levando às crises, ou em casos de epilepsia de difícil controle, para tentar ajudar o tratamento com remédios.

Dicas valiosas…

… Para quem teve ou tem convulsões / epilepsia:

Independentemente se você ou algum parente seu toma ou não medicamentos contra convulsões, estas pessoas devem ter em mente que são mais sensíveis, mais suscetíveis às alterações elétricas cerebrais, por isso, a seguir, situações que devem ser evitadas:::

..:
1 – evitar situações de infecções prolongadas ou febre; sempre que tiver alguma infecção ou febre, já iniciar seu tratamento;
2 – evitar períodos de jejum prolongado ou pular refeições (procurar sempre fazer refeições intervaladas com pelo menos 3-4 horas);
3 – evitar privação de sono (passar uma noite acordado, trabalho ou lazer por horas e horas sem períodos de descanso);
4 – evitar o uso excessivo de álcool;
5 – evitar ambientes com estímulos luminosos extremos e repetitivos (por exemplo, entrar numa balada, boate ou casa noturna, e ficar na pista de dança olhando diretamente para aquelas luzes piscantes, o tempo todo!!!)

Martin Pacha 1

6 – Por último, o mais importante: se tiver epilepsia, procure não esquecer de tomar o medicamento anticonvulsivo. Esta é a principal causa de repetição ou recorrência de crises em pacientes epilépticos.

Todas as situações acima podem ser precipitantes de crises convulsivas, em quem tem maior sensibilidade.

 

 

** Dra. Maramélia Miranda é neurologista com formação pela UNIFESP-EPM, editora do blog iNeuro.com.br.

866 thoughts on “Convulsões e Epilepsia: Entenda qual é a diferença!”

  1. Boa tarde, meu esposo tem 32 anos e teve a 1° convulsão dia 21/08/2013, depois outra dia 12/06/2014 e outra dia 19/08/2014, e sempre da de madrugada umas 5 da manha, ele esta tomando depakote er 500 mg e vai tomar o hidantal 100mg, gostaria de saber o pq que da sempre quando ele esta dormindo ? e já percebi que é quando ele esta muito nervoso ou ansioso que da. Obrigada…

  2. Olha eu tenho convulsões desde os 11 anos de de idade eu sinto uns abalos nos braços o qual fica tremendo muito até eu ficar desacordado a dr pode me ajudar. Gostaria de saber se tem cura. Pois um amigo meu disse que tinha o mesmo problema é através de uma cirurgia ficou curado

  3. Tive uma crise convulsiva a um ano e meio e na ressonância foi visto que tenho uma má formação cística do lado direito de lá pra cá tive várias crises convulsivas meu médico passou trileptal 300mg duas vezes ao dia e mesmo assim tive convulsão.. Ele pediu um EEG e deu tudo normal.. O que tenho? Quais as causas da convulsão?

  4. dunnya, pode acontecer de “escaparem” crises. o ideal é medir o nível do acido valproico no sangue dele, ver se o nivel está adequado, ou se dá para ajustar a dose. isso quem decide será o neuro.

  5. tayna, isso é muito comum: a pessoa que tem crises parciais ou generalizadas, sejam elas mais leves (apenas um apagão ou ausência, o que chamamos crises parciais complexas) ou mais graves (cair, se debater, etc, que são as crises generalizadas), estes individuos nunca lembram-se do ocorrido. quem irá saber serão as pessoas que convivem (trabalho, familiares).

    o que vc deve fazer? se possivel, anotar o número de crises que ele vem tendo, e rapidamente marcar com o neuro dele, porque isso (essa maior frequencia de crises) significa que: ou as crises dele pioraram, ou o remédio que ele toma não está sendo suficiente para o controle. a partir desta informação o neuro irá: 1 – ou aumentar a dose do remedio, se puder; 2 – ou trocar o remedio; 3 – ou associar outro remedio junto com o que ele já toma…

    para a hora da crise em si, siga as instruções que detalho no texto acima (deitar a pessoa, virar a cabeça, esperar, não colocar dedos na boca, etc).

    qualquer uma das alternativas, REPITO, o paciente deverá passar em avaliação com neuro o mais rapidamente possivel, principalmente porque ele corre o risco de ter isso no metrô, trabalhando, atravessando uma rua, e pode haver algum acidente mais sério! espero que tenha ajudado!

  6. Boa tarde meu namorado toma remedio pra convulsão, eu acho que as vezes ele entra em crise, pois ja percebi que fica salivando e fazendo movimentos repetitivos com a cabeça e focado em um único lugar, estamos namorando a 9 meses e ja aconteceu umas 3 vezes, quando acontece eu fico tensa, sem saber o que fazer, uma vez eu disse que ele ficou estranho, e disse que não tinha nada estranho, sera que ele se lembra? queria muito que alguém me ajudasse, o que eu faço nessas condições? grata.

  7. meu filho tem 14 anos; teve a primeira crise em abril, na escola. esta tomando depakene, e teve outra crise agora em agosto. gostaria de saber porque mesmo tomando remedio.

  8. Olá, tenho um filho de 16 anos, ha uns três anos atrás ele teve uma crise convulsiva, procurei o neuro e levei meu filho pra fazer o exame indicado e constatou epilepsia. Ele tomava gardenal de 100 e cabarmazepina de 200. Bom, ele não quer mais tomar a medicação, ja faz quase um ano que ele tomou os remédios, e não teve mais as crises, ele corre o risco de ter outras crises? Se possível mande a resposta no meu email. Obrigada

  9. Boa noite doutora,tenho um filho que completou 5 anos e teve a primeira crise com 2 anos e 8 meses e apartir dai passou a tomar anteconvulssivos mas nunca controlou as crises e muda de medicação constantemente por não conseguir controlar as crises que é de dificil controle e apresenta todos os dias e varias vezes fazendo regredir cada vez mas seu desenvolvimento,e não sabemos mas o que fazer, pois nem os medicos conseguem controlar com as medicaçoes que passam.

  10. Eu tenho 18 anos com 17 anos 3 dias depois do meu aniversario de 17 anos eu comecei passar mal fui pro hospital a medica me colocou no soro pois achava q eu podia ta me sentindo mal por ter ingerido grande quantidade de álcool mas a enfermeira colocou o cateter no meu braço de forma errada q saiu da veia e começou a inchar ai quando fui tirar o cateter eu tive uma convulsão. Pensei q poderia ter sido um choque anafilático pode ter sido? cheguei a ficar entubado no balão de oxigênio. o fiz tomografia n deu nada ai depois fiz o ECG deu epiletiforme ou coisa parecida n me lembro direito agora tomo Carbamazepina de 200mg um comprimido pela manha e dois pela noite. Não gosto muito pois fico muito sonolento mas é o jeito. Meu medico disse q tem caso de epilepsia q tem cura isto é certo? Eu vendo sobre o remédio feito da canabis tava pensando em tentar fazer tratamento com ele o q achas? E depois dessa crise n tive mas nenhuma crise convulsiva ou epiletica. estou pensando em ver uma segunda opinião.

  11. valquiria, se seu filho está tomando gardenal, em tese está protegido de novas crises. se ele trabalha dirigindo, ou dirige constantemente, está mais do que indicado usar anticopvulsivo, para proteger o paciente de acidentes…
    a questão dos exames não mostrarem nada não é importante para dar ou não remédio. inclusive, na maioria dos pacientes que sofrem de crises convulsivas, os exames não mostram nada!
    o mais importante é ter ou não ter tido crises. se ele teve duas ou mais, já está indicado o uso do medicamento protetor. quanto ao tipo de remédio, se um ou outro tipo, é escolha pessoal do neuro que assiste o paciente. se acha que o gardenal está causando algum problema ao seu filho, convém voltar no neuro e discutir este assunto com ele, perguntando sobre outras possiveis opções.

  12. alessandra, ninguém no mundo poderá responder esta sua pergunta… medicina ou neurologia não são ciências exatas. se vc ficou anos e anos sem crises, há possibilidade de que não tenha mais nenhuma sem remédios, ou pode haver alguma crise… quem sabe?
    as recomendações que costumamos dar sáo as mesmas: uma vez que a pessoa teve crises, sabemos que aquela pessoa é mais “suscetivel” a ter crises, e deverá evitar situações que podem desencadear novas crises. VEJA O FINAL DO TEXTO (DICAS VALIOSAS…).

  13. meu filho tem 19 anos, aos 18 anos deu a primeira crise, de convulsão, ele se debate, espuma a boca e não lembra de nada. depois de oito meses veio a segunda crise, só que nos exames dele não deu nada. ele fez um tipo de ultrassom do cérebro e tomografia computorizada e não deu nada, ele faz uso do Gardenal, o que eu devo fazer? procurar outro medico ou pedir ao medico outros exames, porque eu tenho medo dele ter outras crises, tomando o remédio todos os dias, ele corre o risco de ter outras crises? me ajuda, por favor, ele dirige. eu tenho muito medo. me responda.

  14. olá boa noite,
    tive uma crise convulsiva quando eu tinha 14 anos, comecei a tomar o medicamento CARBAMAZEPINA 200g ate hoje com 25 anos e nunca mas tive nenhuma crise.
    Hoje o meu medico suspendeu o remédio, corro risco de ter uma crise? tenho medo!

    aguardo resposta!!

  15. BOA TARDE DOUTORA EU SOU O TIAGO, TENHO 29 ANOS, DESDE OS MEUS 15 ANOS EU TENHO CRISES, AQUELA QUE ATROFIA A MÃO. TENHO 3 CRISES POR SEMANA. TOMO O MEDICAMENTO TEGRETOL CR 400, 3 COMPRIMIDOS, E O GARDENAL DE 100 MG. MAS NÃO PASSAM ESSAS CRISES. EU JÁ FUI EM MUITOS MEDICOS, MAIS ELES NÃO DÃO UMA RESPOSTA DESSE CASO. ATÉ O MEU FIGADO ESTÁ RUIM. ESTOU COM GASTRITE. GOSTARIA DE UMA EXPLICAÇÃO DO MEU CASO, POR FAVOR OBRIGADO.

  16. Bom meu cunhado tem crise sempre quando dorme e só faz uso depakene 500 MG.mas está medicação não tem evitado.
    O que tevo fazer?

  17. Olá boa tarde,tenho 47 anos e venho tendo alguns sintomas estranhos.São eles sempre ao dormir depois de algumas horas,acordo com os batimentos cardiacos acelerados sensação de desmaio, mãos e pés travados e dormentes,dor na cabeça frontal e no meio olhos fixos e pulpilas dilatadas.Após jogar um pouco de agua na cabeça pra não ceder ao sintomas, ao passar do tempo, vou retomando ao estado normal.O que eu tenho ou não estou associado ao tema acima em questão.

    Aguardo resposta obrigado. Estes sintomas são da minha esposa onde tenho ajuda-la o que fazer.

  18. Olá Dra.
    Agradeço pelas suas respostas. O seu trabalho é muito digno, visto que trás certo “alívio” para os pais que sofrem com essas crises em seus pequenos.
    Parabéns por isso!
    Somente uma de minhas questões ficou sem resposta: sobre as crises durante o sono …
    Que eu saiba, meu filho nunca teve, mas me atordoa pensar que ele pode morrer engasgado se tiver uma crise dormindo … as pessoas falam ,,, muito medo …
    Isso pode mesmo acontecer?
    Obrigada mais uma vez

  19. Ola minha filha tem 1 ano e 10 meses e ja teve 4 convulcoes e 1 transe. e ja fiz exames e nao deu nada, e agora nao sei mais o que fazer …… obrigada!!!!!!!:

  20. Boa noite! Me chamo Josimar, estou com meus 24 anos, chegando aos 25. E por esse motivo fui ao shopping com minha namorada comemorar nosso Aniversario que por coincidência é no mesmo dia. Chegando la, apos poucos minutos começamos a comer,instantes passados senti não conseguir mais mastigar, e minha boca inteira a formigar,fiquei desesperado ao tentar pedir ajuda e não conseguir falar nada sequer. Assim, caminhei a um local mais Distante, chegando cair ao chão. A partir desse momento, já não soube o que aconteceu, segundo minha namorada comecei a me debater, a realmente o sofrer uma Convulsão. Após, disse ela que minutos depois eu Voltei, mas não me lembro de fato disso. Só me lembro que, ao estar orientado, já estava numa sala rodeado de pessoas. Vindo reconhecê-las naquele momento. Gostaria de saber se fatos como esse podem estar relacionados a emoção, a stress. E se podem ser esporádicos (acontecer uma ou Duas vezes somente), ou ser contínuos?

  21. bom dia. meu filho tem 2 anos ,e tem crises convulsiva, toma tegretol e depakene ; fica muito assustado ele se treme todo, induresse o olho e saliva muito e genge os dentes .isso é convução ou epilepsia?

  22. 1- geralmente o cisto não tem nada haver com isso. são formações que existem desde o nascimento da pessoa. na grande maioria não tem. vc deve ver com o neuro que viu seu filho e analisou as imagens da ressonancia isso melhor.
    2 – a dose de trileptal protetora para evitar crises epilepticas numa pessoa varia de acordo com o peso, nas crianças, e costuma ser, em adultos normais (50-80kg) de 600 a 1200mg ao dia.
    3 – ficar em computadores não faz mal, mas video-games por muito tempo, principalmente naqueles jogos com muitos estimulos luminosos (luzes piscando muito no campo da visao) são alguns fatores que devem ser reduzidos ou evitados em quem tem crises convulsivas / epilepsia.

  23. Meu filho de 10 anos teve a primeira convulsão em 15 de junho. Do nada, estávamos estudando na sala quando ele começou a ter uns lapsos, confusão mental, até começar a se debater todo, entortar cabeça, mãos, etc. Ficamos muito assustados e depois de levá-lo ao PS, procuramos um neuro. Fizemos o EEG em vigilia, sonolência e sono espontâneo onde foi constatada as tais ondas epileptiformes em todo o cérebro, porém, mais concentradas na parte posterior esquerda. Depois disso, teve mais outra crise, logo pela manhã, ao acordar.
    A neuro iniciou com o trileptal em 18 de julho e vamos administrando 300mg por dia até fazermos a ressonância. Na tomo apareceu um cisto aracnóide na fossa à direita.
    Minhas perguntas são: o cisto pode ter a ver com as crises convulsivas? Ele pode ter uma crise dormindo e ser perigosa por causa dos engasgos? Em nenhuma das duas crises ele estava no video game ou computador, mas, esse dois dispositivos podem agravar o caso? Essa dose do trileptal impede mesmo novas crises.
    Fico aguardando as respostas.
    Grata

  24. Boa noite meu filho tem 3 anos já teve 2 crises convulsiva por febre quando bebê agora teve uma crise sem febre estava dormindo e derrepente abriu o olho ficou com o olhar parado a boca serrada a pele foi ficando roxeada levei direto para o hospital depois na neuro fez TC graça a Deus não deu nada AGORA vai fazer EEG a neuro entrou com depakene e falou qque é uma convulsão benigna do sono gostaria de saber mais sobre isso o que acontece é se mesmo ele tomando o remédio ele pode ter de novo???

  25. boa noite, minha filha tem 9 anos e tem umas crise dormindo ela começar como se tive-se engasgada e logo começar a falta de ar os olhos ficam virando e ela tentando fala mas não consegui, antes de começar ela fala que sua garganta começa a ficar seca, essas crises so acontece a noite, procurei um neuropediatra ela constatou n0 eletro cefalograma que e uma crise noturno apineia, só que a medica a gastro pediatra disse que não e que e problema gastro,já não sei o que fazer, geralme essas crises acontece no intervalo de 6 mês…..

  26. Minha filha tem 6 anos, e tem crises quando tem febre. toma o depakene; fico muito assustada, não consigo ficar calma quando isso ocorre. mas sempre levo ela para o medico mais proximo; ela se treme, revira o olho e saliva bastante, e range os dentes. isso é convulsão ou epilepsia?

  27. tenho tido convulsões; de um ano pra cá, as crises acontecem só dormindo; acordo atordoada e não me lembro de nada; já fiz três tomografias, não acusou nada. estou usando a medicação depakote, e começou do nada. geralmente acontece quando estou muito estressada e sinto um mal estar estomacal, acompanhado de vômitos e muito cansaço. comecei tomar o medicamento depakote; espero que me ajude a me libertar disso. isso começou do nada, sem tombo algum, tenho 49 anos.

  28. vanessa, sugiro que converse com o neuropediatra para ver – rever o esquema de anticonvulsivos. se o seu filho fica sedado, chapado, com o trileptal, deve rever com o neuro uma dose menor ou associação de outro remedio ao esquema. boa sorte.

  29. Bom dia!
    Meu filnho aos quatro anos dez meses teve a primeira convulsão de 25 minutos forte, tremeu o corpo todo , virou os olhos ficou desacordado. Voltou a ter outra crise depois de 1ano e meio o neurologista receitou trilepital, tem 1 ano e 5 meses que edta tomando e já teve 18 convulsões as doses foram amentadas os efeitos colarais estão forte, meu filho não consegui pegar um copo, uma bolacha ou escrever na escola ele treme muito depois que começou a tomar este medicamento. Tudo começou no nascimento, ele teve fratura de crânio no parto, teve um leve atraso motor, a parter cognitiva norte.
    Gostaria de uma ajuda para meu filho ter uma vida social melhor…

  30. monica, geralmente uma unica crise convulsiva permite ao medico que haja a opção de apenas observar, não dando medicação alguma, desde que os exames não constatem nada (TC, RM, EEG)… fica dificil de saber apenas com seu relato o porque da decisão do seu medico pela medicação.
    quanto ao efeito colateral de sonolencia, o tegretol pode dar mesmo, e a troca para depakote é uma das saidas.
    quanto a ter uma segunda opinião médica… isso é uma decisão muito pessoal sua, e da família. a segunda opiniao medica é uma conduta feita frequentemente pelas familias, sobretudo quando há diferentes opiniões ou controvérsias em qual o melhor tratamento a ser feito.
    há quem procure, há quem apenas confie no medico inicial e ache a segunda opiniao desnecessário… não há como tomar a decisão por vcs.

  31. Meu filho foi dignosticado com epilepsia, na verdade, teve apenas uma convulsão isolada há um ano. Toma Tegretol CR 200mg 2 x ao dia. Como ele esta sempre com sonolência, solicitei ao médico que troque a medicação se fosse possível e ele me receitou Depakote 250mg 2x ao dia até completar 3 anos de tratamento (ao todo). Só gostaria de saber se a decisão é acertada ou é caso para procurar uma segunda opinião?

  32. Tive minhas primeira crises por volta dos 7, 8 anos. Fui diagnosticada pelos 10, 11. Todas as vezes que tive, estava em frente (bem próxima) de um televisor ou monitor (de computador) de tubo. Minha última crise foi aos 13, pois na época estava meio revoltada, fiquei aproximadamente 6 dias sem tomar o remédio. Hoje tenho 21 anos, somam 8 anos sem crise e fazendo o tratamento com fenobarbital 100mg corretamente. Meu médico disse que é um bom sinal. Alguém poderia me dizer porque “bom sinal”?

  33. Tenho epilepsia desde os meus 13 anos, hoje em dia tenho 19. No meu caso a epilepsia é nas mãos, pra vcs entenderem melhor eu não podia pegar nenhum objeto que ele caia das minhas mãos, principalmente objetos que podiam me cortar. Com o passar do tempo as crises foram ficando mais fortes pois eu comecei a do NADA cair no chão, porém eu não tinha convulsões mas mesmo assim eu fico muito triste com tudo isso pois eu não consigo ter uma vida normal tipo sair com meus amigos ir á passeios, ter uma vida social estável,pois em um desses lugares eu posso passar mal e sem querer me machucar. Várias vezes me peguei chorando no meu quarto por conta dessa doença. Hoje em dia continuo fazendo tratamento e tomando 200mg de Carbamazepina. Gostaria muito de saber se tem cura para epilepsia nas mãos.

  34. Boa noite,
    Fiz um EEG e teve como alteração chamada de reação de parada presente e eu gostaria de saber qual é a relação disso com a epilepsia.

  35. Sandra, não sei se o que vc quer dizer é o EEG-vídeo, ou vídeo-EEG… Este é para ver o local responsável pelo início das crises, e localizar mais precisamente qual lado deve ser operado, em casos de cirurgia. Agora… ECG foram oval, realmente, não sei do que se trata, pois nada tem haver com epilepsia de longa data!

  36. Adelaide, vc deve levar seu filho para um neuropediatra. Não precisa ser urgente, mas deve já marcar. Se acontecer isso de novo, siga as instruções que explico no blog – LEIA AQUI
    Neste link acima explico o que fazer no caso de uma convulsão. Abs

  37. Oi meu filho tem 4 anos, ele teve uma crise de convulsão; nunca havia acontecido; era mais ou menos 1:30 da manhã, ele chamo o pai e disse que não estava conseguindo dormir, então 4 minutos depois ele estava com as maos repuchando, pernas, boca aberta e olhar parado, e respirando como se estivesse com dificuldade; ele não teve febre, não bateu a cabeça nunca tinha acontecido; levamos um susto pq nunca tinhamos visto aquilo; no pronto socorro ele não voltava, colocaram ele no oxigenio e ele só voltou depois que colocaram um cano na garganta dele; ai ele vomitou e então voltou chorando. depois quando acordou estava normal, não se lembrava de nada. brinca normal, mas estamos com muito medo de dar de novo. no pronto socorro o médico disse q era uma crise convulsiva.
    Mas muita gente fala que pode ter sido uma congestão. o que será que aconteceu? ele estava bem, brincando normal. foi de repente. estamos muitos assustados.

  38. Boa trde.
    Ha 13 anos tenho epilepsia, e o exame de ressonância, deu alteração.
    A médica pediu o exame ecg video.
    so que o resultado nao foi bem visto.
    Agora vou fazer o ecg forame oval.
    Qual a diferença entre os dois.
    E fazendo esse segundo exame vou ter um resultado para a cirurgia?
    Obrigado.

  39. meu bb tem 40 dias de nascido, e esta tendo crises de convulsao, podera ocorrer sequelas futuras.

  40. Boa tarde !meu filhor tem quatro meses ele teve falta de oxigenio no parto . 12hrs de vida comesou a convulviona sem controle ,ele esta tomando 100mg capamazebina de12 e 12 hrs depakene 2,5de8em hrs ,topiramato 5mlde 12em 12hras e mesmo asim volta a convulciona

  41. Bom dia!

    Tenho um filho de 19 anos que é autista e desde os doze anos começou a ter convulsões.Ele toma Amato, Fenetoína e Rivotril mas mesmo assim ainda tem crises. A mais forte que teve foi a cerca de uns 3 meses que tivemos que interná-lo.ficou cerca de três horas convulsionando.Até hoje não sabemos o que causou esta crise violenta!

  42. glefea, não é possível dizer se a apneia causa ou tem relação com as crises, porque vc tem outra possível causa de crises (as calcificações, que chamamos neurocisticercose). no entanto, se vc também tem apneia do sono (detectada corretamente pela polissonografia), isso é um fator que pode levar a vc continuar a ter crises a despeito do uso correto dos remedios.
    um ponto a se comentar é que, caso tome estes remeddios todos apenas a noite, e nada de manha, está errado. a carbamazepina, por exemplo, deve ser tomada 2 ou 3 vezes ao dia. o torval pelo menos 2 vezes. apenas o frisium pode ser dado a noite apenas. converse com seu neuro e reveja estas doses e horario correto das tomadas, porque senao ficará descoberta (e suscetivel a ter crises) no horpario da manha e tarde…

  43. EU PROCURO UM TRATAMENTO PARA ACABAR DE VEZ COM ESTE MEU PROBLEMA DE CRISES DE CONVULSÃO QUE TENHO SEMPRE.E FICO TÃO TRISTE COM ISTO.

  44. Tenho crises de epilepsia desde crianca , hoje tenho 34 anos; tive crise ate meus 13; deixei de tomar os medicamentos por 12 anos e novamente voltei a ter as crises, onde eu repuxava muito e salivava bastante; depois de uns 5 anos passei a ter umas crises onde eu nao repuxo muito, e perco a consciencia por uns 5 minutos; depois fico confusa por uns 20 minutos e quando volto a consciencia, tenho sono muito forte; as crises ocorrem mais quando durmo tarde, fiz varios exames e tenho varias calcificacoes resultado de ovos de solitaria, mais ou menos umas 18 calcificacoes, meus medicamentos sao 10 mg de frisium, 400mg de cabarmazepina e 250 mg de torval, todos a noite antes de dormir. Sera que pode ter alguma relacao com apneia do sono?

  45. ola bom dia minha sogra ten Epilepsia ja faz muito tempo ela toma remedio de uso continuo todos os dias certos e mesmo assim ela vive tendo varias crises como perda de memoria as vezes ela do nada fica no estdo perecendo vegetativo ou as vezes faz varias coisas tenta se machucar quer sair do lugar e fica com uma forca inacreditavel e onten ela teve uma crise diferente diz ela que a 3 vez que ela ten isso uma quando crianca e uma a uns dois anos atraz e onten ela fcou espumando pela boca ficou toda dura e nao conseguia respirar agora nao sei o que aconteceu antes da crise mmas quando deitei ela no chao e a coloquei nde lado ela estva com um botao da blusa dela na boca agora nao sei se lea ja estava antes da crise ou deu a crise de lea ficar fazendo algo estranho ou sie la e queria mais informacoes porque ela como ja disse a anos e anos que cuida dessa epilepsia mas as vezes sente algo amais que o normal ai explica as doencas que ten e a maioria dos medicos fala que nao e epilepsia ai faz varios exames e nada ai acaba mandando ela para o pisquiatra por favor ajuda la ja nao aguenta mais sofrer coitada e com o passar do tempo ela esta piorando mais e mais espero noticias de vs e desde ja agradeco muito

  46. Silva procure uma avaliação psicológica sobre o caso. Se possível procure o Dr. Eduardo Humelguem no hospital Angelina Caron na região metropolitana de Curitiba.
    Essas crises podem ser por outras razões, e há inúmeras opções de medicamentos que inclusive ajudam a emagrecer.

  47. após os quarenta e cinco anos começei a ter crises de convulsões,mais não cheguei a saliva nem cheguei a urinar tudo comecou após o falecimento da minha mãe tambem nunca deu nada nos meus exames já fui a sete capitais e fiz todos os tipos de exames e nunca tive problemas de saúde quando criança nem desmaio hoje tomo medicação do tipo frisium e lamitor a quatro meses não tenho tido crises

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *