Convulsões e Epilepsia: Entenda qual é a diferença!

Por Maramélia Miranda ** (atualizado em Junho de 2018).

Links relacionados:

+++ Convulsão febril: Entenda tudo!

 

O que é epilepsia e convulsão? Existe cura? Qual a diferença entre ataque epiléptico e epilepsia?

Convulsões, ou crises convulsivas, acontecem frequentemente na prática clínica. Dados americanos estimam a ocorrência de crises convulsivas em cerca de 5% da população. É uma condição muito frequente, em todas as idades, especialmente em crianças nos primeiros anos de vida. A convulsão acontece por causa de uma falha na condução elétrica no cérebro, levando à maior atividade elétrica em algum ponto suscetível deste, o que provoca os sintomas da crise convulsiva (abalos musculares, perda da consciência, salivação, e em alguns casos perda esfincteriana – diurese e evacuação espontânea durante as crises).

Tipos de convulsões

O tipo mais comum e conhecido de convulsões é a crise convulsiva generalizada, onde o indivíduo desmaia, e começa a ter abalos generalizados, sem nenhuma consciência, geralmente revirando os olhos e com hipersalivação acompanhando o quadro. Este tipo de crise, tecnicamente chamado de crise convulsiva generalizada-tônico-clônica, é o caso mais urgente e grave que pode acontecer no manejo das convulsões, uma vez que deve ser prontamente atendido, para evitar lesões cerebrais futuras. Existem entretanto, outros tipos de crises convulsivas, como as crises de ausência – onde o indivíduo apenas perde a consciência e fica com o olhar parado por segundos, voltando ao normal em seguida; as crises parciais complexas, como explica o próprio nome, são mais heterogêneas, e podem dar sintomas mais diferentes, como movimentos da boca, virada da cabeça, mistura de vários movimentos estranhos, sempre com alguma perda da consciência, mas sem desmaio completo, como ocorre nas crises generalizadas. Por fim existem ainda as crises parciais simples, onde o indivíduo acometido apresenta apenas sintomas focais sem nenhuma perda da consciência, como estar num momento conversando e de repente ter um abalo involuntário no braço e perna, incontrolável, ritmado, sabendo descrever tudo o que aconteceu depois disso.

Diagnóstico clínico

Ao levar o parente ou familiar que teve convulsão para ser avaliado pelo médico / neurologista, é muito importante a presença de alguém que testemunhou a crise convulsiva, uma vez que a maioria destas convulsões são generalizadas ou parciais complexas, e o próprio paciente não saberá, portanto, descrever com detalhes tudo o que aconteceu durante o evento. Este detalhamento é importante para o neurologista tentar descobrir a origem ou localização provável da crise, além de tentar classificar esta crise para decidir corretamente a medicação mais apropriada. A classificação das convulsões, além de importante para determinar o melhor medicamento, serve também para tentar estabelecer alguma relação com possíveis causas do problema.

Causas de Epilepsia e Convulsões

A epilepsia ocorre principalmente em crianças, mas pode afetar todas as idades. As causas mais frequentes no adulto são: traumatismo craniano, acidentes vasculares cerebrais (AVC), tumores, malformações vasculares, doenças metabólicas, doenças infecciosas cerebrais ou doenças cardíacas. Na criança, as causas mais comuns são fatores ou doenças genéticas, problemas de oxigenação cerebral ocorridos durante a gestação ou parto, malformações cerebrais, infecções / meningites, e por último as tão conhecidas convulsões febris (decorrentes de febre alta em crianças menores).

Exames complementares

Geralmente o neurologista ou neuropediatra, além de uma boa e detalhada história do acontecimento, ouvindo atentamente o paciente, família e testemunhas da(s) crise(s), costumam solicitar outros exames, como laboratório (exames de sangue ou urina) e eletroencefalograma em todos os casos. Em alguns casos específicos, uma tomografia do crânio e/ou ressonância também são necessários. Este conhecimento de que nem sempre é preciso fazer uma tomografia ou ressonância é fundamental, sobretudo para as famílias de crianças com crises ou adultos com histórico de epilepsia. Nestas últimas situações, uma vez que se classifique a crise ocorrida como, por exemplo, uma convulsão febril numa criança menor, ou um jovem com epilepsia mioclônica co crise convulsiva, não é preciso fazer exames de imagem, sendo estes absolutamente desnecessários!

Convulsão ou Epilepsia? 

Nós neurologistas ouvimos muito este questionamento; e sua explicação é relativamente simples: uma pessoa pode ter uma ou duas convulsões pontuais durante sua vida toda; neste caso, dizemos que o paciente teve crises, convulsão, mas não tem epilepsia.

Por outro lado, o diagnóstico de epilepsia é dado geralmente quando um mesmo indivíduo apresenta duas ou mais convulsões. Nestes casos, caracterizando corretamente a repetição das crises, o seu tipo, e possível causa destas crises convulsivas, denomina-se que o indivíduo tem o diagnóstico de Epilepsia.

O que fazer para ajudar alguém durante uma convulsão?

Primeiro: não se desesperar. Depois, seguir o passo a passo:

  1. A testemunha, amigo ou familiar deve colocar a pessoa deitada, de preferência no chão, com algum apoio na cabeça (roupa ou almofada) e com a cabeça virada de lado (para evitar engasgos com saliva ou vômitos);
  2. Outra pessoa deve imediatamente chamar ajuda por telefone (SAMU, ambulância ou transporte);
  3. Nada de tentar puxar a língua do paciente ou enfiar dedos na boca: no momento da crise, a força e rigidez do paciente pode machucar os dedos de quem tenta fazer isso!
  4. Esperar e tentar arejar o ambiente, pois em geral as crises duram poucos minutos. Se a crise demorar mais do que o habitual, transportar o paciente em ambulância e levar imediatamente ao hospital.

contar tempo de crise

Tratamento

Atualmente há uma gama bastante variada de medicamentos que são muito efetivos para controlar as crises convulsivas e epilepsia. O mais importante é ter o conhecimento que a epilepsia pode e deve sempre ser adequadamente tratada, para proteger o indivíduo de ter futuros ataques, o que pode ser fatal se isso ocorrer enquanto dirigindo, atravessando uma rua movimentada, manejando máquinas ou subindo escadas.

Aqui vai um outro recado: convulsão não mata pelo simples fato da crise em si, mas quando esta crise ocorre num local e situação em que possa acontecer um acidente, por causa da perda da consciência ocorrida durante a crise.

Cirurgias

Este tratamento é reservado para casos onde se detecta alguma lesão ou problema anatômico levando às crises, ou em casos de epilepsia de difícil controle, para tentar ajudar o tratamento com remédios.

Dicas valiosas…

… Para quem teve ou tem convulsões / epilepsia:

Independentemente se você ou algum parente seu toma ou não medicamentos contra convulsões, estas pessoas devem ter em mente que são mais sensíveis, mais suscetíveis às alterações elétricas cerebrais, por isso, a seguir, situações que devem ser evitadas:::

..:
1 – evitar situações de infecções prolongadas ou febre; sempre que tiver alguma infecção ou febre, já iniciar seu tratamento;
2 – evitar períodos de jejum prolongado ou pular refeições (procurar sempre fazer refeições intervaladas com pelo menos 3-4 horas);
3 – evitar privação de sono (passar uma noite acordado, trabalho ou lazer por horas e horas sem períodos de descanso);
4 – evitar o uso excessivo de álcool;
5 – evitar ambientes com estímulos luminosos extremos e repetitivos (por exemplo, entrar numa balada, boate ou casa noturna, e ficar na pista de dança olhando diretamente para aquelas luzes piscantes, o tempo todo!!!)

Martin Pacha 1

6 – Por último, o mais importante: se tiver epilepsia, procure não esquecer de tomar o medicamento anticonvulsivo. Esta é a principal causa de repetição ou recorrência de crises em pacientes epilépticos.

Todas as situações acima podem ser precipitantes de crises convulsivas, em quem tem maior sensibilidade.

 

 

** Dra. Maramélia Miranda é neurologista com formação pela UNIFESP-EPM, editora do blog iNeuro.com.br.

896 thoughts on “Convulsões e Epilepsia: Entenda qual é a diferença!”

  1. Olá tenho 34 anos e tive minha primeira crise de convulsão a 7 meses em intervalos de 1 mês, hoje tomo Depakote 500mg duas vezes ao dia hoje está controlado devido ao remédio, gostaria de saber se esse tratamento um dia irá acabar?? Ou irei ficar tomando pro resto da vida…

  2. Olá tive convulsão com 16 anos agora com 29 vou tomar zetron para parar de fumar tem algum problema

  3. Boa noite, meu filho de 15anos teve 3 convulsã 2016 , ele sempre foi saudável, levei ele no médico neuro, pediram mapeamento cerebral ele teve alterações no celebro, aí o médico receito trileptal 300mg uma vez ao dia,mas ele toma o genérico do trileptal. Ele tá fazendo o tratamento um ano e seis meses. No meu bairro tá tendo ibidemia de febre amarela. Mas o médico do meu filho falo que ele não pode toma a vacina da febre amarela?porque ele tá fazendo tratamento. Isso é verdade? Porque ele não pode toma a vacina?

  4. Meu marido foi operado da cabeça. N tem nem um ano. Tomou por seis meses remédio controlado. Depois começou a beber e fumar maconha e andar em festas e buates… a primeira crise que ele teve de convusaõ foi quando ele passou dois dias sem dormir so bebendo sem se alimentar. Deu duas vezes em seguida em torno de uns vinte minutos o que eu devo fazer?

  5. Desde uma cirurgia de retirada de visicula , a qual entrei em coma por alguns dias, tenho convulsoes geeralizadas, muitas vezes chega a oito e onze sequentes, ou duas a tres diarias .Tomo fenobarbital tres vezes ao dia.N ao consigo fazer a ressonancia ,mesmo sedada sem ter crise.Perdi os movimentos dos bracos e de uma das pernas.
    mlnha independencia acabou
    DR ME AJUDE PELO MENOS A SABER O QUE E todos os outros exames estao normal.Por favor me da uma luz..

  6. Olá tenho convulsão desde os 16 anos no começo eu tinha 2 por ano hj tenho apenas 1 por ano por que tomo o remédio carbamazepina ..na minha crise as pessoas relatam que eu perco a consciência e começo pedir pra não morrer minha pressão aumenta muito ..já fiz Eletro ensefalo grama e tomografia mais os exames dizem que esta sem anormalidades ..oque pode ser a causa?

  7. Olá, meu nome é Aline e tenho 51 anos. Comecei a ter convulsão com 1 ano depois que sofri um acidente com água quente, queimando toda a cabeça. Tive febre muito alta que não baixava e com isso entrei em convulsão. Minha mãe relata que a convulsão era tão forte que o bercinho balançava e demorou quase 2 hora. Quando bebê até os 9 anos tomei Comital L. Depois desta convulsão nunca mais tive convulsão. O neurologista resolver fazer o desmame e parei de tomar remédio. Quando estava com 23 anos, tive meu filho e fiz laqueadura tubária. Meses depois tive convulsão. Procurei o neurologista que prescreveu, depakene, depakote, hidantal, nenhum deles resolveu. Ele entrou com gardenal e depois disso não tive mais convulsão. Há 2 anos fiz ressonância magnética e foi diagnosticado Esclerose mesial temporal, aliás todos os exames desde 1 ano sempre deu normal. As vezes sentia como se o ambiente ficasse mais claro, cheiro estranho, sensação de ardência na cabeça, tudo sem a perda da consciência que durava alguns segundos. O neurologista diagnosticou como crise simples e prescreveu a lamotrigina. Hoje tomo lamotrigina pela manhã e gardenal a noite. Estou me sentindo ótima e sem convulsão e o mal estar acabou. Uma coisa quero compartilhar, meu mal estar e as crises convulsivas sempre aconteciam quando estava perto de menstruar e durante a menstruação e sempre aconteciam quando eu dormia. Outra coisa, sempre que eu ingeria muito líquido durante o período menstrual eu tinha convulsão. O neurologista detectou uma retenção líquida muito significativa. A ginecologista fez um trabalho com o neuro e detectou que a retenção líquida era tão grande que eu desenvolvia um pequeno edema cerebral. Comecei a tomar diurético 3 dias antes de menstruar e durante a menstruação. Tudo isso auxiliou muito e a última crise que soube foi a 15 anos atrás. Outra coisa que quero falar é que sou enfermeira e trabalho numa universidade. Outro dia uma aluna entrou em convulsão, foram 14 crises seguidas com intervalos de 2 minutos porém sem retorno da consciência. As crises eram violentas. Chamei o SAMU que demorou mais de uma hora para chegar porque o médico que atendeu o chamado alegou que convulsão não era caso de emergência. Depois de detalhar o quadro foi liberado o resgate, chegando lá a aluna estava melhor, estava consciente, porém ainda meio perdida, sem orientação. O SAMU disse que só levaria ao hospital se a aluna quisesse. Achei um absurdo e depois de algumas discussões eles levaram a aluna ao hospital. Quero enfatizar que convulsão não é brincadeira ou como uma dorzinha de barriga e que a classe médica deveria tratar melhor e com mais respeito as pessoas e familiares de quem tem convulsão.

  8. Olá, sou Ayrton e minha esposa está grávida de 2 meses ela teve uma crise convulsiva, não sabia até o momento, mas ela teve quando era criança, fizemos uma ultra é podemos ouvir os batimentos do bebê, mas estou angustiado fomos em 3 médicos e eles ficam nos jogando para um lado e outro, gostaria de saber quais os riscos de ocorrer uma nova convulsão e o quanto isso prejudica o bebê.

  9. Tenho 21 anos. Ja tive 3 convulsoes em um tempo de 11 meses, fumo maconha ja faz 5 anos
    Posso tomar o remedio indicado pelo meu medico e fumar maconha ( claro,sem exagerar ) ??

  10. Bom dia!
    Meu filho de 6 anos faz uso de Depakote de 500g/5 ml devido a epilepsia ausencia infantil, por 6 meses resolveu…
    Porém começou a dar as crises nele novamente, fomos ao neuro ele aumentou a dose para 7 ml, agora depois de 2 mes, iniciou as crises, voltamos ao neuro ele mandou abaixar para 5ml novamente.
    Agora com 2 meses começou as crises de novo…nao sei o que fazer..alguém que ja tenha passado por isso?
    E tbm o que devo fazer quando ele tem crise? O medico neuro fala para ter calma que ela volta ao normal, mais os medico qdo levo ao pronto socorro falam que tem que correr pq falta oxigênio no cérebro e tem que levar correndo para não da problema futuros, gostaria de saber ao certo o que devo fazer?
    Desde já..obrigada

  11. Ola boa noite,
    Meu filho tem 12 anos e na segunda feira passada horario de 12:00 hs teve uma crise convulsiva, ate entao nunca tinha tido, demorou em torno de 1 minuto a um minuto e meio, quando aconteceu ele estava em jejum e com raiva, a uns dois dias antes ele estava com uma dor no pescoço igual um torcicolo, ele e atleta joga pratica muito esporte futebol, e mais quando eu levei ai hospital q mediram a pressao dele estava muito alta, 16×10. Na consulta com neuro ele passou um anticonvulsivo para ele tomar um comprimido antes de dormir. (Carbamazepina 200 mg) e passou uma ressonancia e um eletroencefalograma.

    Por favor me passe um diagnostico de tudo q foi escrito acima, pq estou aerio nao sei o q fazer e o q pensar. Agradeço

  12. Eu sou Sandra, tenho 27 anos primeira crise, quando tiver tinha 7 anos . Passou uns anos depois, voltei ter crise com 17 anos mesmo tomando dois tipos de remédios tem dia, que eu tenho crise.

  13. Oi bom dia meu filho faz o uso de depakene e respiridona sendo que mesmo ele tomando ele está tendo crise e uma pior do que a outra e logo após dás crises ele está vomitando coisa que ele não fazia. Ele é especial só que eu fico com medo de ele dar e não reagir como antes hj ele deu e foi muito feia ele evacuou e urinou ele gritava muito. Ele tem um cisto celebral vc acha que esse cisto tá ajudando ele ter essas crises??? Ele tem 9 anos te confesso já n sei oque faço!! (

  14. luana — tem que levar a um neuro, tem dezenas de outros remedios alem do gardenal para se tomar… consulte um neuroclinico.

  15. Olá
    Meu namorado tem 24 anos e tem epilepsia começou aos 16 anos e só da dormindo ele vira os olhos, se bate muito e ele começa a presentar q vai dar começando a estalar e boca e tendo muito frio, e faz exame não dá nada, ele toma gardenal mas não adianta, as crises são frequentes, alguém que tem um caso parecido ou até mesmo a doutora pode me ajudar a saber oq devo fazer a respeito muito obrigada.

  16. Oi, minha esposa tem 22 anos tá grávida de 4 meses, teve uma crise convulsiva a 20 dias atrás e tava na UTI na maternidade já tinha saído da UTI , e hoje deu crise de novo e voltou pra UTI, o que será que foi?
    Desde já agradeço

  17. Boa tarde meu nome é Adriana meu filho tem 11 anos ele teve dus convulsões no dia 10/10/2017 sem febre no pra de três hrs.E no dia 16/10 ele teve outra estou muito assustada ele nunca teve levei ele ni médico que deu a guia para passar no neuropediatra e passou fenobarbital de 100mg duas vezes ao dia até eu passar com neuro,estou com muito medo acho muito forte o remédio ele fica com tontura e dorme muito devo continuar com essa dose de remédio ate passear no neuro.

  18. Ola boa tarde
    Gostaria de estar fazendo uma pergunta
    Tenho um filho q vai fazer 4 meses desde de o dia 31 de agosto foi o primeiro dia q ele passou mal teve começo de convulsões e desmaio ja fez varios exames e ninguém descobre ja teve varias crises passaram o medicamento gardenal 13 gostas de 12 em 12 hrs. Gostaria de sabef se tem como me esclarecer o diagnóstico q esta acontecendo.
    Obrigado

  19. Meu filho tem 7 meses e com 3 teve sua primeira crise convulsiva, desde então ele teve 4 convulsões. Já fez a tomo e eletroencefalograma mas não constou nada, faz 2 meses q ele toma 44 gotas de fenobarbital e semana passada ele teve outra convulsão. Parece q o remédio não está fazendo efeito, não sei mais o q fazer!

  20. Se os neurologistas fossem como os engenheiros, já haveria cura para essas descargas elétricas anormais, o problema é que nossos médicos e pesquisadores são muito limitados.
    Ser neurologista é a coisa mais fácil que existe; se a pessoa tem um problema de convulsão, enfia remédio nele e faz exames periódicos.
    É uma total incapacidade nessa área, profissionais e pesquisadores péssimos.

  21. Meu filho de 17-20 dias tem eventos, em que ele vira os olhinhos e parece por uns 4 segundos sair do ar. fizemos EEG 3 vezes, não apresentou nada, e depois de ter feito uma ressonancia magnetica, ele apresentou essas viradas dos olhos. Dra, pode ser que seja epilepsia?

  22. meu filho tem epilepsia ha 4 anos, toma Carbamazepina e Depakene, cada vez que vai ao neurologista é aumentada a dose, pois mesmo tomando os remédios ele tem umas crises estranhas, ela cai do nada, fica sem coordenação do lado esquerdo do corpo, não é daquelas crises de se contorcer, ficar desacordado e babar, simplesmente ele cai. O que podemos fazer, será que tem que mudar a medicação

  23. olá! bom dia. sou Natália mae do Miguel que até 2 meses e 10 dias era aparentemente uma crianaca normal, estava se desenvolvendo muito bem. até que um certo dia ele Rev uma apneia onde levou a bronco aspirou e ficou 9 dias na uti. la ele convulsionou várias vezes teve melhora e saiu fazendo o uso de 12 gotas de fenobarbital, depois de um tempo apresentou de novo e o neuro acrescentou depakene, passou outro período bem até iniciar novas crises convulsivas e foi acrescentado o frisiun onde ele passou um mês bem e convulsionou novamente e a neurologista passsou o sabril. após ele ficou muito bem foi o pedido de tranquilidade porém SÓ durou 1 mês e 19dias. então estamos desde quarta feira passada dia 20/09 que ele convulsiona falei com a medica e ele aumentou uma dose do sabril , estamos com uma semana do aumento da dose e ela disse q era normal e que ia passar. gostaria de sabera é possível que o organismo dele esteja a acostumando rápido demais as medicações? e a tem como mudar isso para que não fique so aumentando medicações e doses? outra coisa mesmo tendo uma série de crise e diagnosticado com eplepsia é possível a cura? um abraço

  24. Então meu filho tem cinco anos de idade ele teve quatro convulsões do mês de Julho até o mês passado até então depois da convusao ele não mostrou reação nenhuma nas agoradepois de quise suas ele parou de falar não tem reação pra nada fica pra lá e pra cá

  25. Eu tenho 23 e desdos 16 tenho crises convulcivas e as vezes da durmindo tipo hj deu essa noite quando acortei tava cm um monte de manchinhas emcima dos olhos e no pescoço queria saber se eh normal e geralmente eu esqueço das coisas das pessoadstambem

  26. Boa tarde
    Sou mãe do Bernardo ele tem apenas 3 meses .
    Quando estava com 48 hrs de vida teve 13 convulsões foi internado e tomou o cardenal 3 gotas a cada kg .
    Sendo que quando ele estava com 1 mês e meio teve outra
    E com 2 meses e 27 dias teve mais 3 .
    Quando ele tinha 15 dias fiz o eletro e a ressonância que o neuro pediu , mais que no eletro deu alteração do lado esquerdo ataque epiletico e a ressonância não constou nada , isso pode ?

    E mandaram aumentar a dosagem pra 4 gotas por kg .
    Mais agr ele mal fica acordado só acorda mama e dorme .
    Estou dessespera , sem conta que depois dessa última crise ele fica com olhar ausente por alguns segundos e depois volta ao normal.
    Tipo ta brincando aí trava do nada e não responde nada nem ninguém nem pisca , Depois ele volta a brincar.

    Estou despertada meu filho pode ter uma vida normal ?
    Ele msm tomando médicamento está dando convulsões , o médicamento não está certo ?

    Quais as sequelas desses ataques pode ocorrer?

    Obrigada desde já .

  27. Bom dia; me chamo Patrícia; eu começei ter crises convulsivas depois do meu parto; já faz 7 anos, começou com gardenal, não resolveu; hoje tomo volproato de sódio e carbamazepina, mas mesmo assim ainda sinto; e nos meus exames Nunca dão nada, e nem os médicos me explicam direito; isso tá me impedindo de trabalhar.

  28. Meu filho foi diagnosticado com epilepsia rolantica. Teve duas crise quando achei o Neuro pediatra Paulo Scatolin que trata ele com 300g de 12 em 12 horas de trileptal . Está a 3 anos sem crise.. fizemos essa semana o eletro com vigília e sono e deu normal.. ele falou que vai começar a retirar a medicação.. estou com receio, pois as crises que ele teve foi dormindo e sei que novamente não dormirei mAis tranquila daqui pra frente, visto que em 1 mês já estará sem a medicação.

  29. Olá sou a Fernanda.
    Tive convulsão com 7 anos de idade, e fiquei 3 dias em coma, hoje tenho 22 anos, e sinto que sou diferente das outras pessoas, sou mais devagar para fazer as coisas, para entender, sou bastante quieta também. Queria saber se esse problema que tenho hoje tem haver com a convulsão que tive no passado?

  30. Olá,me chamo Nicole e tenho 22 anos. Descobri uma malformação arteriovenosa parietal direita aos 14 anos,nessa época tinha crises parciais simples.Aos 15 fiz uma cirurgia que serviu apenas para abrir e não resolver nada,e 4 meses depois uma rádio cirurgia,e minhas crises pioraram,vinham mais fortes durante um ano mais ou menos. Amenizaram,porém ainda as tinha,fazia uso do carbamazepina,mas nao frequentemente,até que as crises pararam,por fim após 3 anos da rádiocirurgia,ela remediou minha MAV. Fui curada. Fiquei mais 3 anos sem nenhuma crise,e sem tomar nada. Então engravidei do meu Arthur,não tive complicações na gestação, tive parto cesárea, e após dois dias,tive uma convulsão da qual estive inconsciente e torta de todo meu lado esquerdo. Fui ao PS e então começamos uma nova maratona de exames,a Mav não retornou pelo que apareceu nos laudos,mas tenho crises na qual perco a sensibilidade do braço desenvolvi enxaqueca tambem.Alguns médicos me dizem que posso ter essas crises pela lesão da cirurgia que fiz há anos atrás, mas estive 3 anos sem nada,e sem medicação alguma, hoje tomo 4 tegretol 200 e iniciei o propranolol. Meu bebê completou seis meses,e tenho medo,essa é a verdade,já venci varias batalhas,mas com um filho,agora é diferente.Minha neuro diz que tenho epilepsia, mas se nasce com ela,ou pode se desenvolver a mesma? Devo esperar?

  31. Bom dia
    Minha filha tem 18 anos tem problema de depressão. Tem algum tempo começou dar crise convulsiva ja chegou a desmaiar 6 vezes por dia levamos ela no neuro foi feito exame e o medico diagnosticou eplepsia, começoua tomar torval de 500MG, passou uns meses bem,ela toma 3 vezes ao dia, mas agora comesou a dar crises de novo e o medico clinico passou fernobarbital parou de dar crise, mas a minha filha agirá esta internada com quadro de desidratação devido esta com muita sonolência ela esta dormindo 24 horas por dia, nao come, nao bebe si dorme, parece uma paciete em coma a diferenca que acorda uns cinco minuto e não a aguenta ficar mais do q isso acordada, estou desesperada

  32. Minha filha chora muito, fica com a boca roxa, faz coco na roupa; ela é nervosa; ela cai, ela não desmaia, só cai. o médico disse que é epilepsia.

  33. Minha filha nasceu com uma falha neurológica e só agora aos 13 anos teve a primeira crise l, o médico receitou 300mg de crileptal, duas vezes ao dia(12 em 12 horas), deu crise no segundo dia e depois parou, uma semana depois voltou e teve três no mesmo dia, fiquei muito triste pois imaginei que pararia. Alguém pode me ajudar, já passaram por experiência parecida? Obrigado.

  34. Boa tarde! Meu filho tem 4 anos ele deu uma crise sem febre a dez meses atrás ele estava tomando gardenal ,agora tá tomando valproato de sódio ,o neurologista falou que é epilepsia Será que é mesmo já mim deu vontade de para de dar esses remédios forte pro meu filho ,ele ainda acorda chorando com coisa que tá sonhando Será que é crise ?

  35. Olá, tenho 21 anos e tive uns 4 convulsões. Sempre tenho quando estou muito estressado. Minha dúvida, sou epilético ou tenho apenas convulsões? Ou tive? Porque faz 4 meses que não tenho, levo uma vida normal, bebo e saio pra boates, não aconteceu mais nada comigo. Fico tentando não me estressar mais. Tomava o medicamento Oxcarbazepina 300mg. Não tomo mais o medicamento e já vai fazer 5 meses e não tive mais. Aguardo retorno, irei agradecer e muito.

  36. Sheila – pode acontecer isso (ter epilepsia e não ter convulsões) se o tipo de crise epileptica não for a convulsão, mas algum tipo de crise parcial, focal, atipica.

  37. Boa noite . Tenho histórico de crises convulsivas . quando menor (7 a 9 anos )tomei remedio “cadernal”durante 2 anos o que adormeceu a doença por um longo período . voltei a ter crise com 25 anos . que ocorreu devido o consumo de bebidas alcoólicas em excesso. Voltei ao medico e ele me indicou o remedio _hidantal fenitoina. Tomar durante 60 dias e cortar o álcool ,após esse período suspender o remedio .Minhas são as seguintes !tomando o remedio por 60 dias . corre o risco de ter convulsões mesmo não ingerindo bebida alcoólica?
    #isso e uma doença hereditária? Tenho um filho 1 ,6 anos e me preocupo com o futuro dele .
    Boa noite aguardo resposta

  38. Fui fui diagnosticada com epilepcia mas nunca tive convulsões. Isso é possível????

  39. Débora procure um tratamento natural com bio saúde e resolver. Jaime burning ache no Google. Eu tratai e valeu eu tinha vermes na cabeça. É o médico não sabia e so almentava a dose do gardenal. Ess verme não aparece em exame muita das vez.p tirar só com chás dieta e argila.

  40. Boa tarde!
    Queria uma informação à respeito da convulsão,fazia 5 meses que não passava mal, fiz tratamento por 6 meses e o médico pediu pra eu diminuir na dosagem,ate que um dia voltei nele e ele pediu pra eu parar pois estava bem, porém já passei por 4 neurogista durante esses anos, e sempre faço exames, inclusive a última tomografia fiz com contraste que foi o ano passado e não deu nada. Queria uma indicação no que devo fazer, pois ja fiz tudo que é exame e nao da nada.

  41. Oi meu irmão teve convulsão está tomando remédio só que tém tido crises de convulsão pelo menos 2X na semana a noite só que as crises dele ele levanta parace está sonâmbulo as vezes se bate dormindo daí temos que seguraramente o braço dele será que levo ele em outro neuro

  42. Oi dra,eu tenho 30 anos sofro de transtorno de ansiedade generalizada e pânico, corro o disco de ter convulsões??
    Sendo que eu nunca tive.
    Soube q um amigo tem convulsões e tem depressão,entrei em desespero pq tenho medo,me ajuda!

  43. Boa noite , meu filho tem 18 anos , menino super normal, faz faculdade , n bebe nem fuma , teve uma convulsão repentina , pelo hematoma na cabeça ele debateu, levei ao neuro e logo ele passou fenobarbital, estou com medo de dar a medicação, na sefunda irei fazer um eçetroencefalograma e uma tomografia, sera que agi certo de n dar o medicamento ?

  44. Tenho 34 anos e Tive três crises de convulsões em um período de 3 meses estou tomando o medicamento depacote 500mg nunca tive isso….. Ouvi de um profissional de saúde que pode ser psicológico…. porém meu médico me passou esse medicamento que ouvi dizer que é extremamente forte…. Oq devo fazer!??? Alguma sugestão!???

  45. eliana – os exames todos feitos podem vir normais… e mesmo assim a pessoa continua tendo crises. isso nao exclui o diagnostico de epilepsia. tem que ver qual medicamento sua filha usa, frequencia e tipo exato das crises. conversar isso com o neuro assistente.

  46. Boa noite minha filha tem 7 anos e desde os 5 anos,ela desmaia dura, e com olhos abertos, e quando demaia não treme,nao saliva,fica parada,ja fiz vários exames e sempre dá normal ,Eletroencefalograma,Tomografia,Ressonancia, e continua a desmaiar, nas vezes que desmaiou passou nervoso,ficou com medo,ou caiu e se machucou,e sempre estava com fome isto são convulsões ??porque nenhum médico diagnosticou ,e não sabe aí certo o que é,

  47. Rose – Venvance pode ser um estimulante para crises, em pessoas suscetíveis. Sugiro conversar com o médico do seu filho. Não sei detalhes do caso.

  48. Boa noite!!! Sou Rose, meu filho teve uma convulsão em fevereiro de 2014 e no dia 29 de julho de 2017, teve outra convulsão, ele tem 6 anos e toma venvanse 20 mg, a segunda convulsão dele depois de 3 anos e 5 meses pode ser considerada epilepsia?
    Gostaria de saber se posso continuar com o venvanse ou não ? O que devo fazer, estou perdida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *