Convulsão febril: Entenda tudo!

tags: convulsão febril, causas, tratamento, como agir, o que fazer, crises convulsivas febris, criança, primeiros socorros, epilepsia.

Por Maramélia Miranda **

A convulsão febril é um tipo de convulsão generalizada (que acontece com sintomas de perda da consciência da criança, abalos generalizados nos braços e pernas, virada dos olhos para cima e dificuldade de respiração) que costuma durar poucos minutos, sempre em crianças pequenas (de meses a alguns anos de vida), associadas a elevação rápida da temperatura corpórea (febre) devido a alguma infecção, como resposta do cérebro desta criança à condição e à velocidade de elevação da febre.

Mesmo falando e orientando pais e familiares sobre a benignidade da crise de convulsão febril, que dura pouco tempo, que não é algo muito grave… Mesmo assim, durante o ataque, os sintomas apresentados pela criança podem ser desesperadores para quem os presencia.

As crises convulsivas febris podem ser simples, quando duram de segundos até 10-15 minutos, e não voltam em um período de 24 horas ou menos. Neste tipo de crise, os abalos costumam ocorrer nos dois lados do corpo e de forma generalizada. As crises que duram mais de 15 minutos, onde os abalos ocorrem em um lado do corpo da criança apenas ou recorrem (voltar a acontecer) em menos de 24 horas da primeira, chamamos de convulsão febril complexa, e podem indicar uma evolução mais séria. Entre os fatores de risco para ocorrer a convulsão febril, o maior deles é, sem dúvida, a idade menor: estas convulsões ocorrem sobretudo em crianças de 6 meses até 3-4 anos. Raramente antes ou após esta faixa de idade. Se houver histórico de familiares com o mesmo problema, o alerta também deve ser dado.

O que fazer durante a convulsão?

A primeira coisa é manter a calma, deitar a criança e apoiar sua cabeça numa superfície macia, virando a cabeça para o lado, para que a saliva ou alguma secreção saia pela boca naturalmente durante o ataque, e não obstrua a sua respiração. Se puder, peça a alguém ou você mesmo conte o tempo que durará a crise. Este é uma importante informação para o médico. E você poderá ficar tão preocupado e desesperado, que nem terá muita noção disso após o acontecido! O tempo de duração da crise é um dos indicadores de maior ou menor gravidade de cada caso.

contar tempo de crise

A duração de uma convulsão febril típica é de alguns minutos. Depois disso, a criança costuma ficar sonolenta e acorda aos poucos. Não recomenda-se colocar os dedos dentro da boca da criança para puxar sua língua, pois esta ação pode levar a lesão dos dedos de quem tentou apenas ajudar.

medir temperatura

É muito importante a mãe, pai ou familiar documentar se houve febre e o seu nível (medir a temperatura com uso do termômetro, no momento do ocorrido), pois a convulsão febril deve ser diferenciada de uma convulsão sem febre. Esta dúvida não deve existir.

Muito importante: nada de tentar baixar a febre no momento da crise! Tentar dar remédio para febre pela boca da criança durante o ataque pode piorar a situação, causar engasgo ou aspiração, elvando até a pneumonias.

Depois do término da crise, orienta-se ligar para o pediatra, para avisar do ocorrido, em casos de primeira convulsão febril ou quando não se conhece a causa da febre, a ida até o hospital, para um exame médico-pediátrico detalhado, a fim de verificar o que causou a febre (local da infecção), e tratar este foco o quanto antes, se possível.

É preciso fazer uma tomografia ou ressonância magnética do crânio em caso de convulsão febril?

Esta pergunta é muito, muito importante. Sabe-se que, se for convulsão febril, muito, muito raramente haverá a necessidade de exame de tomografia ou ressonância. Inclusive, a prática de pedidos indiscriminados (excessivos) de tomografias do crânio para casos de convulsão febril já foi bastante estudada, e acreditem: crianças com convulsões febris ou traumas de crânio submetidas a tomografias de crânio sem esta necessidade apresentaram, na evolução e reavaliação destas pesquisas, maior incidência de tumores cerebrais e outros tipos de câncer, por causa da sua maior exposição aos raios-X presentes nestes exames.

Portanto, um recado aos pais e familiares da criança com convulsões febris: na grande maioria das vezes (exemplos raros de exceção: meningites com coleções ou abscessos cerebrais), NÃO HÁ A NECESSIDADE DE TOMOGRAFIA OU EXAME DE RESSONÂNCIA NA AVALIAÇÃO DE CONVULSÕES FEBRIS.

Então, quais exames serão os importantes?

O primeiro e mais importante é a documentação da febre com termômetro ainda em casa, seguida pelo bom exame clínico do pediatra, para ver o local do foco da febre (ouvido? garganta? abdominal? outro?), assim direcionando o seu tratamento. Outro exame importante, e que na maioria das vezes vem com resultados normais, é o eletroencefalograma (EEG), feito geralmente depois da fase aguda, em ambulatório. Além destes, exames de sangue, de urina (para detectar infecções urinárias) ou exame de liquor (para examinar se há meningites) podem ser necessários.

O que pode acontecer com uma criança com convulsões febris?

Na maioria das vezes, NADA!!!! Apesar do que se aparenta, este tipo de crise é muito benigno, e a maioria absoluta dos pacientes acometidos não terá nenhuma lesão cerebral, retardo de desenvolvimento, inteligência ou dificuldades de aprendizado. Também é importante dizer: não significa que a criança que tem crises convulsivas febris terá epilepsia. Esta chance é de cerca de 1% (muito pequena).

A maior preocupação dos pais e dos pediatras é se as crises convulsivas febris voltarem mais e mais vezes. Esta recorrência de crises pode acontecer, e é um dos focos do seu tratamento.

Se houver histórico de familiar próximo com convulsões febris, as convulsões vierem com níveis mais baixos de febre ou em idades menores (menores de 15 meses de vida), se a criança tem tendência a ter febre frequentemente ou com níveis mais altos, ou o período entre o começo da febre e a crise convulsiva for mais curto, a chance de novas crises são maiores.

Medicamentos

Os antiepilépticos convencionais, como ácido valpróico, carbamazepina, oxcarbazepina ou fenobarbital, são os mais usados como preventivos, em casos selecionados.

Na ocorrência do início da febre, em crianças que já tiveram convulsões febris, é importante tratar prontamente a elevação da temperatura com antitérmicos usuais (paracetamol, dipirona ou ibuprofeno).

O uso de diazepan via retal, clonazepan sublingual ou lorazepan oral, como medicamentos anti-convulsões, usados para abortar possíveis ataques, quando há febre documentada em crianças mais sensíveis à recorrência das convulsões febris, podem ser prescritos pelo pediatra e/ou neuropediatra.

** Dra. Maramélia Miranda é neurologista com formação pela UNIFESP-EPM, editora do blog iNeuro.com.br.

294 thoughts on “Convulsão febril: Entenda tudo!”

  1. Meu filho teve a primeira crise epiléptica com 9 meses, em Novembro/2013, durou aproximadamente 10 minutos, levamos correndo para o hospital e, chegando lá, a crise já tinha encerrado, ele não manifesta os sinais convulsivos, apenas fica parado, sem reação, olhar fixo, boquinha aberta. Chegando no hospital, ficou em observação por 24h, foi diagnosticado como convulsão febril, estava com 37,5ºC, fizeram TC, exames laboratoriais e nos liberaram dizendo que estava tudo normal. No dia 13/Dezembro/2013 ele teve a segunda crise, com 37,2ºC, e entrou em EMC, durou mais de 1 hora e precisou ser intubado, hidantalizaram e ficou internado até dia 25/12, com uma extubação sem sucesso e a segunda, bem sucedida. Foram feitos 2 eletros, outra TC, ressonância e nada. No último eletro apareceram focos epiléticos mas o neuro disse que nada justificativa e não precisávamos nos preocupar porque era apenas uma convulsão febril mesmo. Desde então ele está com fenobarbital/diário e não apresentou novas crises. Agora o médico quer tirar a medicação e eu estou com muito receio, porque não tenho certeza se meu filho se enquadra mesmo em diagnóstico de crise convulsiva febril, gostaria muita da sua opinião. Aguardo contato. Grata!

  2. jessica, a primeira pergunta que cabe é: porque ele fez um EEG com 1ano e pouco, se vc fala que só teve a primeira convulsão agora? já tinha tido antes? entender porque algumas crianças tem convulsão febril e outras não é uma coisa bem dificil. nem nós medicos sabemos responder isso… o fato é que parece esta convulsão do seu filho ter sido febril (se foi, ainda bem!)… das convulsões, é a mais benigna. fique tranquila, assim que perceber temperatura mais alta nele, medique logo contra a febre, e leve ao neuroped os exs dele todos, inclusive o EEG que fez ano passado. leia e estude o assunto como puder, para saber o que fazer caso esta crise volte. o principal é ter calma, medir a febre, alguem contar quantos minutos durou a crise, observar e se possivel filmar (com camera de celular mesmo) a crise para o medico ter mais um dado visual do ocorrido. e manter a perseverança porque estas crianças ficam bem, sendo tratadas adequadamente. abs e boa sorte.

  3. Olá, meu filho de 2 anos e 11 meses teve sua primeira convulsão na madrugada do dia 14 ele estava dormindo, e normal isso? Ele nunca teve nada disso que estava com 37.5 de febre, corri rapidamente para o PS ele estava com muitas contrações musculares e gemia muito la eles deram remédios na veia pata baixar a febre só que as contrações não pararam, só parou mesmo quando aplicaram uma dose de gardenal. Agora consegui um encaminhamento para neuropediatra. Ele já fez o eletro encefalograma quando tinha 1 ano e pouco e não acusou nada. Só queria entender o porque ocorreu essa convulsão meu filho ficou sem sentido nenhum e meu coração aperta só de lembrar o estado que vai ele.

  4. bruna, precisa passar com pediatra ou neuroped do SUS, pelo que entendi. se precisa de receita do medicamento, o remedio está acabando, vc deve ir em qualquer horario, sem marcar, numa unidade – numa UBS que tenha atendimento de pequenas urgencias, tipo pronto-atendimento. deverá explicar isso ao pediatra, explicando que sua filha não pode ficar sem o medicamento pelo risco de nova crise, não pode ficar sem a receita, pois a venda só é conseguida com receituario especial… certamente eles irão aviar esta receita pra vc até que consiga passar no ambulatorio com o medico.

  5. Ola tenho um filha de 3 anos quando ela estava com 1 ano ela deu 3 crise de cf , ai passou um bm tmp com 2 anos ela deu mais uma pos fiquei preocupada fui np neuro fiz EEG nao deu nada eli disse q ela nao precisava tomar remedio so evitar aumento da febre, depois de um ano sem dar ela deu novamente levei ao hospital o medico receitou gardenal e mandou eu retorna com a neuro mas enfom nao deu certo e pelo sus e um caos , agora pra ela tomar gardenal tenho que ter receita , nao sei oq fazer, se paro d dar, pos ela ja ta cm quase 4 anos, oq faço?

  6. rosangela, se seu filho teve 4 convulsoes febris, realmente o segundo neuro teve razão em prescrever algo para prevenir novas crises. o depakene é super bem indicado, se seu filho não tem alergia a este remedio. tem poucos efeitos colaterais, é bastante seguro em crianças. converse com o neuropediatra que prescreveu, tire suas duvidas. abs e boa sorte.

  7. zilma, pode acontecer de uma criança ter crise convulsiva febril, mesmo tomando anticonvulsivos. deverá rever a dose do medicamento com a neuropediatra da sua filha, reavaliar o quadro dela novamente. abs e boa sorte.

  8. Boa noite minha filha tem 1ano e 9meses teve a 1 convulsao com 1 ano teve depois mais duas e mesmo tomando carbamazepina hoje teve febre e teve uma convulsao e normal mesmo tomando o remedio dar convulsao?

  9. Olá bom dia….meu filho tem 4 anos…ele teve uma convulsão com 1 ano e meio mais ou menos……levamos ao neuro…fizemos exames e não não deu nada….ele acho melhor não passar rémedio controlado….mas ele já teve 4….agora levamos novamente em outro..onde ele recomendou tomar o depakene…masss fico na dúvida em dar o remeio…ele é súper saudável….súper raro ter gripe….que dá febre….por isso penso em não dar o remedio…..pode ser q não venha ter mais a crise e estar tomando atoa….sendo q o medicamento pode vir até ter reações…o que fazer???? pode me orientar…..não estou segura qual seria a melhor opção..

  10. meu filho teve uma convulsão ontem, ele tem 10 mezes, temperatura 37,5, o estranho é que 3 horas antes ele estava com 39,7, foi dado banho frio nele e baixou a temperatura para 36 e pouco, normal isso, não sei se foi um almento repentino da temperatura, ficamos apavorados, e até fizemos oque não deviamos, por ignorancia, como balançar a criança, gritar com ela, estava sonolenta demais e naõ respondia aos estimulos, estamos preocupados..

  11. Olá doutora boa noite.
    Meu filho hoje tem 3 anos e 3 meses e com 1 ano e 9 meses ele teve uma convulsão febril,com 38,5 graus de temperatura,por conta de uma infecção de garganta,por conta disso permaneceu internado 24 horas mas,graças a Deus não teve mais. Em decorrência disso leve – o a uma neuropediatra logo em seguida,desde então ele toma depakote springle de 125 mg duas vezes ao dia.Nâo foi realizado nenhum exame(eletro,)sendo somente diagnosticado como criança TDH – hiper ativo, gostaria de saber sua opinião em relação a esse medicamento, quando devo parar de medicá-lo,tendo em vista que ele já apresentou outros episódios de febre e não teve mais convulsão…Fico apavorada só de me lembrar desse fato e isso me impede até de colocá-lo na escola,pois tenho medo de ter febre e correr o risco de ter convulsão…o que devo fazer?
    Desde já agradeço sua atenção…
    Obrigada Carolina.

  12. Minha filha teve 7 crises cf .a primeira foi quando tinha 1 ano e 2 meses .foi acompanhada pela neuropediatra fez eeg (deu tudo ok) ela passou depakene para prevenção e o rivotril em caso de febre acima de febre 38,5 .tomou por um tempo .por conta própria acabei parando ,mas ela passou um bom tempo sem apresentar cf,mesmo tendo febre de 39,5.agora esse mês por conta de uma febre de 39,9 devido a uma virose ela apresentou uma cf .as crises são rápidas de segundos .voltei a neuro e levei carao ,pela a irresponsabilidade.agora tratamento a risca .achei q o remédio tava causando as dores na barriga q ela sente ,mas um exame mostrou apenas gases .vou dar o medicamento certinho agora, e a neuro acompanhará com exames de sangue. a neuro da minha filha filha é ótima e passa segurança no q orienta. vai dá tudo certo pra nós .

  13. Meu filho hoje com um ano e sete meses, teve sua primeira convulsao com seis meses ele estava com febre de 38 e ja teve no total 5 crises todas com febre menores de 38 graus, ja foi feito todos os exames tomo, ressonancia e eletro e Gracas a Deus nao deu nada, ele faz acompanhamento com a neuro e apos a segunda crise comecou a tomar o Depakene usa 3 ml de 12 em 12. Mas mesmo ele tomando o remedio e com todo o cuidado que tenho quando ele tem febre ele teve uma convulsao por uma otite. Gostaria de saber se é normal a criança ter crise de convulsao febril mesmo tomando medicamendo para evitar. O que tevo fazer? Trocar o remedio aumentar a dose? Tem alguma outra alternativa? Nao quero mais ver meu filho ter convulsoes. E gostaria de saber se esses remedios podem prejudicar a saúde do meu filho a médica faz exames para controlar mas mesmo assim fico preocupada. Obrigada….

  14. CAROLINE, não precisa fazer exame nenhum de urgência. Se foi uma crise convusliva febril, febre medida, crise rápida, converse com o pediatra do seu filho e aguarde a consulta com o neuro. abs e boa sorte.

  15. O problema ´que pelo SUS só vai ser liberada a consulta com o neuropediatra final de março ou mais longe ainda. Eu queria saber se era o caso de fazer esses exames particulares? Ou da para esperar sem problemas..

    ,

  16. igor, não é errado esperar e aguardar se haverá outras crises, também não é errado já medicar com anticonvulsivo. a decisão é muito individual, de acordo com a avaliação do médico na frente dos pais da criança, vendo o caso de perto, o nivel social e de cooperação dos pais, como manejam a criança e se sabem ou não manejar crises.

  17. caroline, vc tem que levar seu filho ao neuropediatra e explicar tudo, e receber a orientação para o caso de elevar a temperatura de novo. se já houve mais de uma crise, pode ser que queiram entrar com anticonvulsivo. não é errado. outra opção é prevenir as crises sempre que tiver temperatura. converse com o pediatra ou neuroped. abs e boa sorte.

  18. Meu filho teve a primeira convulsão com 1 ano e 3 meses e a segunda com 2 anos, as duas com febre acima de 39,5. Minha família tem muitos históricos, inclusive eu. Na primeira vez ficou em torno de 15 min. desacordado, mas estava no hospital e foi medicado imediatamente. Na segunda estava brincando em casa e ficou em torno de 30 min. desacordado, ele não se bate apenas revira os olhos, perde o sentido e saliva. O que devo fazer? Quais exames?
    Há e à febre dele dá do nada, só febre. Pelo menos nos exames de sangue, de urina e raio-x não aparecem a causa.

  19. boa tarde minha filha teve uma crise com 11 meses devido a uma febre repentina e fiz exames e nada foi detectado depois disso com 1 ano e 6 meses teve outra crise com febre novamente o medico disse que só faria algum tratamento apos a terceira crise pois isso era normal em crianças com menos de 5 anos vc acha isso certo ou devo fazer algum tratamento para que tenha mais crises.
    e se tratar com 5 anos para o tratamento ?

  20. Oi, minha filha tem 1ano e 10 meses e teve a primeira convulsão febril aos 7 meses. Ficou internada por 03 dias, fez varios exames e todos dão negativos.
    Faço tratamento com neuro que me receitou 30 gotas de fenobarbital, porém mesmo ela tomando o remédio ela já teve umas 10 crises. A última dia 15/12/13 e essa foi muito forte, perdeu totalmente os sentidos, ficou toda roxa e engasgou, meu marido teve que sugar oque saia da boca dela para que ela conseguisse respirar, foi muito assustador.
    Troquei de neuro e ela me receitou 50gts de fenobarbital, porém estou percebendo minha filha mais lenta, cai muito, dorme demais e chora muito.
    O que devo fazer? Continuo com o remédio ou paro? Qual seria o melhor remédio para que eu possa conversar com minha medica para podermos trocar?
    E mais uma coisa ela está começando afalar agora, será por causa das varias crises que ela teve? Pois meu medico falou que quanto mais crises a criança tem, pode perder massa ecefalica (não me lembro bem a palavra), e afetar o seu desenvolvimento.
    O que devo fazer? Continuo com o remédio ou paro? Qual seria o melhor remédio para que eu possa conversar com minha medica para podermos trocar?

  21. Ola…meu bb tem 1 ano e 5 meses. E ele teve uma CF com 39 graus d tmperatura e foi realizado o exame de E.E.G e a conclusao foi descargas de pontas tipo “SHARP” em todas regioes cerebrais.O neuro receitou o medicamento DEPAKENE.
    Minha duvida e por que o uso do medicamento se foi apenas 1 uma unica crise convulsiva e com fEebre?e esse medicamente ele e realment bom p esse problema de C.F?
    Aguardo respostas

  22. Minha filha tem dois anos e meio, e desde janeiro do ano passado vem apresentando quadros de convulsões febris (pelo menos umas 7 vezes). Por conta do fato, a levamos p/ uma neurologista que receitou Tegretol. Como ela apresentou outros quadros, a neuro receitou Trileptal e Amato. Mesmo tomando estes remédios, minha filha teve convulsão febril este mês.

    Observo que descobrimos que minha filha, tem refluxo o que pode potencializar a febre. Ela já está realizando um tratamento.

    Eu e a minha esposa estamos preocupados. O que fazer? É comum uma criança apresentar vários quadros de convulsão febril? Espero resposta. Obrigado!

  23. Olá…O retorno do meu bebê é dia 31/01/2014,então o melhor agora é nem começar a dar
    o remédio,pra que assim o médico receite outro bem menos “prejudicial” pra saúde dele,
    porque o médico mesmo me disse que esse medicamento vai fazer com que as fazes
    de andar e falar demorem muito mais que o normal e ele começou a dar os primeiros passos
    agora.Eu fiquei mais apavorada porque o farmaceutico me falou que esse medicamento é
    receitado também para animais.Mas dez de já agradeço muito e o quanto antes espero sua resposta.
    Obrigada.

  24. nayra, como vc pode ter lido nos comments e no texto, fenobarbital (gardenal) não é a melhor opção para bebês e crianças muito pequenas, principalmente se forem crianças sem problemas neurológiocos (paralisia cerebral, outras doenças neurológicas). se for uma criança normal, apenas com convulsões febris, existem outras opções melhores de anticonvulsivos. é tudo questão de conversar com o neuro e dizer para ele que vc leu e pesquisou, que este medicamento pode causar déficits de desenvolvimento e cognitivo… seja franca, abra o jogo. e peça outras opções de remedios.

  25. Olá … Meu filho tem 1 ano e um mês e já teve três crises convulsivas com febre de 37,5 pra cima,
    fui ao um neurologista da minha cidade e ele me explicou do mesmo jeito que este site diz.e me
    passou FENOBARBITAL, mas do dia 17/01/2014 que ele me passou eu ainda não dei pro meu bebê
    por medo pelo outro nome que ele traz.E eu queria saber a opinião de outros médicos o que eles
    me indicam e receitam,queria saber se este medicamentos não tem riscos ou até mesmo me indicar
    outros tratamentos mais leves que não prejudiquem tanto o desenvolvimento do meu filho.Espero
    muito sua resposta.Obrigado.

  26. suelen, será importante conversar com a neuropediatria, e explicar que foi convulsão sem febre. tendo sido uma única vez, apenas uma crise, há uma linha de tratamento que defende que nestes casos não se deve entrar com nada de remédios. e caso haja nova convulsão, daí sim, a partir da segunda apenas medicar. tire suas duvidas com o neuro… boa sorte.

  27. Gostaria de retificar meu post

    Dia 08/01/2014 postei a seguinte duvida:

    “Meu filho tem 1 ano e 3 meses teve sua primeira convulsão no dia 21/11/13 com 1ano e 2meses, apresentando 40 de temperatura. Depois no dia 28/12/13 ele novamente apresentou outra crise desta vez chegando a 41 graus. Levei no Neuro que receitou gardenal em gotas somente quando tiver febre, mas o pediatra disse pra eu dar todo dia 25 gotas. Não sei quem devo ouvir, li aqui que gardenal não é a melhor opção, mas os dois me indicaram o mesmo remédio sobre o mesmo argumento de que não provoca reações, nem atrasos. Obs: o eletro ainda não foi realizado.
    o que vc acha que devo fazer? Será que o gardenal pode ser a solução pra ele? Como devo dar o remédio? Sempre ou so em caso de febre?”

    ERREI!!! Quando disse que os dois médicos me receitaram Gardenal. O Neuropediatra receitou Diazepan como preventivo no caso de febre, bem como você explicou para a Luciane Camargo em 06/11/13, com uma sútil diferença… No caso do meu filho o neuro passou Diazepan em xarope, mas sob mesma orientação: Dar ao meu menor indicio de febre. O EEC vai ser realizado sim… mas ele já havia passado o Diazepan para prevenção.
    Só depois, ao analisar melhor as duas receitas que percebi meu engano e voltei aqui para te agradecer pelas orientações e esclarecimentos. Sem eles provavelmente eu optaria pela pior opção.
    Quanto ao médico que procurei ele é sim NeuroPEDIATRA e agora decidi confiar no que ele fala.

    Muito obrigada pelas orientações me sinto mais segura com a medicação agora.

  28. minha filha tem crise convulsiva,a primeira foi com um ano a segunda com dois anos,gostaria de trabalhar,o que vcs acham?

  29. Bom minha filha teve uma convulsão dia 07.01.14 mas o que me intriga e que ele não estava com febre e foi a 1 vez e ela tem cinco anos nunca tinha acontecido isso antes fui encamimhada para o neuropediatra dia 14.01.14 para consulta . o pediatra passou o gardenal mais agora fiquei proucupada em relação a essa medicação que atrasa
    odesenvolvimento ,senti que minha filha
    filhaficou um pouco inquieta e as Mãos um pouc tremulas

  30. repito: o gardenal não é a melhor opção para crianças, e pode dar como um dos efeitos colaterais atraso do desenvolvimento neuropsicomotor. existem remédios melhores para crianças hoje em dia. passamos gardenal apenas quando trata-se de uma epilepsia refratária, em crianças que já apresentam algum déficit mental ou doença neurológica, onde este efeito colateral não terá repercussão na vida da criança no futuro. quanto à historia de um medico falar uma coisa e o pediatra outra, a coisa complica.
    seu filho já teve duas convulsões, e nestes casos (convulsão febril), outra possivel estrategia é a prevenção com medicamentos apenas nas crises, mas veja bem, mara, eu poderei certamente te indicar outra alternativa, e outro médico outra, e depois outro outra… isso vira um caos. se vc colocar 5 medicos na sua frente, cada um poderá falar uma solução diferente para o caso do seu filho!!!!
    o melhor a fazer é procurar outro neuroPEDIATRA de sua confiança, ou indicado por alguém que seja dom meio (ESPERO QUE ESTE PRIMEIRO QUE VC PASSOU TENHA SIDO NEUROPEDIATRA, e não neuroclinico apenas). o (ou a) neuropediatra é o melhor profissional para indicar o tratamento de crianças com convulsão febril. e repetindo, nao precisa fazer tomografias ou ressonancias, e um EEG deve ser feito. e sempre, ao mínimo sinal de aumento da temperatura, já medicar com antitérmico para evitar novas crises. espero ter ajudado!

  31. Meu filho tem 1 ano e 3 meses teve sua primeira convulsão no dia 21/11/13 com 1ano e 2meses, apresentando 40 de temperatura. Depois no dia 28/12/13 ele novamente apresentou outra crise desta vez chegando a 41 graus. Levei no Neuro que receitou gardenal em gotas somente quando tiver febre, mas o pediatra disse pra eu dar todo dia 25 gotas. Não sei quem devo ouvir, li aqui que gardenal não é a melhor opção, mas os dois me indicaram o mesmo remédio sobre o mesmo argumento de que não provoca reações, nem atrasos. Obs: o eletro ainda não foi realizado.
    o que vc acha que devo fazer? Será que o gardenal pode ser a solução pra ele? Como devo dar o remédio? Sempre ou so em caso de febre?

  32. Meu filho tem 1 ano e 3 meses teve sua primeira convulsão no dia 21/11/13 com 1ano e 2meses, apresentando 40 de temperatura. Depois no dia 28/12/13 ele novamente apresentou outra crise desta vez chegando a 41 graus. Levei no Neuro que receitou gardenal em gotas somente quando tiver febre, mas o pediatra disse pra eu dar todo dia 25 gotas. Não sei quem devo ouvir, li aqui que gardenal não é a melhor opção, mas os dois me indicaram o mesmo remédio sobre o mesmo argumento de que não provoca reações, nem atrasos. Obs: o eletro ainda não foi realizado.

  33. pelo que vc conta parece ter sido uma reação de tremores por causa da temperatura elevada… convulsões se manifestam com muitos tremores, a cabeça vira, há salivação, etc… em relação a coloca-la na banheira com agua morna, isso vc nao deveria ter feito. quando há febre, pode haver calafrios, mas o certo é levar a criança para uma ducha ou banheira com agua mais fria, para baixar a temperatura, principalmente se a criança já teve uma convulsao febril.

  34. ola ninha filha teve uma convulsao com 1ano e 9 meses com 37 de temperatura; faz 2 meses levei no pronto atendimento mas o medico disse para eu nao me preucupar que era normal; onten ela estava com 36 de temperatura e começou a chorar; fui ate o berço, e ela estava com muito frio e estava com os dedinhos roxos, e tremia muito; levei-a para a banheira com agua morna e deixei alguns minutinhos, e logo depois medi a temperatura; ja estava com 37,3; dei remedio para baixar e fiquei com ela no meu colo ate ela se acalmar. eu queria saber se agi certo e se foi uma convulsao.

  35. neri,esta é uma pergunta realmente intrigante, e muito interessante que não sabemos ainda responder: por que algumas crianças tem febre de 39-40 graus e não convulsionam, e outras tem convulsão apenas com 37-38 graus? provavelmente é o que vc mesmo fala, algumas tem esta maior sensibilidade, outras não.
    uma criança com convusão febril deve ser tratada, acompanhada pelo neuropediatra, isso é uma condição benigna, e com o crescimento da criança isso pára. e não se deve ter medo mesmo, mas também não se deve deixar a criança ter várias crises, pelo contrário, deve-se evitar que tenha… abs e obrigada pela sua interessante pergunta.

  36. MEU FILHO TEM 2 ANOS E 5 MESES. JA APRESENTOU FEBRES ALGUMAS VEZES ATÉ ALTAS CERCA DE 39.3 MAS NUNCA TEVE CONVULSÃO POR FEBRE. PERGUNTO: SE ELE TIVESSE TENDENCIA À CONVULSÃO FEBRIL, ELE JA TERIA TIDO? UMA CRIANÇA QUE TEVE CONVULSÃO FEBRIL COM O TEMPO, ISSO PÁRA? PELO QUE EU LI EM SEU SITE, NAO PRECISA TER MEDO CASO ACONTEÇA NÉ… GRATO, NERI

  37. NAO DEVE FAZER exame nenhum. deve ter sido uma convulsao febril. coisa simples, comum em crianças pequenas. nao deve ser feito nenhum ex de imagem, a não ser que comece a ter crises sem febre. forçando a barra, as vezes a neuroped solicita um EEG. há estudos mostrando que crianças que fizeram tomografias para pesquisar crises convulsivas e traumas, tiveram maior frequencia de tumores em geral… o unico cuidado que deverá ter::: apenas. o cuidado será evitar aumento de febre, e se for o caso prevenir com medicamentos – as crises. fique tranquila… converse com a neuroped ou pediatra. abs e boa sorte.

  38. meu bebe tem 9 meses e teve sua primeira convulsão febril com 37.9 depois de 5 horas outra com 38.1 tou desesperada fiz exames de sangue e urina deu uma virose benigna e uma pequena anemia tou desesperada sera que eu devo fazer outros esames? aguardo resposta

  39. a ligacao que existe é da garganta com a febre… e a febre é o que leva às convulsoes… portanto, converse com o neuropediatra sobre os tratamentos que vc poderá fazer para prevenir a convulsão, como, por exemplo, logo que perceber uma infecção, uma temperatura alta, já cortar com remédios, e talvez, se a criança já teve 4 convulsões, dependendo do neuroped, até o anticonvulsivo já foi passado… abs e boa sorte.

  40. Meu filho tem 2anos e ja teve 4 convulsoes febril e sempre q levamos ele ao medico ele esta com a garganta enflamada eu queria sabe. Se tem alguma ligacao garganta e convulsao e o q devo faze

  41. cintia, vc já conversou isso com a neuropediatria, com o pediatra tb/? o mais comum é manter os medicamentos por 1-2-3 anos, depois, querendo tentar uma retirada, planejar isso direitinho, com o medico que comanda a coisa. sabe-se que a retirada deve ser gradual, e a depender dos exames da criança, pode ser feita com segurança. converse com o pediatra ou neuropediatria.

  42. MEU FILHO TOMA MEDICACAO PRA CONVULSÕES DESDE A TERCEIRA CRISE DE CONVULSAO FEBRIL. ELE TEM HOJE 2 ANOS E 9 MESES E JA TOMA O REMEDIO HA 1 ANO. ATE QDO É RECOMENDADO A MEDICACAO NESTE CASO? E COMO É FEITO A RETIRADA DO REMEDIO? ISSO ME APAVORA, POR NAO TER CERTEZA SE VAI DAR CRISE NOVAMENTE DEPOIS QUE ELE ESTIVER SEM A MEDICACAO.

  43. luciane, gardenal não é o melhor remedio, sobretudo para crianças. estudos comprovaram já que há casos com atraso de desenvolvimento e def de aprendizado. não significa que seja o caso do seu filho, mas na duvida, melhor seria trocar mesmo. por depakene, ou tentar diazepan via retal toda vez que ficar quentinho, inicio de febre. mas lembrando que tudo isso tem que ser com ordem medica. sugiro vc conversar com o pediatra, se ele se negar, ouça outra opiniao, va em outro medico, ou em neuropediatra, se tiver acesso a algum. abs e boa sorte. mara

  44. meu filho de 1ano 9 meses tem crise de covulçaõ …. a primeira crise q ele teve ele tinha 1 ano depois da primeira ele teve + 6 crises todas com febre ….
    ficou 6 meses sem ter febre e foi 6 meses sem ter crise …. no começo do mes outubro ficou resfriado teve febre deu mais uma crise temp de 38.8 ….. ele toma todpo noite 25 gtas de gardenal …. agora q ele começo a falar toas as crianças da ideade ja se comunicam bem …. sera q esse remedio ta prejudicando ele nessa area de desenvolvimento …. peço pro medico trocar de remedio …. qual remedio poderia substitir ese

  45. Resposta a Kelly Rodrigues:::
    kelly, os exames nao mostrarão nada se o diagnostico é de convulsao febril. e graças a Deus não mostrarão nada!!!! que seja isso mesmo. as crises convulsivas febris são assim, a alteração não consegue ser detectada em exames, mas sabe-se que a criança tem um limiar, uma sensibilidade maior à febre, e nos casos semelhantes aos da sua filhinha, como ela já teve várias crises, está indicado o uso de anticonvulsivantes. diria pra ti que fenobarbital é uma péssima escolha, pois há diversos relatos e estudos apontando para maior frequencia de problemas de aprendizado nas crianças que utilizam. com certeza vc deve falar com a neuroped para trocar por drogas melhores para crianças. o clobazan é uma boa escolha para associar. mas uma orientação muito boa é também dar medicações preventivas de crises em casos de infecções, que invariavelmente a sua bebe terá… e nesta fase de saída de dentes, a temperatura pode subir tb… lembre-se: nada de ficar fazendo exs desnecessários tipo tomos e ressonancias… nao adianta. se forem crises sempre associadas a febre ou aumento de temperatura — ESTE É O DIAGNOSTICO. CONVULSAO FEBRIL. o desencadeador das crises é o aumento da temperatura. pelo jeito e historia que vc conta. os exames não irão apontar nada (pra o bem da sua filhoTA)… peça pra trocar o fenobarbital. fale que vc conversou com uma amiga neuro (eu!!! hehehe) que te falou sobre estes efeitos colaterais futuros quando usado em crianças… bjs a abs. vai dar tudo certo!

    veja também o link abaixo::: explico sobre convulsão febril.
    http://www.ineuro.com.br/para-os-pacientes/convulsao-febril-o-que/comment-page-1/#comment-10028

  46. Postado por Kelly Rodrigues:::
    Olá, minha bebê, teve sua 1ª crise convulsiva com 5 meses (04/07/13) , associada a febre, marcamos a consulta com a neuropediatra pra agosto.No dia 30/07 ela teve uma convulsão rápida. Fomos até a neuro que pediu vários exames, e não medicou, até que os exames ficassem prontos. Dia 16/08 ela teve outra crise de 1,5 h “status epiletcus”, chegou ao pronto socorro com a temperatura de 35.7°, a febre veio durante o processo convulsivo, fomos para o CTI para observação, e de lá ela já saiu tomando o fenobarbital. Foi detectado uma infecção urinária que foi tratada com antibiótico. Fizemos o eletroencefalograma, a ressonância, a ultrassonagrafia trans nucal, liquor e muitos outros…todos negativos! Passamos o mês de setembro sem crise. Dia 07/10 ela estava um pouco resfriada , com nariz entupido e olhos lacrimejando, e teve outa crise. A neuro acrescentou o clobazan para ser tomado em épocas críticas. Dia 23/10 teve outra crise, os exames foram repetidos, e não há nenhum sinal de infecção, mas o dentinho rompeu, apesar de estarmos monitorando juntamente com a pediatra, que tinha passado profenid para evitar possiveis efeitos colaterais e dar uma segurada na febre. Bem, a dúvida é porque não conseguimos detectar o desencadeador destas crises? Por que os exames não apontam nada? Apesar do fenobarbital ser o mais indicado, a neuro cogitou a possibilidade de troca-lo por outro remédio, só iremos lá semana que vem, e até lá ela nos orientou a ministrar o clobazan. Desde já agradeço.

  47. Meu filho tem 2anos e ja teve 4convulsoes febril sendo a ultima com apenas 37.8 graus o que devo fazer , isso me apavora sempre

  48. Se houve febre no evento, fique tranquila, deve ter sido relacionado à febre. Não deve se preocupar, mas deve ir ao pediatra, contar tudo em detalhes. Geralmente nestes casos o pediatra pede – ou avaliação de neuropediatra, ou logo o EEG. Na maioria dos casos não é preciso exame de imagem (tomo ou ressonância). E tem que cuidar agora com infecções e febres. Tratar em qualquer sinal. Para evitar novas crises. Boa sorte.

  49. Minha filha de 2 anos teve um inicio de uma convulsão,porem não estava com febre no momento, amoleceu,gemeu,entortou a boca e os dedos das mãos e dos pés ficaram bastante roxos, depois de alguns minutos vomitou uma baba, ai sim veio uma febre altíssima que demorou a normalizar. Devo me preocupar ,já que o documentário que li nesta pagina ,informa que uma crise febril é normal nestes casos? Desde já agradeço. Aguardo retorno . Agatha wutke

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *